atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

BNDES aprova R$ 592,1 mi para 4 projetos do setor sucroenergético

23/12/2014 Cana-de-Açúcar POR: Luciana Bruno - Reuters
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamentos a quatro projetos do setor sucroenergético, no valor total de 592,1 milhões de reais, informou a instituição nesta quinta-feira.
A maior operação será com a Abengoa Bioenergia Agroindústria, que receberá 309,6 milhões de reais para implantar planta de etanol de segunda geração (2G).
Também foi aprovado crédito à Biovertis Produção Agrícola, de Barra de São Miguel, Alagoas, que receberá 139,3 milhões de reais. Os recursos serão destinados a investimentos em um sistema de manejo para cana-energia, um tipo de cana-de-açúcar com alta produtividade e maior concentração de biomassa.
Já a Raízen Energia teve aprovado crédito de 4,5 milhões de reais, cujo objetivo é viabilizar novas técnicas de propagação de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar, segundo o banco de desenvolvimento.
A Cerradinho Bioenergia, por sua vez, terá financiamento de 138,8 milhões de reais para investimentos em pesquisa e desenvolvimento relacionados à implantação de sistema de limpeza a seco de cana-de-açúcar e à implantação de sistema de recepção e separação de fardos de palha de braquiária e de cana-de-açúcar na unidade industrial de Chapadão do Céu, Goiás.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamentos a quatro projetos do setor sucroenergético, no valor total de 592,1 milhões de reais, informou a instituição nesta quinta-feira.
A maior operação será com a Abengoa Bioenergia Agroindústria, que receberá 309,6 milhões de reais para implantar planta de etanol de segunda geração (2G).
Também foi aprovado crédito à Biovertis Produção Agrícola, de Barra de São Miguel, Alagoas, que receberá 139,3 milhões de reais. Os recursos serão destinados a investimentos em um sistema de manejo para cana-energia, um tipo de cana-de-açúcar com alta produtividade e maior concentração de biomassa.
Já a Raízen Energia teve aprovado crédito de 4,5 milhões de reais, cujo objetivo é viabilizar novas técnicas de propagação de mudas pré-brotadas de cana-de-açúcar, segundo o banco de desenvolvimento.
A Cerradinho Bioenergia, por sua vez, terá financiamento de 138,8 milhões de reais para investimentos em pesquisa e desenvolvimento relacionados à implantação de sistema de limpeza a seco de cana-de-açúcar e à implantação de sistema de recepção e separação de fardos de palha de braquiária e de cana-de-açúcar na unidade industrial de Chapadão do Céu, Goiás.