atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

2ª etapa do “Caminhos da Cana” começa com energia total

01/08/2015 Cana-de-Açúcar POR: Andréia Vital - Revista Canavieiros - Edição 109
Durante os próximos seis meses, o projeto “Caminhos da Cana” vai percorrer quase 10 mil km pela região de abrangência da atuação da Canaoeste (Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo), e conversar com mais de três mil produtores de cana-de-açúcar e agentes do setor sucroenergético, com o propósito de disseminar informações sobre o mercado e o setor, como também, colher dados sobre o segmento local. A ação tem apoio da Orplana (Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil) e conta com o patrocínio da Bayer CropScience e da Case IH. 
O encontro inicial da segunda fase do projeto aconteceu no dia 29 de junho, na sede do Sindicato de Ituverava e contou com palestra do prof. titular da FEA/USP, Marcos Fava Neves, que é comandante da expedição “Caminhos da Cana” e sócio do Markestrat (Centro de Pesquisas e Projetos em Marketing e Estratégia da USP), o qual organizou as iniciativas do projeto. Na ocasião, ele abordou a atual situação do agronegócio brasileiro, como também, a pesquisa realizada pela Markestrat, que mapeou e quantificou o setor sucroenergético na safra 13/14 e revelou números impressionantes do segmento, tais como o PIB Setorial estimado em US$ 107,72 bi, a geração de 613 mil empregos diretos e a arrecadação de US$ 8,52 bi em impostos agregados.
“Diferentemente do mote de 2014, a campanha deste ano tem como temática turbinar o etanol, inspirado por um carro turbo, movido a etanol, que usaremos durante a campanha. É o caminho para o setor sair mais rapidamente da crise, através da valorização e do consumo do hidratado e do anidro como puxadores”, explica Fava Neves, afirmando que “é uma excelente oportunidade para rever amigos, discutir tendências e formular ações privadas e públicas para a competitividade da agroindústria canavieira”, diz o professor, ressaltando que o apoio das multinacionais foi essencial para a concretização do “Caminhos da Cana”. 
Durante sua apresentação, Fava Neves explicou que num primeiro momento, a iniciativa tinha como objetivo fortalecer as associações setoriais, possibilitando que fossem mais competitivas. “Agora temos que dar um passo além, e a equipe está pensando em um plano estratégico para o setor de cana, expectativa de crescimento, consumo, qualquer dimensão que precisa ter para ajudar o Brasil a sair do buraco”, diz ele, contando que cerca de 20 cidades serão visitadas desta vez, com reuniões pré-agendadas com produtores na parte da manhã, para real entendimento dos problemas daquela região e na parte da tarde, com uma apresentação mais ampla, contando com a presença dos parceiros. “No final de cada encontro, fazemos uma pesquisa com os produtores e esperamos repetir o desempenho do ano passado, quando conseguimos coletar mais de quinhentos questionários”, ressalta o professor.  No final de cada reunião, os participantes recebem ainda o livro “Caminhos da Cana”, de autoria de Fava Neves, que contém coletânea de artigos publicados nos últimos três anos.
O projeto foi considerado relevante para o presidente do Sindicato de Ituverava, Gustavo Ribeiro Rocha Chavaglia, “O projeto fortalece, norteia e esclarece muita coisa para o produtor, possibilitando assim que ele se atualize e troque experiências sobre sua atividade”. Opinião compartilhada com os representantes das multinacionais patrocinadoras. “O evento fortalece o setor, pois une várias entidades, associações e produtores em prol do setor, trocando informação e tecnologia. A Bayer trabalha para a melhoria do setor, portanto, temos a certeza que com essa união resultados melhores aparecerão”, alegou Plaucius de Figueiredo Seixas, gerente de Clientes cana-de-açúcar da Bayer. 
Já Fábio Balaban, especialista de marketing para colhedoras de cana da Case IH, ressalta que o “Caminhos da Cana” é um projeto muito importante porque percorre as principais cidades produtoras de cana-de-açúcar. “Podemos ter todo o envolvimento da nossa rede de concessionária e estar cada vez mais próximo dos produtores de cana, desde o pequeno ao grande produtor podendo entender melhor as suas necessidades e contribuir com produtos que garantam performance e tecnologia, reduzindo os custos de produção e maximizando a lucratividade dos agricultores”, afirmou. 
Na primeira etapa do projeto, foram percorridos 10000 km, entre os meses de junho e novembro de 2014 e a ação visava coletar informações junto às associações ligadas à Orplana para elaboração de um planejamento estratégico para a entidade, através de pesquisa acadêmica que identificou demandas do setor sucroenergético, como também disseminar conhecimento aos produtores rurais com palestras e reuniões com lideranças. 
Para o presidente da Canaoeste e Orplana, Manoel Ortolan, traçar um plano para os próximos anos é essencial para o fortalecimento da associação.  “As coisas mudaram muito, o País está mudando e o setor canavieiro também, pois passa por um processo de concentração atualmente, por isso a necessidade da modernização”, explicou ele, frisando que o momento é o ideal para executar novas estratégias, já que 2015 é um ano significativo para a Canaoeste, que completa 70 anos no dia 22 de julho. “É um novo passo para a associação continuar seu trabalho, prestando seus serviços aos produtores de cana”, afirma o presidente da Canaoeste, ressaltando que o encontro em Ituverava foi muito bom. “Teve uma ótima frequência em uma região onde a Canaoeste é relativamente nova, nós estamos aqui há dois anos, buscando fornecedores independentes que, até então, não estavam vinculados às associações da região. Se os outros encontros acontecerem da mesma forma, dará um bom embasamento para este trabalho que a Markestrat vem fazendo de redirecionar os rumos da Canaoeste”, elucidou. 
Durante os próximos seis meses, o projeto “Caminhos da Cana” vai percorrer quase 10 mil km pela região de abrangência da atuação da Canaoeste (Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo), e conversar com mais de três mil produtores de cana-de-açúcar e agentes do setor sucroenergético, com o propósito de disseminar informações sobre o mercado e o setor, como também, colher dados sobre o segmento local. A ação tem apoio da Orplana (Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil) e conta com o patrocínio da Bayer CropScience e da Case IH. 

