atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Canaoeste reúne fornecedores de cana em Barretos (SP)

02/09/2016 Noticias do Sistema POR: Fernanda Clariano, Revista Canavieiros – edição 122
A cidade de Barretos (SP) é muito conhecida por sediar uma das maiores festas de rodeio. A economia do município é baseada principalmente na produção de carne, citrus, borracha, grãos e mais recentemente na cana-de-açúcar, que vem ganhando espaço.
Dada sua representatividade e a importância que a cidade representa para a Canaoeste (Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo), Barretos foi escolhida para sediar o início do ciclo de encontros técnicos do segundo semestre de 2016.
A reunião aconteceu no dia 20 de julho, na sala Montana, no Barretos Country Hotel, e contou com a presença dos diretores e equipe técnica da entidade. Também prestigiaram o evento o diretor da Copercana, Pedro Esrael Bighetti; o veterinário da Copercana, Gustavo Lopes; Representantes do Sindicato Rural de Barretos e mais de 100 pessoas entre associados e convidados.
Hoje a Canaoeste abrange 80 municípios com 12 escritórios regionais contando com Sertãozinho que é a matriz e o encontro técnico tem percorrido todas as áreas de abrangência da associação.
O objetivo é apresentar aos associados o novo modelo proposto pela entidade, bem como mostrar a sua representatividade no âmbito político, ambiental e econômico do setor de um modo geral. Outro ponto é promover maior interação com os fornecedores e por meio de palestras técnicas, mostrar uma visão geral sobre os derivados da cana, incluindo preços, deficit, oferta e demanda, manejo e produtos, podendo assim colaborar com o produtor em suas tomadas de decisões.
Em noite bastante concorrida, os participantes acompanharam, durante a abertura, a explanação do presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, que fez um traçado sobre a entidade, a importância do associativismo e o trabalho que vem sendo desenvolvido em Barretos. “A Canaoeste e a Copercana começaram um trabalho na região de Barretos há poucos anos e tentam no dia a dia se firmar nessa região. Em um primeiro momento, estamos retomando as atividades da Associação no município com um time novo, pronto para atender os fornecedores em suas necessidades”, afirmou Ortolan que também enfatizou o fato de poder contar com o apoio do Sindicato Rural e com um grande número de participantes. “Tivemos nessa reunião o apoio do Sindicato Rural de Barretos, na pessoa do presidente, Ciro Ferreira Pena, que não esteve presente, mas que enviou um representante. O Sindicato é forte na região de Barretos e nos ajudou muito convocando as pessoas a participar e, com isso, fomos surpreendidos pelo número de participantes que prestigiaram a reunião”, afirmou.
Conteúdo técnico
As perspectivas do mercado mundial de açúcar e seus reflexos na produção brasileira da commodity assim como informações atuais sobre o futuro para o etanol, pontuando demandas e desafios foram os assuntos discutidos pelo gestor corporativo da Canaoeste, Almir Torcato.
“Mais do que apresentar a parte econômica do nosso setor sucroalcooleiro, do mercado do açúcar e do etanol, essa reunião é uma prestação de contas aos associados que estiveram presentes e até então não conheciam todo o trabalho que é feito dentro da associação e para o setor como um todo. A Canaoeste está à disposição do associado. Participar dessa empreitada, dessa nova Canaoeste, dessa nova visão, é uma satisfação muito grande para mim, como gestor desse projeto, que é maravilhoso”, destacou Torcato
Já o pesquisador do IAC e professor, dr. Carlos Alberto Azânia, ministrou palestra sobre “Manejo de plantas daninhas na cultura de cana-de-açúcar”, onde abordou a questão da importância do manejo citando a necessidade de se fazer o controle com aplicações de herbicidas, evitando-se, assim, o aumento do banco de sementes das plantas daninhas.
O pesquisador também contextualizou desde os prejuízos que as plantas daninhas causam, as melhores formas de controle, como escolher um herbicida em função da sua época de aplicação, em função das suas características químicas, da identificação das plantas daninhas e as maneiras mais eficazes de aplicar herbicidas de modo que se tenha controles mais eficazes. De acordo com o pesquisador, o manejo inadequado pode trazer ineficácia no controle e as perdas por plantas daninhas podem atingir até 85% de prejuízo para o canavial.
A programação da noite terminou com a apresentação das soluções tecnológicas da DuPont para o controle de plantas daninhas feita pelo assistente técnico da multinacional, Danilo Cobacho, que destacou o portfólio da empresa dando ênfase ao herbicida Front.
Depoimentos
“Estou muito feliz em poder contribuir com os fornecedores de Barretos por meio do meu trabalho, que é dar suporte de campo agronômico, desde o plantio até a colheita, com todas as técnicas de melhorias, produtividade e redução de custo. Um evento como este encontro é para agregar conhecimento e poder ver que os fornecedores de Barretos aderiram e mostraram interesse e isso é muito gratificante”, disse o técnico agrícola responsável pela filial de Barretos, Giovanni César Mossin.
“A Canaoeste está de parabéns por esse novo modelo, pois tem aproximado mais a associação junto ao associado e isso também é importante. O trabalho técnico que vem sendo realizado é muito bom e a cada dia que passa estou mais satisfeito. O produtor que contribui com a associação quer ver resultados para se sentir satisfeito e hoje estou vendo uma Canaoeste empenhada em atender o produtor e isso é gratificante”, comentou o associado da cidade de Colina, Oscar Barcellos Neto.
“Hoje há um trabalho bastante interessante desenvolvido pelo técnico agrícola da Canaoeste, Giovanni Mossin, e pelo agrônomo da Copercana, Anézio Meloni Neto, que tem dado um grande suporte na área de compras e no campo. Essa reestruturação da Canaoeste vem ao encontro das minhas expectativas”, afirmou o associado Cássio Davi de Albuquerque Furtado.
“Achei muito bom o conteúdo apresentado, principalmente do Manoel Ortolan, explanando sobre a nova Associação e as palestras técnicas também foram muito boas. Essa reestruturação está dando sinais de que tem tudo para ser um sucesso, eu acredito que irá trazer muito mais benefícios”, observou o associado de Barretos e Severínia, Pedro Antônio Abdalla.
A cidade de Barretos (SP) é muito conhecida por sediar uma das maiores festas de rodeio. A economia do município é baseada principalmente na produção de carne, citrus, borracha, grãos e mais recentemente na cana-de-açúcar, que vem ganhando espaço.

