atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

BNDES financia 20% da demanda por plantio de cana no ano

11/01/2013 Cana-de-Açúcar POR: Valor Econômico
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a renovação por mais um ano do Prorenova, linha de crédito especial para financiar renovação e expansão de áreas de cana-de-açúcar no país. Novamente, o banco vai destinar R$ 4 bilhões ao programa, que seguirá até 31 de dezembro de 2013. Em 2012, os recursos do Prorenova atingiram 20% da demanda média anual por plantio de cana no Brasil.
No ano passado, primeiro de operação do programa, foram desembolsados R$ 480 milhões, um pouco mais de 10% dos R$ 4 bilhões disponíveis. Do total liberado, 80% foi para renovação de 320 mil hectares de cana, basicamente em São Paulo e no Paraná, e os 20% restantes para expansão de 80 mil hectares.
"Considerando que o Brasil renova 1,6 milhão de hectares por safra, o Prorenova atingiu no seu primeiro ano um market share de 20%", destaca o chefe do Departamento de Biocombustíveis do BNDES, Carlos Eduardo Cavalcanti.
Ao longo do ano passado, o Prorenova passou por uma série de adaptações para se encaixar às necessidades do setor. Agora em 2013, "com bancos e empresas familiarizadas com o programa", o BNDES espera um crescimento mais significativo dos desembolsos nessa área. Na carteira de 2013, o banco de fomento tem R$ 930 milhões em projetos do Prorenova.
Algumas alterações foram feitas na nova edição do Prorenova. Entre elas, a de aumento do limite de financiamento por hectare de cana plantado no âmbito do projeto de investimento, que passou de R$ 4,350 mil para R$ 5,450 mil. O limite passará a levar em consideração somente a parte financiada pelo BNDES.
O banco informou ainda que somente poderão ser financiados projetos de plantio de cana realizados entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2013. Entretanto, todos os gastos para a preparação do plantio que tenham sido feitos a partir de 1º de julho de 2012 podem ser reembolsados. Diferentemente do que ocorreu na primeira edição do Prorenova, a data da retroatividade valerá tanto para operações indiretas automáticas como para as não automáticas.
Ontem, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar confirmou a expectativa do mercado ao noticiar que a safra 2012/13 na região praticamente foi finalizada com produção de 34,072 milhões de toneladas de açúcar, 8,84% maior do que as 31,3 milhões de toneladas produzidas em 2011/12. Apesar disso, as cotações em Nova York subiram 23 centavos, a 19,21 centavos de dólar por libra-peso (maio), em sinal de que a produção maior já havia sido precificada.
Fabiana Batista