atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Caravana do setor sucroenergético vai a Brasília pressionar Governo Federal

02/06/2015 Cana-de-Açúcar POR: Igor Savenhago - Revista Canavieiros
Representantes da cadeia produtiva da cana-de-açúcar em Sertãozinho-SP irão a Brasília no próximo dia 10 de junho para participar de uma sessão especial na Câmara dos Deputados, onde irão reforçar as propostas do Movimento pela Retomada do Setor Sucroenergético, que surgiu no final de 2014 com o Pacto Social pelo Emprego e realizou uma grande manifestação, com a presença de 15 mil pessoas, em janeiro. 
Cinco ônibus sairão de Sertãozinho rumo à capital federal. Eles levarão produtores de cana, industriais, membros de associações, sindicatos e do poder público municipal, além de outros apoiadores do movimento. A proposta é integrar a mobilização sertanezina às propostas defendidas pelo deputado federal João Henrique Caldas (SD), da bancada alagoana, que irá discursar durante a sessão no intuito de pressionar o Governo Federal a olhar para as necessidades e externalidades do setor sucroenergético. O prefeito de Sertãozinho, José Alberto Gimenez (PSDB), o presidente do CEISE Br, Antonio Eduardo Tonielo Filho, e o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, também deverão usar a tribuna. 
Uma das reivindicações é que o Governo Federal financie, com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), um programa de retrofit de caldeiras para impulsionar a eficiência na cogeração de energia elétrica pelas usinas, já que a região de Sertãozinho possui várias unidades industriais próximas a linhas de transmissão, o que facilitaria o processo. De acordo com a organização do movimento, isso permitiria movimentar novamente a indústria de base, gerando um círculo virtuoso, com novas contratações de mão de obra e mais movimento no comércio. 
O Movimento pela Retomada do Setor Sucroenergético é uma parceria entre Prefeitura e Câmara de Sertãozinho, CEISE Br, Sindicatos dos Metalúrgicos, do Comércio (Sincomércio) e dos Comerciários (Sincomerciários) de Sertãozinho, Força Sindical, Copercana e Canaoeste, ACIS (Associação Comercial e Industrial de Sertãozinho), Sindinap (Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas), OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e Amasert (Amigos Associados de Sertãozinho). Conta com o apoio da Unica (União da Indústria da Cana-de-Açúcar), da Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética, da Coplacana (Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo), da Coopercitrus (Cooperativa de Produtores Rurais) e do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentos.  
A mobilização é resultado do Pacto Social pelo Emprego, constituído no final de 2014 por diversas entidades com atuação em Sertãozinho para aliviar as dificuldades de renda enfrentadas por trabalhadores demitidos. Entre as ações, houve a adesão de redes de supermercados que se comprometeram a comercializar uma cesta básica sem margem de lucro. 
A união de esforços resultou num grande movimento no dia 27 de janeiro, que reuniu 15 mil pessoas caminhando por duas das principais rodovias que cortam a região: a Armando de Salles Oliveira e a Carlos Tonani. Naquele dia, foi lida uma carta elaborada pelas entidades envolvidas, cobrando mais comprometimento do Executivo Federal na definição de políticas públicas em prol da cadeia canavieira. 
Os interessados em integrar a caravana que vai a Brasília devem procurar a Secretaria de Indústria e Comércio de Sertãozinho e falar com Maísa, pelo telefone (16) 3945-4063.
Representantes da cadeia produtiva da cana-de-açúcar em Sertãozinho-SP irão a Brasília no próximo dia 10 de junho para participar de uma sessão especial na Câmara dos Deputados, onde irão reforçar as propostas do Movimento pela Retomada do Setor Sucroenergético, que surgiu no final de 2014 com o Pacto Social pelo Emprego e realizou uma grande manifestação, com a presença de 15 mil pessoas, em janeiro. 
 
Cinco ônibus sairão de Sertãozinho rumo à capital federal. Eles levarão produtores de cana, industriais, membros de associações, sindicatos e do poder público municipal, além de outros apoiadores do movimento. A proposta é integrar a mobilização sertanezina às propostas defendidas pelo deputado federal João Henrique Caldas (SD), da bancada alagoana, que irá discursar durante a sessão no intuito de pressionar o Governo Federal a olhar para as necessidades e externalidades do setor sucroenergético. O prefeito de Sertãozinho, José Alberto Gimenez (PSDB), o presidente do CEISE Br, Antonio Eduardo Tonielo Filho, e o presidente da Canaoeste, Manoel Ortolan, também deverão usar a tribuna. 
 
Uma das reivindicações é que o Governo Federal financie, com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), um programa de retrofit de caldeiras para impulsionar a eficiência na cogeração de energia elétrica pelas usinas, já que a região de Sertãozinho possui várias unidades industriais próximas a linhas de transmissão, o que facilitaria o processo. De acordo com a organização do movimento, isso permitiria movimentar novamente a indústria de base, gerando um círculo virtuoso, com novas contratações de mão de obra e mais movimento no comércio. 
 
O Movimento pela Retomada do Setor Sucroenergético é uma parceria entre Prefeitura e Câmara de Sertãozinho, CEISE Br, Sindicatos dos Metalúrgicos, do Comércio (Sincomércio) e dos Comerciários (Sincomerciários) de Sertãozinho, Força Sindical, Copercana e Canaoeste, ACIS (Associação Comercial e Industrial de Sertãozinho), Sindinap (Sindicato Nacional dos Aposentados e Pensionistas), OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e Amasert (Amigos Associados de Sertãozinho). Conta com o apoio da Unica (União da Indústria da Cana-de-Açúcar), da Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética, da Coplacana (Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo), da Coopercitrus (Cooperativa de Produtores Rurais) e do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentos.  
 
A mobilização é resultado do Pacto Social pelo Emprego, constituído no final de 2014 por diversas entidades com atuação em Sertãozinho para aliviar as dificuldades de renda enfrentadas por trabalhadores demitidos. Entre as ações, houve a adesão de redes de supermercados que se comprometeram a comercializar uma cesta básica sem margem de lucro. 
 
A união de esforços resultou num grande movimento no dia 27 de janeiro, que reuniu 15 mil pessoas caminhando por duas das principais rodovias que cortam a região: a Armando de Salles Oliveira e a Carlos Tonani. Naquele dia, foi lida uma carta elaborada pelas entidades envolvidas, cobrando mais comprometimento do Executivo Federal na definição de políticas públicas em prol da cadeia canavieira.