atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Cana: Pine reduz estimativa para safra no Centro-Sul em 3,3%

22/05/2014 Cana-de-Açúcar POR: Agencia Estado
O Banco Pine cortou nesta quinta-feira, 22, sua estimativa para a safra 2014/15 de cana-de-açúcar no Centro-Sul do Brasil em 3,3%, para 579 milhões de toneladas (20 milhões de toneladas a menos em relação à projeção anterior). Caso a estimativa se confirme, seria um processamento 2,8% menor ante as 596 milhões de toneladas de 2013/14. Conforme a instituição, a redução deve-se à severa estiagem no início do ano, que comprometeu o desenvolvimento dos canaviais, além das próprias dificuldades pelas quais passa o setor sucroalcooleiro.
A produção de açúcar foi estimada pelo Pine em 31,9 milhões de toneladas (-6,9% na comparação anual), enquanto a de etanol deve atingir 25,7 bilhões de litros (+0,7%), dos quais 14,2 bilhões de litros de hidratado (-2,5%) e 11,5 bilhões de litros de anidro (+4,9%). Os níveis de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) devem subir 0,5%, para 134 kg por tonelada de cana processada.
Com relação ao mix de produção, a instituição vai em linha com o previsto por outras consultorias e também pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). De acordo com o Pine, 57% da oferta de matéria-prima será direcionada para a fabricação de etanol, porcentual que em 2013/14 foi de 54,9%. 'Apesar da manutenção da política de subsídio ao consumo de gasolina no Brasil, o etanol remunerou as usinas, em média, melhor que o açúcar para exportação por todo o 1º trimestre de 2014, e isso deve exercer uma influência positiva na produção de etanol por toda a safra. Nosso modelo indica um aumento de 3% no mix de etanol frente à safra passada, chegando a 57% do total de ATR produzido durante a safra', comenta o banco, em comunicado.
O Pine prevê, ainda, que o próximo relatório quinzenal de acompanhamento de safra da Unica, referente à primeira metade de maio, apontará uma moagem menor na comparação com igual período do ano passado. Apesar das condições climáticas favoráveis aos trabalhos de campo, menos usinas estavam em operação ante um ano atrás - o banco fala em 280 unidades trabalhando. Dessa forma, espera-se que o processamento de cana no período seja de 37,7 milhões de toneladas (-7,5%), com 1,73 milhão de toneladas de açúcar (-17,2%) e 1,51 bilhão de litros de etanol (-8,8%).