atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Biosev prevê elevar moagem de cana em 12% em 13/14

12/06/2013 Cana-de-Açúcar POR: Reuters
A Biosev, divisão de energia da francesa Louis Dreyfus Commodities no Brasil, prevê elevar a moagem de cana em 12 por cento em 2013/14, para 33 milhões de toneladas, o que poderá ajudar a empresa a reverter os prejuízos recentes, disse nesta quarta-feira o presidente da companhia.
"Estamos crescendo de maneira saudável, enchendo nossas plantas. Isso se vê no nosso faturamento e na nossa geração de caixa", afirmou o presidente-executivo da Biosev, Christophe Akli, em entrevista à Reuters.
O executivo observou que a companhia investiu 1,3 bilhão de reais nos ativos durante a temporada passada, estável com o ano anterior, o que permitiu a renovação doscanaviais, resultando em um esperado aumento de produtividade e uso da capacidade em 13/14.
"Fizemos mais com o mesmo dinheiro... Isso é importante, a gente investiu, plantou 4 por cento a mais e mecanizou mais o nosso canavial...", disse o executivo, após a divulgação de seu primeiro resultado financeiro após a Oferta Pública de Ações.
A segunda produtora de açúcar e etanol do Brasil, atrás da Raízen, do grupo Cosan, divulgou na terça-feira prejuízo líquido de 185,4 milhões de reais no último trimestre referente à safra 12/13.
A companhia prevê elevar o uso da capacidade de moagem de cana a 87 por cento em 13/14, ante 73,7 por cento no ciclo anterior, segundo o executivo.
A Biosev deu início a um processo de expansão e otimização do uso da capacidade e prevê elevar a capacidade de moagem em 6 milhões de toneladas, sobre as atuais 38 milhões de toneladas em capacidade instalada.
O executivo não especificou um prazo para esta expansão projetada, ressaltando que isso dependerá das condições do mercado.
A empresa estima produção de açúcar em 2,1 milhões de toneladas em 13/14, praticamente o mesmo volume do ano anterior, e projeta produção de etanol em 1,3 bi litros, crescimento de 300 milhões de litros ante 12/13.
Fabíola Gomes
A Biosev, divisão de energia da francesa Louis Dreyfus Commodities no Brasil, prevê elevar a moagem de cana em 12 por cento em 2013/14, para 33 milhões de toneladas, o que poderá ajudar a empresa a reverter os prejuízos recentes, disse nesta quarta-feira o presidente da companhia.
"Estamos crescendo de maneira saudável, enchendo nossas plantas. Isso se vê no nosso faturamento e na nossa geração de caixa", afirmou o presidente-executivo da Biosev, Christophe Akli, em entrevista à Reuters.
O executivo observou que a companhia investiu 1,3 bilhão de reais nos ativos durante a temporada passada, estável com o ano anterior, o que permitiu a renovação doscanaviais, resultando em um esperado aumento de produtividade e uso da capacidade em 13/14.
"Fizemos mais com o mesmo dinheiro... Isso é importante, a gente investiu, plantou 4 por cento a mais e mecanizou mais o nosso canavial...", disse o executivo, após a divulgação de seu primeiro resultado financeiro após a Oferta Pública de Ações.
A segunda produtora de açúcar e etanol do Brasil, atrás da Raízen, do grupo Cosan, divulgou na terça-feira prejuízo líquido de 185,4 milhões de reais no último trimestre referente à safra 12/13.
A companhia prevê elevar o uso da capacidade de moagem de cana a 87 por cento em 13/14, ante 73,7 por cento no ciclo anterior, segundo o executivo.
A Biosev deu início a um processo de expansão e otimização do uso da capacidade e prevê elevar a capacidade de moagem em 6 milhões de toneladas, sobre as atuais 38 milhões de toneladas em capacidade instalada.
O executivo não especificou um prazo para esta expansão projetada, ressaltando que isso dependerá das condições do mercado.
A empresa estima produção de açúcar em 2,1 milhões de toneladas em 13/14, praticamente o mesmo volume do ano anterior, e projeta produção de etanol em 1,3 bi litros, crescimento de 300 milhões de litros ante 12/13.
Fabíola Gomes