 
Dada sua representatividade e a importância que a cidade representa para a Canaoeste (Associação dos Plantadores de Cana do Oeste do Estado de São Paulo), Barretos foi escolhida para sediar o início do ciclo de encontros técnicos do segundo semestre de 2016.

 
A reunião aconteceu no dia 20 de julho, na sala Montana, no Barretos Country Hotel, e contou com a presença dos diretores e equipe técnica da entidade. Também prestigiaram o evento o diretor da Copercana, Pedro Esrael Bighetti; o veterinário da Copercana, Gustavo Lopes; Representantes do Sindicato Rural de Barretos e mais de 100 pessoas entre associados e convidados.

 
Hoje a Canaoeste abrange 80 municípios com 12 escritórios regionais contando com Sertãozinho que é a matriz e o encontro técnico tem percorrido todas as áreas de abrangência da associação.

 
O objetivo é apresentar aos associados o novo modelo proposto pela entidade, bem como mostrar a sua representatividade no âmbito político, ambiental e econômico do setor de um modo geral. Outro ponto é promover maior interação com os fornecedores e por meio de palestras técnicas, mostrar uma visão geral sobre os derivados da cana, incluindo preços, deficit, oferta e demanda, manejo e produtos, podendo assim colaborar com o produtor em suas tomadas de decisões.

 
Em noite bastante concorrida, os participantes acompanharam, durante a abertura, a explanação do presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, que fez um traçado sobre a entidade, a importância do associativismo e o trabalho que vem sendo desenvolvido em Barretos. “A Canaoeste e a Copercana começaram um trabalho na região de Barretos há poucos anos e tentam no dia a dia se firmar nessa região. Em um primeiro momento, estamos retomando as atividades da Associação no município com um time novo, pronto para atender os fornecedores em suas necessidades”, afirmou Ortolan que também enfatizou o fato de poder contar com o apoio do Sindicato Rural e com um grande número de participantes.


