http://www.fmcagricola.com.br/index.aspx
http://conferences.datagro.com/eventos/santanderisodatagro/
http://bit.ly/2C9S3Bp
http://www.orplana.com.br/pages/caminhos-da-cana-2017/
http://www.rossam.com.br/

Soja tem início de semana estável e à espera de informações sobre EUA e China

Voltar

Agronegócio

11/02/2019
  Compartilhe:

Nesta segunda-feira (11), os futuros da soja trabalham com leves altas na Bolsa de Chicago. As cotações subiam entre 0,50 e 0,75 ponto, por volta de 7h20 (horário de Brasília), e ainda mantinham a já conhecida cautela adotada pelos traders há tantos meses.
Assim, o contrato março/19 tinha US$ 9,15 e o maio/19, US$ 9,29 por bushel na manhã de hoje.
O mercado ainda sente a falta de subsídios para operar de forma mais agressiva e começa uma nova semana ainda caminhando de lado na CBOT.
Após o relatório do USDA - e uma reação bem limitada das cotações dos grãos em Chicago - as atenções estão ainda mais voltadas para a guerra comercial entre China e EUA, principalmente como o fim do feriado do Ano Novo Lunar na Nação Asiática.
"Com a China retornando do feriado de uma semana, traders aguardam noticias em relação a guerra comercial EUA/China e/ou novas compras de soja americana pela China", diz Steve Cachia, diretor da Cerealpar.
O executivo chama a atenção também para o dólar neste início de semana.
"O dólar pode ter uma semana nervosa, com investidores preocupados com o fato do presidente do Brasil ainda estar hospitalizado e os rumores de que a reforma da Previdência pode demorar mais que o esperado. Tudo isso deixa um viés para um dólar mais valorizado, a não ser que haja atuação do BC brasileiro ou avanços positivos nos assuntos mencionados", completa Cachia.

Fonte: Notícias Agrícolas

Soja tem início de semana estável e à espera de informações sobre EUA e China

11/02/2019

Nesta segunda-feira (11), os futuros da soja trabalham com leves altas na Bolsa de Chicago. As cotações subiam entre 0,50 e 0,75 ponto, por volta de 7h20 (horário de Brasília), e ainda mantinham a já conhecida cautela adotada pelos traders há tantos meses.
Assim, o contrato março/19 tinha US$ 9,15 e o maio/19, US$ 9,29 por bushel na manhã de hoje.
O mercado ainda sente a falta de subsídios para operar de forma mais agressiva e começa uma nova semana ainda caminhando de lado na CBOT.
Após o relatório do USDA - e uma reação bem limitada das cotações dos grãos em Chicago - as atenções estão ainda mais voltadas para a guerra comercial entre China e EUA, principalmente como o fim do feriado do Ano Novo Lunar na Nação Asiática.
"Com a China retornando do feriado de uma semana, traders aguardam noticias em relação a guerra comercial EUA/China e/ou novas compras de soja americana pela China", diz Steve Cachia, diretor da Cerealpar.
O executivo chama a atenção também para o dólar neste início de semana.
"O dólar pode ter uma semana nervosa, com investidores preocupados com o fato do presidente do Brasil ainda estar hospitalizado e os rumores de que a reforma da Previdência pode demorar mais que o esperado. Tudo isso deixa um viés para um dólar mais valorizado, a não ser que haja atuação do BC brasileiro ou avanços positivos nos assuntos mencionados", completa Cachia.