atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Clima deve ditar os rumos dos mercados de açúcar e etanol, indica Rabobank

15/07/2014 Cana-de-Açúcar POR: Globo Rural
O clima deve ser fator determinante para o setor da cana nos próximos meses, segundo o boletim trimestral do Rabobank, divulgado nesta segunda (14/7). No Brasil, a seca tem permitido que as usinas avancem na colheita, mas a continuidade da situação pode diminuir o rendimento final da safra. O clima ainda começa a interferir no desenvolvimento de safras importantes na Índia, Tailândia e Indonésia.
O câmbio também deve ter papel importante nos preços de açúcar e etanol no próximo trimestre. "A indefinição em relação às eleições presidenciais no Brasil abre espaço para movimentos de alta e baixa no valor do dólar, impactando principalmente a arbitragem entre açúcar exportável e etanol no mercado doméstico", afirma o relatório.
Após três anos de excedente na produção, o mercado de açúcar continua abastecido e com estoque. Os resultados atuais da safra brasileira contribuem para o aumento da oferta, o que deve manter os preços pressionados. Porém, os efeitos da atual situação climática e a expectativa de déficit no próximo ano safra continuam sendo fatores de suporte.
Os preços do etanol, após caírem com o início da safra brasileira, se mantiveram estáveis nos últimos meses, suportados pelo aumento do consumo de combustível no país e devem continuar firmes ao longo da safra, com o setor aguardando uma definição em relação à mistura de anidro na gasolina.
O clima deve ser fator determinante para o setor da cana nos próximos meses, segundo o boletim trimestral do Rabobank, divulgado nesta segunda (14/7). No Brasil, a seca tem permitido que as usinas avancem na colheita, mas a continuidade da situação pode diminuir o rendimento final da safra. O clima ainda começa a interferir no desenvolvimento de safras importantes na Índia, Tailândia e Indonésia.
O câmbio também deve ter papel importante nos preços de açúcar e etanol no próximo trimestre. "A indefinição em relação às eleições presidenciais no Brasil abre espaço para movimentos de alta e baixa no valor do dólar, impactando principalmente a arbitragem entre açúcar exportável e etanol no mercado doméstico", afirma o relatório.
Após três anos de excedente na produção, o mercado de açúcar continua abastecido e com estoque. Os resultados atuais da safra brasileira contribuem para o aumento da oferta, o que deve manter os preços pressionados. Porém, os efeitos da atual situação climática e a expectativa de déficit no próximo ano safra continuam sendo fatores de suporte.
Os preços do etanol, após caírem com o início da safra brasileira, se mantiveram estáveis nos últimos meses, suportados pelo aumento do consumo de combustível no país e devem continuar firmes ao longo da safra, com o setor aguardando uma definição em relação à mistura de anidro na gasolina.