atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

"Balanços podem maximizar produção de açúcar, etanol e energia", diz especialista

02/10/2012 Cana-de-Açúcar POR: Agência UDOP de Notícias
Para termos o máximo de proveito da cana-de-açúcar, tanto na produção de açúcar e etanol, quanto na produção de bioeletricidade, e diminuir o consumo de água, é necessário desenvolver balanços e conhecer muito bem o que compõem os processos. Essa afirmação é do palestrante e engenheiro químico, Tércio Marques Dalla Vecchia, durante a 4ª Aula/Palestra do Curso Industrial de 2012, realizada na última quinta-feira (27), em Araçatuba pela UniUDOP - Universidade Corporativa da UDOP.
"O objetivo desse curso, é passar para os alunos como se faz esse balanço, quais as ideias, objetivos que devemos ter para desenvolver um balaço e atingir os objetivos que podem ser, desde diminuir os gargalos até maximizar a produção de açúcar, etanol e de energia", explica o palestrante.
Segundo Tércio, as usinas evoluíram muito nos últimos anos e alcançaram uma curva de produtividade muito próxima do limite do que seria possível. "Nossas extrações passaram de 85%, para 98%. Nossos índices de rendimento de fermentação que raramente passavam de 80%, hoje atingem 92% ou mais. Nossas perdas indeterminadas que chagavam a 5%, bem monitoradas podem ser menos de 1%", explica.
Quanto à otimização e melhoria dos processos, o profissional alerta para a importância de um diagnóstico industrial na unidade específica, porque os gargalos são diferentes de uma usina para a outra. "O ponto de ineficiência pode estar na extração, na destilação ou na fermentação, como pode estar na produção de açúcar e assim por diante. Com o diagnóstico, podemos detectar onde estão os problemas e diagnosticar os pontos que eu preciso melhorar", ressalta o engenheiro químico.
Para Tércio, o futuro é simples. Basta conceituar os fundamentos e atingir os objetivos através das ferramentas de cálculos e definição de processos que as usinas possuem. "A termodinâmica não é mágica, como a química também não é. Temos que saber como utilizá-las melhor", finaliza o palestrante.
O evento foi promovido pela UDOP e STAB - Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros do Brasil, com apoio cultural das empresas Dedini Indústrias de Base e GE.
Greizi Ciotta Andrade