atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Chuvas de maio de 2020 & previsões para julho a setembro

29/07/2020 Colunista POR: Oswaldo Alonso

Quadro 1: Chuvas anotadas durante o mês de maio de 2020

** IAC - Descalvado, as chuvas são de dados interpolados

A média das chuvas de maio de 2020 (18 mm) ficou 30% abaixo das médias das normais climáticas do mês (59 mm) e quase igual a das chuvas de maio de 2019 (17 mm), como ilustradas nos mapas. Os menores volumes de chuvas foram observados na Uname - Sertãozinho (6 mm) e (11 mm) no Centro de Cana - Ribeirão Preto, e no Inst. Florestal - São Simão, enquanto que os maiores volumes (30 mm) ocorreram em Descalvado e Ituverava e na Unidade Balbo - São Francisco (27 mm).

As chuvas diárias anotadas pelos escritórios regionais são condensadas em Pitangueiras e disponibilizadas no site da Canaoeste. As médias mensais e respectivas normais climáticas são aqui também mostradas no Quadro 2.

Destacadas no canto inferior direito do Quadro 2, nota-se que as somas das normais climáticas entre os meses de janeiro a maio de 2017 a 2020 foram praticamente iguais. Entretanto, diferenças bem marcantes foram observadas entre as somas das médias mensais destes mesmos meses e anos. Vale destacar que a soma das médias mensais de janeiro a maio de 2018 (598 mm) ficou muito aquém da soma da respectiva normal climática (781 mm); enquanto que a soma das normais climáticas de janeiro a maio de 2020 (780 mm) foi superior às médias mensais destes mesmos meses (685 mm), ou seja, quase 100 mm. Tal volume de água poderia resultar em 5,5 t/ha a mais.

Quadro 2: Anotações pelos escritórios regionais das chuvas que ocorreram em maio e os acumulados de janeiro a maio de 2017 a 2020, com as respectivas médias mensais e normais climáticas

Obs.: As médias mensais, destacadas em vermelho (penúltima linha do quadro), referem-se às médias das chuvas registradas no(s) respectivos mês(es). As normais climáticas ou históricas (negritadas na última linha) referem-se às médias de muitos anos dos locais numerados de 1 a 12

Mapa 3: O mapa abaixo retrata o Prognóstico de Consenso entre Inmet-Inpe-Funceme para junho a agosto de 2020, mostrando que as probabilidades de chuvas são decrescentes nas quadrículas em amarelo a vermelho e crescentes nas áreas em azul claro a escuro

 

Pelo Centro de Cana - IAC, as médias históricas de chuvas em Ribeirão Preto e proximidades são de 25 mm em junho, 20 mm em julho e agosto.

Fenômenos El Niño e La Niña e prognósticos de chuvas para junho a agosto de 2020: Além dos informes fornecidos pelo Inpe, Inmet e Funcepe, será necessário aguardar as simulações norte-americanas e europeias que serão fornecidas pela Somar Meteorologia até o dia 16 de junho. Simulações estas que serão muito importantes à elaboração de cenários para os próximos meses.

  Mesmo com a tendência climática mostrada apenas pelo Inpe, Inmet e Funcepe, a Canaoeste recomenda aos associados que se atentem à qualidade das colheitas e cuidem, nestes períodos bem secos de junho a agosto, dos cultivos mecânicos, mas sem  escarificações enérgicas ou subsolagens, evitando-se torrões. Outro cuidado é com os incêndios em cana e em palhadas pós-colheita.

 Ainda poderá ocorrer período de frio intenso em julho ou mesmo em agosto. Em áreas mais sujeitas a geadas será prudente deixar as linhas de soqueiras sem (ou com o mínimo de) cobertura de palha e, em áreas recém-plantadas e sem entrenós visíveis, pode-se dispensar qualquer trabalho de roçada. As folhas poderão secar e até morrer, mas as brotações virão com vigor.

Estes prognósticos serão revisados nas edições seguintes da Revista Canavieiros. Fatos relevantes e urgentes serão noticiados em www.canaoeste.com.br e revistacanavieiros.com.br

Persistindo dúvidas, consultem os técnicos mais próximos ou Fale Conosco Canaoeste.