http://site.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://www.ideaonline.com.br/conteudo/17-produtividade-e-reducao-de-custos-2018.html
http://www.rossam.com.br/index.html

Biosev inicia projeto-piloto de irrigação por gotejamento

Voltar

Cana-de-Açúcar

04/10/2016
  Compartilhe:

 A Biosev, segunda maior processadora global de cana-de-açúcar, inicia a operação de um projeto piloto de irrigação por gotejamento na Unidade Estivas, localizada no interior do Rio Grande do Norte. A companhia está investindo R$ 6,8 milhões nesse método de irrigação plena para cana-de-açúcar, que irá elevar a produtividade na região em 100%.
 Com área inicial é de 400 hectares, o projeto permitirá a Biosev avaliar os parâmetros necessários para implantar a tecnologia em outras áreas do Polo NE nos próximos anos. A expectativa é aumentar a área irrigada por gotejamento, sendo o potencial de uso dessa tecnologia superior a seis mil hectares nas áreas atualmente geridas pela companhia no Nordeste.
 Com o modelo atual de irrigação, a produtividade média da Biosev é de 45 toneladas de cana por hectare na unidade, podendo atingir 55 toneladas nas áreas de irrigação complementar. Pelo sistema de irrigação por gotejamento, a produtividade média poderá atingir mais de 100 toneladas por hectare. Além disso, a necessidade de reforma do canavial passará para 10 anos, o dobro do que é feito atualmente, o que reduz significativamente o custo de produção.
A tecnologia de gotejamento consiste em um sistema formado por mangueiras enterradas junto às linhas de cana com gotejadores que aplicam uma lâmina de água suficiente para repor o déficit hídrico da cultura, considerando as condições do solo, da planta e do clima. Ao gotejar na linha de cana, a água forma uma faixa úmida, denominada “bulbo úmido”, o que permite que as raízes tenham disponíveis água e nutrientes constantemente para realizarem os processos metabólicos e de crescimento.
 No caso da irrigação plena, a lâmina de água pode atingir 900 milímetros por ciclo, dose que é o dobro da irrigação complementar, como o sistema de irrigação por pivôs móveis, atualmente utilizados pela unidade Estivas.
 Ainda no âmbito operacional, a adubação da cana-de-açúcar passa a ser realizada por fertirrigação, onde tanto a água, como os fertilizantes, são aplicados via gotejamento, garantindo o fornecimento de nutrientes em todo o ciclo de crescimento e acúmulo de fitomassa. Esse processo garante que as raízes absorvam os nutrientes de acordo com a necessidade da cultura.
 “A irrigação por gotejamento em cana-de-açúcar é uma tecnologia de produção que tem tomado espaço na cultura em todo o Brasil, principalmente nas regiões com maior déficit hídrico como o Nordeste. Ao fornecer a quantidade de água e nutrientes requerida pela cana, essa tecnologia proporciona como resultado altas produtividades, além de eficiência no uso do recurso hídrico e até mesmo de defensivos e outros insumos”, esclarece Ricardo Lopes da Silva, Diretor Agrícola da Companhia. “A Biosev está investindonesse novo sistema para produzir mais com menos, ou seja, aumentar o volume de cana com a mesma quantidade de área plantada”, conclui.
Sobre a Biosev
A Biosev é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, com 11 unidades em operação, estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais: Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste e Leme e Lagoa da Prata. A companhia, controlada pela Louis Dreyfus Company Holdings, iniciou sua atuação na indústria de açúcar-etanol em 2000 com a aquisição de sua primeira unidade no Brasil. Atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar e 1.346 GWh/ano de energia elétrica renovável excedente, gerada a partir da utilização do bagaço de cana-de-açúcar e outras biomassas. Para armazenagem e movimentação de açúcar, a empresa possui uma joint venture no TEAG - Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá Ltda. Em 2013, a empresa ingressou no Novo Mercado da BM&FBovespa, segmento que adota os mais altos padrões de governança corporativa.www.biosev.com
 
