http://bit.ly/2Ye0HZd
http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://feiraecoenergy.com.br/16/contato-comercial/?utm_source=parceiros-revistaCanavieiros_medium=organic&utm_campaign=VendasEcoenergy2020
http://www.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://inovacana.ideaonline.com.br
http://www.conferences.datagro.com/produto/conferenciadatagro2019/

Planta piloto de energia solar é instalada no interior de São Paulo

Voltar

Agronegócio

05/07/2019
  Compartilhe:

Por: Fernanda Clariano


A matriz energética brasileira está em transformação e a Raízen tem participado deste movimento. Além da utilização da biomassa (bagaço, palha, vinhaça e torta de filtro), presente em seu portfólio de geração, a multinacional aumentou o seu portfólio de energias renováveis e agora atua também em geração de energia solar.

A primeira planta solar na modalidade de geração distribuída da empresa foi instalada na unidade Costa Pinto, em Piracicaba, no interior de São Paulo. A inauguração aconteceu no dia 4 de junho e além dos diretores da multinacional, contou com a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Diniz Junqueira, parceiros, representantes de usinas, empresas e a imprensa.

O empreendimento conta com potência instalada de 1.3 MWp (megawatt-pico), quantidade suficiente para abastecer um bairro da cidade de Piracicaba durante um ano. A geração anual de energia da planta será de 2.0 MW/h (megawatt/hora) - equivalente ao consumo de mil residências.

 “Este é um passo importante nessa caminhada de criação de um portfólio mais completo nessa jornada de transição energética. A planta é dividida, uma parte da estrutura é fixa e a outra acompanha o movimento do sol e a nossa intenção é aprender com os dois modelos para posteriormente usar o que for mais eficiente”, disse o diretor executivo de energias da Raízen, Antônio Simões.

Inicialmente, o negócio consistirá na locação dos painéis solares pelos parceiros da Raízen, visando à economia de energia elétrica regional e uma utilização mais sustentável dos recursos energéticos.

A planta com 3.840 painéis fotovoltaicos está inserida em uma área de 40 mil metros quadrados, sendo a maior área destinada à energia solar do Estado de São Paulo.
Para a operacionalização, será adotado o modelo de net metering, um procedimento no qual a energia gerada é usada para abater o consumo de energia elétrica da unidade. Nesse método, caso haja um saldo positivo, o consumidor poderá utilizar esse crédito e reduzir o consumo na fatura do mês subsequente. Esse é um modelo já consolidado e em aplicação em países referência na adoção dessa tecnologia, como Alemanha e Estados Unidos, principalmente no estado da Califórnia.

Fonte: Revista Canavieiros

Planta piloto de energia solar é instalada no interior de São Paulo

05/07/2019

Por: Fernanda Clariano


A matriz energética brasileira está em transformação e a Raízen tem participado deste movimento. Além da utilização da biomassa (bagaço, palha, vinhaça e torta de filtro), presente em seu portfólio de geração, a multinacional aumentou o seu portfólio de energias renováveis e agora atua também em geração de energia solar.

A primeira planta solar na modalidade de geração distribuída da empresa foi instalada na unidade Costa Pinto, em Piracicaba, no interior de São Paulo. A inauguração aconteceu no dia 4 de junho e além dos diretores da multinacional, contou com a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Gustavo Diniz Junqueira, parceiros, representantes de usinas, empresas e a imprensa.

O empreendimento conta com potência instalada de 1.3 MWp (megawatt-pico), quantidade suficiente para abastecer um bairro da cidade de Piracicaba durante um ano. A geração anual de energia da planta será de 2.0 MW/h (megawatt/hora) - equivalente ao consumo de mil residências.

 “Este é um passo importante nessa caminhada de criação de um portfólio mais completo nessa jornada de transição energética. A planta é dividida, uma parte da estrutura é fixa e a outra acompanha o movimento do sol e a nossa intenção é aprender com os dois modelos para posteriormente usar o que for mais eficiente”, disse o diretor executivo de energias da Raízen, Antônio Simões.

Inicialmente, o negócio consistirá na locação dos painéis solares pelos parceiros da Raízen, visando à economia de energia elétrica regional e uma utilização mais sustentável dos recursos energéticos.

A planta com 3.840 painéis fotovoltaicos está inserida em uma área de 40 mil metros quadrados, sendo a maior área destinada à energia solar do Estado de São Paulo.
Para a operacionalização, será adotado o modelo de net metering, um procedimento no qual a energia gerada é usada para abater o consumo de energia elétrica da unidade. Nesse método, caso haja um saldo positivo, o consumidor poderá utilizar esse crédito e reduzir o consumo na fatura do mês subsequente. Esse é um modelo já consolidado e em aplicação em países referência na adoção dessa tecnologia, como Alemanha e Estados Unidos, principalmente no estado da Califórnia.