atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Clima ajuda safra paranaense de cana

12/06/2013 Cana-de-Açúcar POR: Folha Web
As boas condições climáticas fizeram com que o volume de cana-de-açúcarcolhido até o dia 1º de junho no Paraná fosse 20% maior em relação ao mesmo período do ano passado. Até o início deste mês, o Estado já havia retirado das lavouras 8,66 milhões de toneladas de cana, de um total estimado de 40 milhões de toneladas para a atual safra. "Os produtores aproveitaram a estiagem em maio para antecipar a colheita", revela o superintendente da Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), José Adriano da Silva Dias.
Por causa da antecipação da colheita, a produção de açúcar e etanol nas usinas também segue adiantada. Só em açúcar, o Estado já processou 520 mil toneladas do produto, 14% superior ao registrado no início de junho de 2012. A produção de etanol contabilizou, nesse mesmo período, um incremento de 32,1%. Até o início do mês, a produção paranaense era de 319 mil metros cúbicos de etanol, contra 241 mil registrado em junho de 2012.
Dias lembra que, além da antecipação da colheita, o clima também proporcionou neste ano uma melhor qualidade da matéria-prima. Segundo ele, o índice de Açúcar Total Recuperável (ATR) está melhor nesta safra devido ao baixo volume de chuva que atingiu os canaviais paranaenses. O valor em 2012 fechou em 123,01 quilos de ATR por tonelada de cana-de-açúcar. Neste ano, esse índice passou para 125,5 kg/ton/cana, um incremento de 2,1%. "A cana está mais rica, ou seja, mais doce", comemora o superintendente.
Mercado
Entretanto, nem tudo é doce no mercado sucroenergético. O rendimento do setor em 2013 no Paraná está pior do que 2012, segundo dados da Alcopar. O valor do etanol hidratadona primeira semana de junho foi de R$ 1,11 o litro, contra R$ 1,20 contabilizado no início de maio. O açúcar no mercado internacional também registrou queda de preços. O valor da saca de 50 quilos iniciou o ano a R$ 48. Hoje, o valor do produto está na casa dos R$ 44, lembrando que, no início de 2012, a saca chegou a ser comercializada a R$ 59,60.
Ao todo, o Paraná destinou para esta safra 618 mil hectares para a produção de cana-de-açúcar voltada para as indústrias produtoras de açúcar e etanol, área 4% maior do que se comparada ao ciclo passado. O total estimado para a produção da safra 2013/14 no Paraná é semelhante ao ciclo anterior, ou seja, 40 milhões de toneladas.
Ricardo Maia
As boas condições climáticas fizeram com que o volume de cana-de-açúcar colhido até o dia 1º de junho no Paraná fosse 20% maior em relação ao mesmo período do ano passado. Até o início deste mês, o Estado já havia retirado das lavouras 8,66 milhões de toneladas de cana, de um total estimado de 40 milhões de toneladas para a atual safra. "Os produtores aproveitaram a estiagem em maio para antecipar a colheita", revela o superintendente da Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar), José Adriano da Silva Dias.
Por causa da antecipação da colheita, a produção de açúcar e etanol nas usinas também segue adiantada. Só em açúcar, o Estado já processou 520 mil toneladas do produto, 14% superior ao registrado no início de junho de 2012. A produção de etanol contabilizou, nesse mesmo período, um incremento de 32,1%. Até o início do mês, a produção paranaense era de 319 mil metros cúbicos de etanol, contra 241 mil registrado em junho de 2012.
Dias lembra que, além da antecipação da colheita, o clima também proporcionou neste ano uma melhor qualidade da matéria-prima. Segundo ele, o índice de Açúcar Total Recuperável (ATR) está melhor nesta safra devido ao baixo volume de chuva que atingiu os canaviais paranaenses. O valor em 2012 fechou em 123,01 quilos de ATR por tonelada de cana-de-açúcar. Neste ano, esse índice passou para 125,5 kg/ton/cana, um incremento de 2,1%. "A cana está mais rica, ou seja, mais doce", comemora o superintendente.
Mercado
Entretanto, nem tudo é doce no mercado sucroenergético. O rendimento do setor em 2013 no Paraná está pior do que 2012, segundo dados da Alcopar. O valor do etanol hidratadona primeira semana de junho foi de R$ 1,11 o litro, contra R$ 1,20 contabilizado no início de maio. O açúcar no mercado internacional também registrou queda de preços. O valor da saca de 50 quilos iniciou o ano a R$ 48. Hoje, o valor do produto está na casa dos R$ 44, lembrando que, no início de 2012, a saca chegou a ser comercializada a R$ 59,60.
Ao todo, o Paraná destinou para esta safra 618 mil hectares para a produção de cana-de-açúcar voltada para as indústrias produtoras de açúcar e etanol, área 4% maior do que se comparada ao ciclo passado. O total estimado para a produção da safra 2013/14 no Paraná é semelhante ao ciclo anterior, ou seja, 40 milhões de toneladas.
Ricardo Maia