atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Biosev inaugura usina termelétrica movida a bagaço de cana-de-açúcar

20/06/2013 Cana-de-Açúcar POR: Agrolink com informações de assessoria
A Biosev, segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, inaugurou na quarta-feira, 19 de junho, a Usina Termelétrica (UTE) Passa Tempo, localizada na unidade da empresa de mesmo nome na cidade de Rio Brilhante, no Mato Grosso do Sul. Esta é nona  cogeradora da empresa com capacidade para exportação de energia, de um total de 12.
A UTE, cujo combustível é o bagaço de cana residual do processo produtivo da unidade, foi construída em 20 meses e contou com um investimento de R$ 163 milhões, com apoio financeiro do Banco do Brasil através do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Será capaz de gerar até 50 MW de energia elétrica excedente, o suficiente para abastecer uma cidade de até 300 mil habitantes.
O princípio de funcionamento da UTE Passa Tempo é o mesmo de uma termelétrica comum. Entretanto, em vez do carvão ou do gás natural, combustíveis não-renováveis, é utilizado o bagaço da cana - resíduo obtido após a moagem para a produção de açúcar e etanol - como fonte de energia para o aquecimento das caldeiras produtoras de vapor que movimentam as turbinas responsáveis pela geração de eletricidade. 
Com tecnologia 100% nacional, a termelétrica é composta por três turbinas geradoras, uma de 17,8 MW, e duas de 30 MW. O empreendimento possui, ainda, um sistema de transmissão de interesse restrito (linhão) com cerca de 76 km de extensão e interligado à Subestação  Sidrolândia, de propriedade da Brilhante Transmissora de Energia, que irá receber a energia exportada, conforme definido no leilão A-3 de 2011 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em períodos de entressafra ou de baixo estoque de bagaço, a UTE poderá operar com menor capacidade, com apenas uma ou duas unidades geradoras.
Segundo Evandro Pause, COO da Biosev, a inauguração da UTE Passa Tempo é mais uma comprovação da qualificação dos ativos da empresa. "Além de garantir a produção de energia para consumo próprio da nossa usina, o investimento da companhia nesta cogeração também reforça nossa preocupação em fornecer energia limpa e sustentável para o desenvolvimento do País e das regiões onde atuamos", explica. 
Com o início da operação da UTE Passa Tempo, a Biosev amplia sua capacidade de cogeração e todas as 12 termelétricas da empresa podem gerar mais de 540 MW, capazes de abastecer uma cidade com mais de 1,5 milhão de habitantes.
A Biosev, segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, inaugurou na quarta-feira, 19 de junho, a Usina Termelétrica (UTE) Passa Tempo, localizada na unidade da empresa de mesmo nome na cidade de Rio Brilhante, no Mato Grosso do Sul. Esta é nona  cogeradora da empresa com capacidade para exportação de energia, de um total de 12.
A UTE, cujo combustível é o bagaço de cana residual do processo produtivo da unidade, foi construída em 20 meses e contou com um investimento de R$ 163 milhões, com apoio financeiro do Banco do Brasil através do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Será capaz de gerar até 50 MW de energia elétrica excedente, o suficiente para abastecer uma cidade de até 300 mil habitantes.
O princípio de funcionamento da UTE Passa Tempo é o mesmo de uma termelétrica comum. Entretanto, em vez do carvão ou do gás natural, combustíveis não-renováveis, é utilizado o bagaço da cana - resíduo obtido após a moagem para a produção de açúcar e etanol - como fonte de energia para o aquecimento das caldeiras produtoras de vapor que movimentam as turbinas responsáveis pela geração de eletricidade. 
Com tecnologia 100% nacional, a termelétrica é composta por três turbinas geradoras, uma de 17,8 MW, e duas de 30 MW. O empreendimento possui, ainda, um sistema de transmissão de interesse restrito (linhão) com cerca de 76 km de extensão e interligado à Subestação  Sidrolândia, de propriedade da Brilhante Transmissora de Energia, que irá receber a energia exportada, conforme definido no leilão A-3 de 2011 pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Em períodos de entressafra ou de baixo estoque de bagaço, a UTE poderá operar com menor capacidade, com apenas uma ou duas unidades geradoras.
Segundo Evandro Pause, COO da Biosev, a inauguração da UTE Passa Tempo é mais uma comprovação da qualificação dos ativos da empresa. "Além de garantir a produção de energia para consumo próprio da nossa usina, o investimento da companhia nesta cogeração também reforça nossa preocupação em fornecer energia limpa e sustentável para o desenvolvimento do País e das regiões onde atuamos", explica. 
Com o início da operação da UTE Passa Tempo, a Biosev amplia sua capacidade de cogeração e todas as 12 termelétricas da empresa podem gerar mais de 540 MW, capazes de abastecer uma cidade com mais de 1,5 milhão de habitantes.