 
O encontro inicial da segunda fase do projeto aconteceu no dia 29 de junho, na sede do Sindicato de Ituverava e contou com palestra do prof. titular da FEA/USP, Marcos Fava Neves, que é comandante da expedição “Caminhos da Cana” e sócio do Markestrat (Centro de Pesquisas e Projetos em Marketing e Estratégia da USP), o qual organizou as iniciativas do projeto. Na ocasião, ele abordou a atual situação do agronegócio brasileiro, como também, a pesquisa realizada pela Markestrat, que mapeou e quantificou o setor sucroenergético na safra 13/14 e revelou números impressionantes do segmento, tais como o PIB Setorial estimado em US$ 107,72 bi, a geração de 613 mil empregos diretos e a arrecadação de US$ 8,52 bi em impostos agregados.

 
“Diferentemente do mote de 2014, a campanha deste ano tem como temática turbinar o etanol, inspirado por um carro turbo, movido a etanol, que usaremos durante a campanha. É o caminho para o setor sair mais rapidamente da crise, através da valorização e do consumo do hidratado e do anidro como puxadores”, explica Fava Neves, afirmando que “é uma excelente oportunidade para rever amigos, discutir tendências e formular ações privadas e públicas para a competitividade da agroindústria canavieira”, diz o professor, ressaltando que o apoio das multinacionais foi essencial para a concretização do “Caminhos da Cana”. 

 
Durante sua apresentação, Fava Neves explicou que num primeiro momento, a iniciativa tinha como objetivo fortalecer as associações setoriais, possibilitando que fossem mais competitivas. “Agora temos que dar um passo além, e a equipe está pensando em um plano estratégico para o setor de cana, expectativa de crescimento, consumo, qualquer dimensão que precisa ter para ajudar o Brasil a sair do buraco”, diz ele, contando que cerca de 20 cidades serão visitadas desta vez, com reuniões pré-agendadas com produtores na parte da manhã, para real entendimento dos problemas daquela região e na parte da tarde, com uma apresentação mais ampla, contando com a presença dos parceiros.


“No final de cada encontro, fazemos uma pesquisa com os produtores e esperamos repetir o desempenho do ano passado, quando conseguimos coletar mais de quinhentos questionários”, ressalta o professor.  No final de cada reunião, os participantes recebem ainda o livro “Caminhos da Cana”, de autoria de Fava Neves, que contém coletânea de artigos publicados nos últimos três anos.

 
O projeto foi considerado relevante para o presidente do Sindicato de Ituverava, Gustavo Ribeiro Rocha Chavaglia, “O projeto fortalece, norteia e esclarece muita coisa para o produtor, possibilitando assim que ele se atualize e troque experiências sobre sua atividade”. Opinião compartilhada com os representantes das multinacionais patrocinadoras. “O evento fortalece o setor, pois une várias entidades, associações e produtores em prol do setor, trocando informação e tecnologia. A Bayer trabalha para a melhoria do setor, portanto, temos a certeza que com essa união resultados melhores aparecerão”, alegou Plaucius de Figueiredo Seixas, gerente de Clientes cana-de-açúcar da Bayer. 

 
Já Fábio Balaban, especialista de marketing para colhedoras de cana da Case IH, ressalta que o “Caminhos da Cana” é um projeto muito importante porque percorre as principais cidades produtoras de cana-de-açúcar. “Podemos ter todo o envolvimento da nossa rede de concessionária e estar cada vez mais próximo dos produtores de cana, desde o pequeno ao grande produtor podendo entender melhor as suas necessidades e contribuir com produtos que garantam performance e tecnologia, reduzindo os custos de produção e maximizando a lucratividade dos agricultores”, afirmou. 

 
Na primeira etapa do projeto, foram percorridos 10000 km, entre os meses de junho e novembro de 2014 e a ação visava coletar informações junto às associações ligadas à Orplana para elaboração de um planejamento estratégico para a entidade, através de pesquisa acadêmica que identificou demandas do setor sucroenergético, como também disseminar conhecimento aos produtores rurais com palestras e reuniões com lideranças. 

 
Para o presidente da Canaoeste e Orplana, Manoel Ortolan, traçar um plano para os próximos anos é essencial para o fortalecimento da associação.  “As coisas mudaram muito, o País está mudando e o setor canavieiro também, pois passa por um processo de concentração atualmente, por isso a necessidade da modernização”, explicou ele, frisando que o momento é o ideal para executar novas estratégias, já que 2015 é um ano significativo para a Canaoeste, que completa 70 anos no dia 22 de julho.


“É um novo passo para a associação continuar seu trabalho, prestando seus serviços aos produtores de cana”, afirma o presidente da Canaoeste, ressaltando que o encontro em Ituverava foi muito bom. “Teve uma ótima frequência em uma região onde a Canaoeste é relativamente nova, nós estamos aqui há dois anos, buscando fornecedores independentes que, até então, não estavam vinculados às associações da região. Se os outros encontros acontecerem da mesma forma, dará um bom embasamento para este trabalho que a Markestrat vem fazendo de redirecionar os rumos da Canaoeste”, elucidou.