atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Clima seco pode prejudicar ainda mais a safra 2014/2015

02/07/2014 Cana-de-Açúcar POR: Scot Consultoria
Segundo dados divulgados pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA), a região Centro-Sul processou 41,47 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na primeira quinzena de junho.
A produção de açúcar na primeira quinzena de junho somou 2,33 milhões de toneladas, alta de 29,70% na comparação com as 1,80 milhão de toneladas do ano passado.
Para o etanol, foram 1,72 bilhões de litros, alta de 14,0% neste mesmo período.
Diante disso, o mix para etanol seguiu maior na primeira quinzena de junho, com 54,6%, e com 45,4% para o açúcar.
No acumulado do ano safra 2014/2015, iniciado em abril, a mesma região processou 158,95 milhões de toneladas, volume 3,7% maior que as 153,33 milhões de toneladas de 2013/2014.
Ainda segunda a UNICA, o clima seco, ao mesmo tempo em que ajuda nos trabalhos de colheita, pode prejudicar o bom desenvolvimento dos canaviais que ainda não atingiram a maturação ideal.
Na segunda quinzena de junho, a expectativa é que mais 16 usinas tenham iniciado os trabalhos.
Segundo dados divulgados pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA), a região Centro-Sul processou 41,47 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na primeira quinzena de junho.
A produção de açúcar na primeira quinzena de junho somou 2,33 milhões de toneladas, alta de 29,70% na comparação com as 1,80 milhão de toneladas do ano passado.
Para o etanol, foram 1,72 bilhões de litros, alta de 14,0% neste mesmo período.
Diante disso, o mix para etanol seguiu maior na primeira quinzena de junho, com 54,6%, e com 45,4% para o açúcar.
No acumulado do ano safra 2014/2015, iniciado em abril, a mesma região processou 158,95 milhões de toneladas, volume 3,7% maior que as 153,33 milhões de toneladas de 2013/2014.
Ainda segunda a UNICA, o clima seco, ao mesmo tempo em que ajuda nos trabalhos de colheita, pode prejudicar o bom desenvolvimento dos canaviais que ainda não atingiram a maturação ideal.
Na segunda quinzena de junho, a expectativa é que mais 16 usinas tenham iniciado os trabalhos.