atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

BASF contribui para consolidar sustentabilidade no setor sucroenergético

15/05/2012 Cana-de-Açúcar POR: Única
Como avaliar de forma criteriosa o grau de sustentabilidade atingido por uma usina em seu processo produtivo? Para responder a essa pergunta, a Guarani S.A., associada à União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), adotou em duas de suas usinas o AgBalance, um novo método de avaliação de práticas no agronegócio que acaba de ser lançado no Brasil pela BASFe que pode beneficiar mais empresas do setor sucroenergético.
Os primeiros resultados obtidos em avaliações utilizando o AgBalance foram apresentados na terça-feira (08/05) pela BASF em São Paulo. A empresa descreve a nova ferramenta como uma “evolução das análises de socioeficiência, com ênfase na avaliação da sustentabilidade na agricultura.” O processo utiliza 69 indicadores, cada um ligado aos três pilares da sustentabilidade (ambiental, econômico e social), para calcular, de forma ponderada, aproximadamente 200 fatores de avaliação.
Para Markus Heldt, presidente mundial da Divisão de Proteção de Cultivos da BASF, faz parte da estratégia global da empresa dar ênfase a soluções integradas de aprimoramento para uma agricultura sustentável, especialmente em países estratégicos. “O Brasil chama a atenção de todo o mundo quando o assunto é a produção de alimentos e bioenergia. Porém, para atender a essa demanda é preciso que o agronegócio brasileiro esteja preparado para participar de processos de certificações, atendendo às exigências de boas práticas de gestão cobradas pelos países importadores,” argumenta.
Na visão da UNICA, os ganhos para empresas avaliadas pelo novo processo são evidentes. "Iniciativas como essa valorizam os esforços que as empresas do setor fazem contínuamente para aprofundar e aperfeiçoar o desempenho sustentável, como mostram os resultados obtidos nas duas avaliações envolvendo a Guarani. A expansão do AgBalance dentro do setor sucroenergético seria mais uma forma de demonstrar a sustentabilidade da atuação de nossas empresas," avalia o diretor executivo da UNICA, Eduardo Leão de Sousa.
Guarani
No caso da Guarani, o AgBalance foi aplicado em avaliações feitas em duas unidades: a Andrade, no município de Pitangueiras e a Cruz Alta, na cidade de Olímpia, ambas na região noroeste do estado de São Paulo. Aspectos econômicos, sociais e ambientais envolvendo toda a cadeia de suprimentos foram analisados, tendo como base a produção de 100 toneladas de cana nas duas unidades durante a safra 2010/11. Entre os dados produzidos está uma avaliação do uso da vinhaça e de outros subprodutos do processamento de cana, como a torta de filtro, como opções aos fertilizantes minerais.
“Nossa expectativa é que a metodologia AgBalance continue apresentando dados concretos que nos permitam enxergar com clareza as oportunidades de melhoria no processo de gestão de sustentabilidade em curso na empresa,” explica Jacyr da Silva Costa Filho, diretor-presidente da Guarani e conselheiro da UNICA.
 
Para Jaime Stupiello, diretor agrícola da Guarani, os resultados atingidos até aqui são promissores. “Estamos orgulhosos de termos sido escolhidos pela BASF para utilizar esta metodologia. O AgBalance nos possibilita mensurar nossos impactos, ajudando nossa gestão de sustentabilidade. O próximo passo é aplicar a ferramenta nas outras unidades e incluir o processo industrial,” concluiu.