atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Colômbia registra maior moagem de cana em 2014

19/08/2014 Cana-de-Açúcar POR: Agrolink com informações de assessoria
A moagem de cana na Colômbia, décimo maior produtor de açúcar do mundo, totalizou 7,74 milhões de toneladas entre os meses de janeiro e abril de 2014, um aumento de 32,22% sobre igual período do ano passado, e alta de 8,30% em relação ao mesmo intervalo de 2012. As condições climáticas voltaram ao normal, o que deve permitir recuperação da produção colombiana. Em 2011 fortes chuvas atingiram as regiões canavieiras danificando os canaviais, mas no final do ano 2012 e início de 2013 uma forte seca atingiu as regiões produtoras causando efeitos negativos na safra.
Nessa temporada, além da maior concentração de sacarose na cana, há sinais de aumento da produtividade agrícola, saindo de 95 toneladas para aproximadamente 110 toneladas por hectare. A previsão é de que a Colômbia produza 2,3 milhões de toneladas de açúcar em 2014, contra 2,13 milhões de toneladas em 2013.
A produção de açúcar cresceu 32,52% no acumulado de janeiro a abril para 740.604 toneladas. Diante do aumento da oferta, as exportações atingiram 222.103 toneladas nos quatro primeiros meses do ano, contra 112.265 toneladas mesmo intervalo de 2013, aumento de 97,84%. Pelo mesmo motivo as importações caíram 62,26%, alcançando somente 50.525 toneladas.
Apesar do saldo positivo, existem preocupações sobre a entrada do açúcar boliviano no país. Com preço e qualidade inferiores ao do açúcar colombiano, a Bolívia nos últimos dois anos exportou quase 300 mil toneladas de açúcar, o que representa 45% das exportações de açúcar da Colômbia. Como resposta, a Associação de Produtores de Açúcar da Colômbia (Asocaña) resolveu enviar um pedido ao governo colombiano para que tome medidas de “salvaguardas” contra as importações.
Essas medidas de salvaguardas são reguladas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) e têm como objetivo proteger indústrias específicas contra aumentos súbitos e imprevistos de importações que ameacem esses setores.
Já a produção de etanol atingiu 131,487 milhões de litros, aumento de 8,11% sobre igual período de 2013. Neste ritmo, a produção de etanol será mais do que o suficiente para atender a mistura obrigatória de 8% na gasolina, o que pode levar a Colômbia a exportar o excedente para os EUA.
*Plínio Nastari é doutor em economia agrícola e presidente da DATRAGRO
A moagem de cana na Colômbia, décimo maior produtor de açúcar do mundo, totalizou 7,74 milhões de toneladas entre os meses de janeiro e abril de 2014, um aumento de 32,22% sobre igual período do ano passado, e alta de 8,30% em relação ao mesmo intervalo de 2012. As condições climáticas voltaram ao normal, o que deve permitir recuperação da produção colombiana. Em 2011 fortes chuvas atingiram as regiões canavieiras danificando os canaviais, mas no final do ano 2012 e início de 2013 uma forte seca atingiu as regiões produtoras causando efeitos negativos na safra.
Nessa temporada, além da maior concentração de sacarose na cana, há sinais de aumento da produtividade agrícola, saindo de 95 toneladas para aproximadamente 110 toneladas por hectare. A previsão é de que a Colômbia produza 2,3 milhões de toneladas de açúcar em 2014, contra 2,13 milhões de toneladas em 2013.
A produção de açúcar cresceu 32,52% no acumulado de janeiro a abril para 740.604 toneladas. Diante do aumento da oferta, as exportações atingiram 222.103 toneladas nos quatro primeiros meses do ano, contra 112.265 toneladas mesmo intervalo de 2013, aumento de 97,84%. Pelo mesmo motivo as importações caíram 62,26%, alcançando somente 50.525 toneladas.
Apesar do saldo positivo, existem preocupações sobre a entrada do açúcar boliviano no país. Com preço e qualidade inferiores ao do açúcar colombiano, a Bolívia nos últimos dois anos exportou quase 300 mil toneladas de açúcar, o que representa 45% das exportações de açúcar da Colômbia. Como resposta, a Associação de Produtores de Açúcar da Colômbia (Asocaña) resolveu enviar um pedido ao governo colombiano para que tome medidas de “salvaguardas” contra as importações.
Essas medidas de salvaguardas são reguladas pela Organização Mundial do Comércio (OMC) e têm como objetivo proteger indústrias específicas contra aumentos súbitos e imprevistos de importações que ameacem esses setores.
Já a produção de etanol atingiu 131,487 milhões de litros, aumento de 8,11% sobre igual período de 2013. Neste ritmo, a produção de etanol será mais do que o suficiente para atender a mistura obrigatória de 8% na gasolina, o que pode levar a Colômbia a exportar o excedente para os EUA.
*Plínio Nastari é doutor em economia agrícola e presidente da DATRAGRO