atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Biosev registra lucro líquido de R$163 mi no 3T16

12/02/2016 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria de imprensa Biosev
A Biosev S.A. (BSEV3:BM&FBOVESPA), segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, fechou o terceiro trimestre do ano safra 2015/16 com lucro líquido de R$ 163 milhões, uma reversão de R$ 249 milhões em relação ao mesmo período da safra anterior.  A produtividade da empresa aumentou 18,2% no período, alcançando 71,1 toneladas de cana por hectare (TCH), impulsionada principalmente pelos Polos de Ribeirão Preto e Mato Grosso do Sul, que tiveram crescimento de 26% e 14%, respectivamente.  
A produção medida pelo ATR Total aumentou 30% e alcançou 1 milhão de toneladas. A moagem da companhia cresceu 37,2% em relação ao mesmo período da safra anterior, para 7,9 milhões de toneladas, chegando a 28,6 milhões de toneladas no acumulado de nove meses. A moagem segue nas usinas do Nordeste, onde a safra tem um ciclo diferente do Centro-Sul, e no Mato Grosso do Sul, onde a Biosev opera em sistema de rodízio para otimizar a disponibilidade dos equipamentos para a moagem, preservado o programa de manutenção.
A receita líquida subiu 64,1%, para R$ 1,7 bilhão, impulsionada pelos maiores volumes vendidos e melhores preços do açúcar e do etanol, que avançaram 33,5% e 19,5% respectivamente no período. O EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciações, amortizações e variações no valor justo do ativo biológico) foi de R$ 437,6 milhões no 3T16, aumento de 30,8% ante o 3T15. 
“É com satisfação que anunciamos o lucro registrado pela Biosev no terceiro trimestre. O resultado reforça a convicção da companhia em seu plano de negócios, com foco na constante melhoria operacional e na gestão financeira eficiente e disciplinada, além de indicar que estamos preparados para capturar as oportunidades com a retomada do ciclo mundial da indústria”, disse o presidente da Biosev, Rui Chammas. 
Sobre a Biosev
A Biosev é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, com 11 unidades em operação, estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais: Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste e Leme e Lagoa da Prata. A companhia, controlada pela Louis Dreyfus Commodities Holdings, iniciou sua atuação na indústria de açúcar-etanol em 2000 com a aquisição de sua primeira unidade no Brasil. Atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar e 1.346 GWh/ano de energia elétrica renovável excedente, gerada a partir da utilização do bagaço de cana-de-açúcar e outras biomassas. Para armazenagem e movimentação de açúcar, a empresa possui uma joint venture no TEAG - Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá Ltda. Em 2013, a empresa ingressou no Novo Mercado da BM&FBovespa, segmento que adota os mais altos padrões de governança corporativa. www.biosev.com
A Biosev S.A. (BSEV3:BM&FBOVESPA), segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, fechou o terceiro trimestre do ano safra 2015/16 com lucro líquido de R$ 163 milhões, uma reversão de R$ 249 milhões em relação ao mesmo período da safra anterior.  A produtividade da empresa aumentou 18,2% no período, alcançando 71,1 toneladas de cana por hectare (TCH), impulsionada principalmente pelos Polos de Ribeirão Preto e Mato Grosso do Sul, que tiveram crescimento de 26% e 14%, respectivamente.  
A produção medida pelo ATR Total aumentou 30% e alcançou 1 milhão de toneladas. A moagem da companhia cresceu 37,2% em relação ao mesmo período da safra anterior, para 7,9 milhões de toneladas, chegando a 28,6 milhões de toneladas no acumulado de nove meses. A moagem segue nas usinas do Nordeste, onde a safra tem um ciclo diferente do Centro-Sul, e no Mato Grosso do Sul, onde a Biosev opera em sistema de rodízio para otimizar a disponibilidade dos equipamentos para a moagem, preservado o programa de manutenção.
A receita líquida subiu 64,1%, para R$ 1,7 bilhão, impulsionada pelos maiores volumes vendidos e melhores preços do açúcar e do etanol, que avançaram 33,5% e 19,5% respectivamente no período. O EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciações, amortizações e variações no valor justo do ativo biológico) foi de R$ 437,6 milhões no 3T16, aumento de 30,8% ante o 3T15. 
“É com satisfação que anunciamos o lucro registrado pela Biosev no terceiro trimestre. O resultado reforça a convicção da companhia em seu plano de negócios, com foco na constante melhoria operacional e na gestão financeira eficiente e disciplinada, além de indicar que estamos preparados para capturar as oportunidades com a retomada do ciclo mundial da indústria”, disse o presidente da Biosev, Rui Chammas. 
Sobre a Biosev
A Biosev é a segunda maior processadora de cana-de-açúcar do mundo, com 11 unidades em operação, estrategicamente organizadas em cinco polos agroindustriais: Ribeirão Preto, Mato Grosso do Sul, Nordeste e Leme e Lagoa da Prata. A companhia, controlada pela Louis Dreyfus Commodities Holdings, iniciou sua atuação na indústria de açúcar-etanol em 2000 com a aquisição de sua primeira unidade no Brasil. Atualmente tem capacidade de processamento de 36,4 milhões de toneladas/ano de cana-de-açúcar e 1.346 GWh/ano de energia elétrica renovável excedente, gerada a partir da utilização do bagaço de cana-de-açúcar e outras biomassas. Para armazenagem e movimentação de açúcar, a empresa possui uma joint venture no TEAG - Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá Ltda. Em 2013, a empresa ingressou no Novo Mercado da BM&FBovespa, segmento que adota os mais altos padrões de governança corporativa. www.biosev.com