 A Biosev, segunda maior processadora global de cana-de-açúcar, inicia a operação de um projeto piloto de irrigação por gotejamento na Unidade Estivas, localizada no interior do Rio Grande do Norte. A companhia está investindo R$ 6,8 milhões nesse método de irrigação plena para cana-de-açúcar, que irá elevar a produtividade na região em 100%.
 Com área inicial é de 400 hectares, o projeto permitirá a Biosev avaliar os parâmetros necessários para implantar a tecnologia em outras áreas do Polo NE nos próximos anos. A expectativa é aumentar a área irrigada por gotejamento, sendo o potencial de uso dessa tecnologia superior a seis mil hectares nas áreas atualmente geridas pela companhia no Nordeste.
 Com o modelo atual de irrigação, a produtividade média da Biosev é de 45 toneladas de cana por hectare na unidade, podendo atingir 55 toneladas nas áreas de irrigação complementar. Pelo sistema de irrigação por gotejamento, a produtividade média poderá atingir mais de 100 toneladas por hectare. Além disso, a necessidade de reforma do canavial passará para 10 anos, o dobro do que é feito atualmente, o que reduz significativamente o custo de produção.
A tecnologia de gotejamento consiste em um sistema formado por mangueiras enterradas junto às linhas de cana com gotejadores que aplicam uma lâmina de água suficiente para repor o déficit hídrico da cultura, considerando as condições do solo, da planta e do clima. Ao gotejar na linha de cana, a água forma uma faixa úmida, denominada “bulbo úmido”, o que permite que as raízes tenham disponíveis água e nutrientes constantemente para realizarem os processos metabólicos e de crescimento.
 No caso da irrigação plena, a lâmina de água pode atingir 900 milímetros por ciclo, dose que é o dobro da irrigação complementar, como o sistema de irrigação por pivôs móveis, atualmente utilizados pela unidade Estivas.
 Ainda no âmbito operacional, a adubação da cana-de-açúcar passa a ser realizada por fertirrigação, onde tanto a água, como os fertilizantes, são aplicados via gotejamento, garantindo o fornecimento de nutrientes em todo o ciclo de crescimento e acúmulo de fitomassa. Esse processo garante que as raízes absorvam os nutrientes de acordo com a necessidade da cultura.
 “A irrigação por gotejamento em cana-de-açúcar é uma tecnologia de produção que tem tomado espaço na cultura em todo o Brasil, principalmente nas regiões com maior déficit hídrico como o Nordeste. Ao fornecer a quantidade de água e nutrientes requerida pela cana, essa tecnologia proporciona como resultado altas produtividades, além de eficiência no uso do recurso hídrico e até mesmo de defensivos e outros insumos”, esclarece Ricardo Lopes da Silva, Diretor Agrícola da Companhia. “A Biosev está investindonesse novo sistema para produzir mais com menos, ou seja, aumentar o volume de cana com a mesma quantidade de área plantada”, conclui.
Sobre a Biosev
A Biosev é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, com 11 unidades em operação, estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais: Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste e Leme e Lagoa da Prata. A companhia, controlada pela Louis Dreyfus Company Holdings, iniciou sua atuação na indústria de açúcar-etanol em 2000 com a aquisição de sua primeira unidade no Brasil. Atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar e 1.346 GWh/ano de energia elétrica renovável excedente, gerada a partir da utilização do bagaço de cana-de-açúcar e outras biomassas. Para armazenagem e movimentação de açúcar, a empresa possui uma joint venture no TEAG - Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá Ltda. Em 2013, a empresa ingressou no Novo Mercado da BM&FBovespa, segmento que adota os mais altos padrões de governança corporativa.www.biosev.com
 

Fonte: Assessoria de imprensa Biosev

Biosev inicia projeto-piloto de irrigação por gotejamento

04/10/2016

 A Biosev, segunda maior processadora global de cana-de-açúcar, inicia a operação de um projeto piloto de irrigação por gotejamento na Unidade Estivas, localizada no interior do Rio Grande do Norte. A companhia está investindo R$ 6,8 milhões nesse método de irrigação plena para cana-de-açúcar, que irá elevar a produtividade na região em 100%.
 Com área inicial é de 400 hectares, o projeto permitirá a Biosev avaliar os parâmetros necessários para implantar a tecnologia em outras áreas do Polo NE nos próximos anos. A expectativa é aumentar a área irrigada por gotejamento, sendo o potencial de uso dessa tecnologia superior a seis mil hectares nas áreas atualmente geridas pela companhia no Nordeste.
 Com o modelo atual de irrigação, a produtividade média da Biosev é de 45 toneladas de cana por hectare na unidade, podendo atingir 55 toneladas nas áreas de irrigação complementar. Pelo sistema de irrigação por gotejamento, a produtividade média poderá atingir mais de 100 toneladas por hectare. Além disso, a necessidade de reforma do canavial passará para 10 anos, o dobro do que é feito atualmente, o que reduz significativamente o custo de produção.
A tecnologia de gotejamento consiste em um sistema formado por mangueiras enterradas junto às linhas de cana com gotejadores que aplicam uma lâmina de água suficiente para repor o déficit hídrico da cultura, considerando as condições do solo, da planta e do clima. Ao gotejar na linha de cana, a água forma uma faixa úmida, denominada “bulbo úmido”, o que permite que as raízes tenham disponíveis água e nutrientes constantemente para realizarem os processos metabólicos e de crescimento.
 No caso da irrigação plena, a lâmina de água pode atingir 900 milímetros por ciclo, dose que é o dobro da irrigação complementar, como o sistema de irrigação por pivôs móveis, atualmente utilizados pela unidade Estivas.
 Ainda no âmbito operacional, a adubação da cana-de-açúcar passa a ser realizada por fertirrigação, onde tanto a água, como os fertilizantes, são aplicados via gotejamento, garantindo o fornecimento de nutrientes em todo o ciclo de crescimento e acúmulo de fitomassa. Esse processo garante que as raízes absorvam os nutrientes de acordo com a necessidade da cultura.
 “A irrigação por gotejamento em cana-de-açúcar é uma tecnologia de produção que tem tomado espaço na cultura em todo o Brasil, principalmente nas regiões com maior déficit hídrico como o Nordeste. Ao fornecer a quantidade de água e nutrientes requerida pela cana, essa tecnologia proporciona como resultado altas produtividades, além de eficiência no uso do recurso hídrico e até mesmo de defensivos e outros insumos”, esclarece Ricardo Lopes da Silva, Diretor Agrícola da Companhia. “A Biosev está investindonesse novo sistema para produzir mais com menos, ou seja, aumentar o volume de cana com a mesma quantidade de área plantada”, conclui.
Sobre a Biosev
A Biosev é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, com 11 unidades em operação, estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais: Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste e Leme e Lagoa da Prata. A companhia, controlada pela Louis Dreyfus Company Holdings, iniciou sua atuação na indústria de açúcar-etanol em 2000 com a aquisição de sua primeira unidade no Brasil. Atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar e 1.346 GWh/ano de energia elétrica renovável excedente, gerada a partir da utilização do bagaço de cana-de-açúcar e outras biomassas. Para armazenagem e movimentação de açúcar, a empresa possui uma joint venture no TEAG - Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá Ltda. Em 2013, a empresa ingressou no Novo Mercado da BM&FBovespa, segmento que adota os mais altos padrões de governança corporativa.www.biosev.com
 
