atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Chuvas atrasam colheita de cana em Mato Grosso do Sul, informa Biosul

09/10/2015 Cana-de-Açúcar POR: Agência Estado
As usinas de Mato Grosso do Sul moeram 2,71 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na segunda quinzena de setembro. O volume corresponde a um aumento de 39,8% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), divulgados nesta quinta, 8.
Segundo a Biosul, no mês de setembro choveu o dobro da média histórica na região, alcançando 232 mm. Na média, as usinas perderam entre 3 e 4 dias de operação a cada quinzena. Segundo o presidente da Biosul, Roberto Hollanda, ao longo da safra, a chuva atrasou a produção do Estado em cerca de 3 milhões de toneladas. No entanto, como o período de moagem vai ser estendido, é possível recuperar esse déficit, disse Hollanda, em comunicado. A safra 2015/16 no Estado começou em abril e deve se prolongar até janeiro de 2016. Normalmente, as usinas entram em período de manutenção entre novembro e dezembro.
O volume acumulado de cana-de-açúcar processada pelos associados da Biosul, nesta safra 2015/16, até o momento, é de 33,11 milhões de toneladas, 15,15% maior em relação ao mesmo período da safra anterior. Até a segunda quinzena de setembro, foram produzidas 965 mil toneladas de açúcar, volume 9,98% maior do que a produção registrada na safra anterior, que foi de 877 mil toneladas.
A produção de etanol total, no acumulado até 30 de setembro, é de 1,94 bilhão de litros, volume 19,6% maior do que na safra 2014/15. Desse total, 459,45 milhões de litros são de etanol anidro e 1,490 bilhão de litros de etanol hidratado.
O índice que mede a qualidade da matéria prima, o ATR (Açúcares Totais Recuperáveis por tonelada de cana) atingiu 130,29 kg no acumulado da safra, volume 1,5% maior do que em 2014/15. 
As usinas de Mato Grosso do Sul moeram 2,71 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na segunda quinzena de setembro. O volume corresponde a um aumento de 39,8% em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), divulgados nesta quinta, 8.
Segundo a Biosul, no mês de setembro choveu o dobro da média histórica na região, alcançando 232 mm. Na média, as usinas perderam entre 3 e 4 dias de operação a cada quinzena. Segundo o presidente da Biosul, Roberto Hollanda, ao longo da safra, a chuva atrasou a produção do Estado em cerca de 3 milhões de toneladas. No entanto, como o período de moagem vai ser estendido, é possível recuperar esse déficit, disse Hollanda, em comunicado. A safra 2015/16 no Estado começou em abril e deve se prolongar até janeiro de 2016. Normalmente, as usinas entram em período de manutenção entre novembro e dezembro.
O volume acumulado de cana-de-açúcar processada pelos associados da Biosul, nesta safra 2015/16, até o momento, é de 33,11 milhões de toneladas, 15,15% maior em relação ao mesmo período da safra anterior. Até a segunda quinzena de setembro, foram produzidas 965 mil toneladas de açúcar, volume 9,98% maior do que a produção registrada na safra anterior, que foi de 877 mil toneladas.
A produção de etanol total, no acumulado até 30 de setembro, é de 1,94 bilhão de litros, volume 19,6% maior do que na safra 2014/15. Desse total, 459,45 milhões de litros são de etanol anidro e 1,490 bilhão de litros de etanol hidratado.
O índice que mede a qualidade da matéria prima, o ATR (Açúcares Totais Recuperáveis por tonelada de cana) atingiu 130,29 kg no acumulado da safra, volume 1,5% maior do que em 2014/15.