atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Ano positivo para o setor na bolsa

30/12/2019 Agronegócio POR: Marino Guerra
Ano positivo para o setor na bolsa Rubens Ometto, da Cosan, empresa mais que duplicou o seu valor de mercado em 2020

Dos três grupos listados, Cosan se destacou com valorização superior a 110%

Quem acompanha o dia-a-dia da bolsa de valores de São Paulo, conhecida como B3, sabe que 2020 foi um ano bastante positivo, prova disso é que até o dia 27 de dezembro o seu principal índice (Ibovespa), havia valorizado 32,57% saindo de 87 mil pontos no final de 2018 para 116 mil na última sexta-feira.

Ao analisar as ações de grupos sucroenergéticos listados o principal destaque fica para a Cosan, que se valorizou 113,87%, a São Martinho também não fez feio e conseguiu se valorizar quase que cinco pontos percentuais acima do Ibovespa (37,31%).

O destaque negativo ficou com a Biosev que teve os seus papéis desvalorizados em 8,17%, contudo perante as expectativas positivas do setor e também a mudança de rumo que já vem sendo implementada na companhia, a expectativa é de que esse cenário seja invertido, até porque se fizer um recorte apenas dos últimos seis meses, o valor das ações se valorizaram cerca de 10%.

Números acima dos monstruosos alcançados pela Cosan, abrindo o leque para o mundo agro, dois frigoríficos, sendo o Minerva na liderança, com valorização de 155,31% e o JBS aumentando o preço de seus papéis em 127,81%.

Desempenho que se justifica em decorrência da combinação mágica de preço, mercado e câmbio que surgiu no mercado principalmente em decorrência do aumento no consumo de carne bovina em decorrência da peste suína que dizimou cerca de metade dos porcos da China.