atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Broca-da-cana causa severos prejuízos à cana-de-açúcar

16/06/2015 Cana-de-Açúcar POR: CanaOnline
A Broca-da-cana (Diatrea saccharalis) continua sendo uma das principais pragas que atacam a cultura da cana-de-açúcar. Embora possa ser encontrada em todo o território nacional, os estados quentes, como São Paulo, Goiás e Minas Gerais, possuem os mais altos índices de infestação dessa praga, com valores que variam entre 3% a 10%. Conhecida como a praga dos três As (água, abrigo e alimento), a Broca tem seus picos populacionais nos períodos úmidos.
Quando jovem, a lagarta alimenta-se das folhas para depois penetrar pelas partes mais moles do colmo. Nesse momento, ela abre galerias de baixo para cima, que podem ser longitudinais ou transversais. Os danos diretos causados pela abertura dessas galerias passam pela perda de peso, morte da gema apical da planta, enraizamento aéreo, germinação das gemais laterais, até o tombamento da cana pelo vento (caso as galerias forem transversais). Em canas novas, a broca pode causar também o secamento dos ponteiros e morte da planta (dano conhecido como "coração morto").
A incidência de Broca em cana-de-açúcar e diferentes tecnologias de controle serão abordadas no 11° Seminário sobre Controle de Pragas de Cana (Insectshow), que acontece no Centro de Convenções de Ribeirão Preto, nos dias 29 e 30 de julho. As inscrições podem ser feitas pelo site: www.ideaonline.com.br, onde também é possível obter mais informações sobre o evento.
A Broca-da-cana (Diatrea saccharalis) continua sendo uma das principais pragas que atacam a cultura da cana-de-açúcar. Embora possa ser encontrada em todo o território nacional, os estados quentes, como São Paulo, Goiás e Minas Gerais, possuem os mais altos índices de infestação dessa praga, com valores que variam entre 3% a 10%. Conhecida como a praga dos três As (água, abrigo e alimento), a Broca tem seus picos populacionais nos períodos úmidos.
Quando jovem, a lagarta alimenta-se das folhas para depois penetrar pelas partes mais moles do colmo. Nesse momento, ela abre galerias de baixo para cima, que podem ser longitudinais ou transversais. Os danos diretos causados pela abertura dessas galerias passam pela perda de peso, morte da gema apical da planta, enraizamento aéreo, germinação das gemais laterais, até o tombamento da cana pelo vento (caso as galerias forem transversais). Em canas novas, a broca pode causar também o secamento dos ponteiros e morte da planta (dano conhecido como "coração morto").
A incidência de Broca em cana-de-açúcar e diferentes tecnologias de controle serão abordadas no 11° Seminário sobre Controle de Pragas de Cana (Insectshow), que acontece no Centro de Convenções de Ribeirão Preto, nos dias 29 e 30 de julho. As inscrições podem ser feitas pelo site: www.ideaonline.com.br, onde também é possível obter mais informações sobre o evento.