atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Centro-Sul deve encerrar safra com moagem recorde de cana

19/10/2015 Cana-de-Açúcar POR: Agência Estado
As usinas e destilarias do Centro-Sul do Brasil devem encerrar a safra 2015/16 com um processamento recorde de 610 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, de acordo com a atualização da estimativa da Canaplan, divulgada nesta sexta-feira (16), na reunião da consultoria, em Ribeirão Preto (SP). O volume, se confirmado, será 5% maior que as 571,3 milhões de t processadas na safra 2014/15 e será um recorde histórico na região. Superará, além da inédita marca de 600 milhões de toneladas, o total de 597,06 milhões de t de cana processado em 2013/14.
O volume é ainda bem maior que a primeira previsão da consultoria, de 566 milhões de toneladas de moagem, feita em abril, e ainda do pico do intervalo estimado à época, de um processamento entre 554,1 milhões de toneladas a 577,9 milhões de toneladas em 2015/16.
No entanto, segundo Luiz Carlos Corrêa Carvalho, sócio da consultoria, a safra será "pobre" em qualidade, já que o Açúcar Total Recuperável por tonelada de cana processada (ATR/t) deve ficar em 131,7 kg de ATR/t em 2015/16, ante 145 kg de ATR/t em 2014/15. A queda ocorre por conta das chuvas em maior volume nesta safra que, em compensação, melhoraram a produtividade dos canaviais.
A produtividade das lavouras, em 85 toneladas de cana por hectare atualmente, deve encerrar a safra em 82 t por hectare. É o melhor desempenho desde 2010/11, superior às 74 t/ha da 2014/15 e bem cima do piso recente, de 68 t/ha em 2011/12. Além disso, 60% dos canaviais colhidos na safra 2015/16 estão até terceiro corte, ou seja, são mais produtivos. 
 As usinas e destilarias do Centro-Sul do Brasil devem encerrar a safra 2015/16 com um processamento recorde de 610 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, de acordo com a atualização da estimativa da Canaplan, divulgada nesta sexta-feira (16), na reunião da consultoria, em Ribeirão Preto (SP). O volume, se confirmado, será 5% maior que as 571,3 milhões de t processadas na safra 2014/15 e será um recorde histórico na região. Superará, além da inédita marca de 600 milhões de toneladas, o total de 597,06 milhões de t de cana processado em 2013/14.
O volume é ainda bem maior que a primeira previsão da consultoria, de 566 milhões de toneladas de moagem, feita em abril, e ainda do pico do intervalo estimado à época, de um processamento entre 554,1 milhões de toneladas a 577,9 milhões de toneladas em 2015/16.
No entanto, segundo Luiz Carlos Corrêa Carvalho, sócio da consultoria, a safra será "pobre" em qualidade, já que o Açúcar Total Recuperável por tonelada de cana processada (ATR/t) deve ficar em 131,7 kg de ATR/t em 2015/16, ante 145 kg de ATR/t em 2014/15. A queda ocorre por conta das chuvas em maior volume nesta safra que, em compensação, melhoraram a produtividade dos canaviais.
A produtividade das lavouras, em 85 toneladas de cana por hectare atualmente, deve encerrar a safra em 82 t por hectare. É o melhor desempenho desde 2010/11, superior às 74 t/ha da 2014/15 e bem cima do piso recente, de 68 t/ha em 2011/12. Além disso, 60% dos canaviais colhidos na safra 2015/16 estão até terceiro corte, ou seja, são mais produtivos. 
 
As usinas e destilarias do Centro-Sul do Brasil devem encerrar a safra 2015/16 com um processamento recorde de 610 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, de acordo com a atualização da estimativa da Canaplan, divulgada nesta sexta-feira (16), na reunião da consultoria, em Ribeirão Preto (SP). O volume, se confirmado, será 5% maior que as 571,3 milhões de t processadas na safra 2014/15 e será um recorde histórico na região. Superará, além da inédita marca de 600 milhões de toneladas, o total de 597,06 milhões de t de cana processado em 2013/14.
O volume é ainda bem maior que a primeira previsão da consultoria, de 566 milhões de toneladas de moagem, feita em abril, e ainda do pico do intervalo estimado à época, de um processamento entre 554,1 milhões de toneladas a 577,9 milhões de toneladas em 2015/16.

No entanto, segundo Luiz Carlos Corrêa Carvalho, sócio da consultoria, a safra será "pobre" em qualidade, já que o Açúcar Total Recuperável por tonelada de cana processada (ATR/t) deve ficar em 131,7 kg de ATR/t em 2015/16, ante 145 kg de ATR/t em 2014/15. A queda ocorre por conta das chuvas em maior volume nesta safra que, em compensação, melhoraram a produtividade dos canaviais.
A produtividade das lavouras, em 85 toneladas de cana por hectare atualmente, deve encerrar a safra em 82 t por hectare. É o melhor desempenho desde 2010/11, superior às 74 t/ha da 2014/15 e bem cima do piso recente, de 68 t/ha em 2011/12. Além disso, 60% dos canaviais colhidos na safra 2015/16 estão até terceiro corte, ou seja, são mais produtivos.