“Tivemos nessa reunião o apoio do Sindicato Rural de Barretos, na pessoa do presidente, Ciro Ferreira Pena, que não esteve presente, mas que enviou um representante. O Sindicato é forte na região de Barretos e nos ajudou muito convocando as pessoas a participar e, com isso, fomos surpreendidos pelo número de participantes que prestigiaram a reunião”, afirmou.

 
Conteúdo técnico

 
As perspectivas do mercado mundial de açúcar e seus reflexos na produção brasileira da commodity assim como informações atuais sobre o futuro para o etanol, pontuando demandas e desafios foram os assuntos discutidos pelo gestor corporativo da Canaoeste, Almir Torcato.

 
“Mais do que apresentar a parte econômica do nosso setor sucroalcooleiro, do mercado do açúcar e do etanol, essa reunião é uma prestação de contas aos associados que estiveram presentes e até então não conheciam todo o trabalho que é feito dentro da associação e para o setor como um todo. A Canaoeste está à disposição do associado. Participar dessa empreitada, dessa nova Canaoeste, dessa nova visão, é uma satisfação muito grande para mim, como gestor desse projeto, que é maravilhoso”, destacou Torcato.

 
Já o pesquisador do IAC e professor, dr. Carlos Alberto Azânia, ministrou palestra sobre “Manejo de plantas daninhas na cultura de cana-de-açúcar”, onde abordou a questão da importância do manejo citando a necessidade de se fazer o controle com aplicações de herbicidas, evitando-se, assim, o aumento do banco de sementes das plantas daninhas.

 
O pesquisador também contextualizou desde os prejuízos que as plantas daninhas causam, as melhores formas de controle, como escolher um herbicida em função da sua época de aplicação, em função das suas características químicas, da identificação das plantas daninhas e as maneiras mais eficazes de aplicar herbicidas de modo que se tenha controles mais eficazes. De acordo com o pesquisador, o manejo inadequado pode trazer ineficácia no controle e as perdas por plantas daninhas podem atingir até 85% de prejuízo para o canavial.

 
A programação da noite terminou com a apresentação das soluções tecnológicas da DuPont para o controle de plantas daninhas feita pelo assistente técnico da multinacional, Danilo Cobacho, que destacou o portfólio da empresa dando ênfase ao herbicida Front.

 
Depoimentos

 
“Estou muito feliz em poder contribuir com os fornecedores de Barretos por meio do meu trabalho, que é dar suporte de campo agronômico, desde o plantio até a colheita, com todas as técnicas de melhorias, produtividade e redução de custo. Um evento como este encontro é para agregar conhecimento e poder ver que os fornecedores de Barretos aderiram e mostraram interesse e isso é muito gratificante”, disse o técnico agrícola responsável pela filial de Barretos, Giovanni César Mossin.

 
“A Canaoeste está de parabéns por esse novo modelo, pois tem aproximado mais a associação junto ao associado e isso também é importante. O trabalho técnico que vem sendo realizado é muito bom e a cada dia que passa estou mais satisfeito. O produtor que contribui com a associação quer ver resultados para se sentir satisfeito e hoje estou vendo uma Canaoeste empenhada em atender o produtor e isso é gratificante”, comentou o associado da cidade de Colina, Oscar Barcellos Neto.

 
“Hoje há um trabalho bastante interessante desenvolvido pelo técnico agrícola da Canaoeste, Giovanni Mossin, e pelo agrônomo da Copercana, Anézio Meloni Neto, que tem dado um grande suporte na área de compras e no campo. Essa reestruturação da Canaoeste vem ao encontro das minhas expectativas”, afirmou o associado Cássio Davi de Albuquerque Furtado.

 
“Achei muito bom o conteúdo apresentado, principalmente do Manoel Ortolan, explanando sobre a nova Associação e as palestras técnicas também foram muito boas. Essa reestruturação está dando sinais de que tem tudo para ser um sucesso, eu acredito que irá trazer muito mais benefícios”, observou o associado de Barretos e Severínia, Pedro Antônio Abdalla.