atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Clealco estima moer 10,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar em 2016/17

10/04/2016 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria Clealco
O Grupo Clealco, com três unidades produtivas no interior de São Paulo, encerrou no dia 31 de março, a safra 2015/2016. A empresa moeu no período, 9,946 milhões de toneladas de cana, volume 7% superior ao resultado da safra 2014/2015, e obteve receita de R$ 1,2 bilhão. Ambos, recordes históricos da Companhia.
No ano passado, a Clealco encerrou a safra 2014/15 com um prejuízo de R$ 198 milhões, 116% acima do resultado já ruim da safra 2013/14, na qual perdeu R$ 91,7 milhões. Logo na sequência, a companhia realizou uma reestruturação em sua diretoria.
Em relação à produção de 2015/16, a empresa afirmou por meio de nota enviada à imprensa que ampliou o volume de açúcar VHP em 10%, com receita 20% maior. Já no etanol o crescimento foi no anidro, ficando 9% acima da safra passada, com um resultado de vendas 21% superior. A cogeração de energia cresceu 28%.
Já para a safra 2016/2017, que teve início em 1º de abril, a Clealco tem como meta a moagem de 10,5 milhões de toneladas de cana, com faturamento previsto de R$ 1,5 bilhão. A companhia estima crescer a produção de açúcar VHP em 18% e 5% no etanol.
“Temos mais de 11 milhões de toneladas de cana garantidas para a safra 2016/2017 e as nossas três unidades estão preparadas para maximizar suas eficiências. Estes fatores, somados à uma projeção de mercado que sinaliza a sustentação de bons preços, nos trazem a confiança de uma safra com resultados amplamente favoráveis”, afirma o CEO da Clealco, Fernando Capra.
No novo ciclo produtivo, o mix de produção estimado é de 60% para o açúcar VHP e 40% para o etanol. 
  
O Grupo Clealco, com três unidades produtivas no interior de São Paulo, encerrou no dia 31 de março, a safra 2015/2016. A empresa moeu no período, 9,946 milhões de toneladas de cana, volume 7% superior ao resultado da safra 2014/2015, e obteve receita de R$ 1,2 bilhão. Ambos, recordes históricos da Companhia.
No ano passado, a Clealco encerrou a safra 2014/15 com um prejuízo de R$ 198 milhões, 116% acima do resultado já ruim da safra 2013/14, na qual perdeu R$ 91,7 milhões. Logo na sequência, a companhia realizou uma reestruturação em sua diretoria.
Em relação à produção de 2015/16, a empresa afirmou por meio de nota enviada à imprensa que ampliou o volume de açúcar VHP em 10%, com receita 20% maior. Já no etanol o crescimento foi no anidro, ficando 9% acima da safra passada, com um resultado de vendas 21% superior. A cogeração de energia cresceu 28%.
Já para a safra 2016/2017, que teve início em 1º de abril, a Clealco tem como meta a moagem de 10,5 milhões de toneladas de cana, com faturamento previsto de R$ 1,5 bilhão. A companhia estima crescer a produção de açúcar VHP em 18% e 5% no etanol.
“Temos mais de 11 milhões de toneladas de cana garantidas para a safra 2016/2017 e as nossas três unidades estão preparadas para maximizar suas eficiências. Estes fatores, somados à uma projeção de mercado que sinaliza a sustentação de bons preços, nos trazem a confiança de uma safra com resultados amplamente favoráveis”, afirma o CEO da Clealco, Fernando Capra.

 
No novo ciclo produtivo, o mix de produção estimado é de 60% para o açúcar VHP e 40% para o etanol.