 A Biosev, segunda maior processadora global de cana-de-açúcar, inicia a operação de um projeto piloto de irrigação por gotejamento na Unidade Estivas, localizada no interior do Rio Grande do Norte. A companhia está investindo R$ 6,8 milhões nesse método de irrigação plena para cana-de-açúcar, que irá elevar a produtividade na região em 100%.
 Com área inicial é de 400 hectares, o projeto permitirá a Biosev avaliar os parâmetros necessários para implantar a tecnologia em outras áreas do Polo NE nos próximos anos. A expectativa é aumentar a área irrigada por gotejamento, sendo o potencial de uso dessa tecnologia superior a seis mil hectares nas áreas atualmente geridas pela companhia no Nordeste.
 Com o modelo atual de irrigação, a produtividade média da Biosev é de 45 toneladas de cana por hectare na unidade, podendo atingir 55 toneladas nas áreas de irrigação complementar. Pelo sistema de irrigação por gotejamento, a produtividade média poderá atingir mais de 100 toneladas por hectare. Além disso, a necessidade de reforma do canavial passará para 10 anos, o dobro do que é feito atualmente, o que reduz significativamente o custo de produção.
A tecnologia de gotejamento consiste em um sistema formado por mangueiras enterradas junto às linhas de cana com gotejadores que aplicam uma lâmina de água suficiente para repor o déficit hídrico da cultura, considerando as condições do solo, da planta e do clima. Ao gotejar na linha de cana, a água forma uma faixa úmida, denominada “bulbo úmido”, o que permite que as raízes tenham disponíveis água e nutrientes constantemente para realizarem os processos metabólicos e de crescimento.
 No caso da irrigação plena, a lâmina de água pode atingir 900 milímetros por ciclo, dose que é o dobro da irrigação complementar, como o sistema de irrigação por pivôs móveis, atualmente utilizados pela unidade Estivas.
 Ainda no âmbito operacional, a adubação da cana-de-açúcar passa a ser realizada por fertirrigação, onde tanto a água, como os fertilizantes, são aplicados via gotejamento, garantindo o fornecimento de nutrientes em todo o ciclo de crescimento e acúmulo de fitomassa. Esse processo garante que as raízes absorvam os nutrientes de acordo com a necessidade da cultura.
 “A irrigação por gotejamento em cana-de-açúcar é uma tecnologia de produção que tem tomado espaço na cultura em todo o Brasil, principalmente nas regiões com maior déficit hídrico como o Nordeste. Ao fornecer a quantidade de água e nutrientes requerida pela cana, essa tecnologia proporciona como resultado altas produtividades, além de eficiência no uso do recurso hídrico e até mesmo de defensivos e outros insumos”, esclarece Ricardo Lopes da Silva, Diretor Agrícola da Companhia. “A Biosev está investindonesse novo sistema para produzir mais com menos, ou seja, aumentar o volume de cana com a mesma quantidade de área plantada”, conclui.
Sobre a Biosev
A Biosev é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, com 11 unidades em operação, estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais: Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste e Leme e Lagoa da Prata. A companhia, controlada pela Louis Dreyfus Company Holdings, iniciou sua atuação na indústria de açúcar-etanol em 2000 com a aquisição de sua primeira unidade no Brasil. Atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar e 1.346 GWh/ano de energia elétrica renovável excedente, gerada a partir da utilização do bagaço de cana-de-açúcar e outras biomassas. Para armazenagem e movimentação de açúcar, a empresa possui uma joint venture no TEAG - Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá Ltda. Em 2013, a empresa ingressou no Novo Mercado da BM&FBovespa, segmento que adota os mais altos padrões de governança corporativa.www.biosev.com