atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Copercana realiza a VI Reunião Técnica de Amendoim

02/10/2012 Noticias do Sistema POR: Revista Canavieiros - Ed75 - setembro de 2012
Com o apoio da Basf e Syngenta, o encontro apesentou 
técnicas e custeios em benefícios aos produtores de amendoim
Com o apoio da Basf e Syngenta, o encontro apesentou 
técnicas e custeios em benefícios aos produtores de amendoim

Fernanda Clariano 

No dia 4 de setembro, a Uname - Unidade de Grãos da Copercana, em parceria com a Basf e a Syngenta, realizaram no auditório da Canaoeste a VI Reunião Técnica de Amendoim, onde foram ministradas palestras sobre: Previsão climática para a cultura de amendoim; Manejo químico do percevejo preto; Caderno de Campo - rastreabilidade e importância na comercialização do amendoim; Tecnologia para aplicação de produtos agrícolas na cultura de amendoim; Perspectivas de mercado atual e futuro, além de espaços técnicos para as empresas parceiras. Mais de 50 produtores que fazem parte do Projeto Amendoim Copercana prestigiaram a reunião. 
Na abertura do evento, o presidente da Copercana e da Sicoob Cocred, Antonio Eduardo Tonielo, falou sobre a importância do clima para poder plantar e colher na hora certa e ressaltou a importância da cultura do grão. “O amendoim é um agregado que vem dando certo, a Copercana comercializa o amendoim o ano inteiro e isso traz uma certa tranquilidade. Se o mercado começa fazer oferta muito baixa de preços, esperamos melhorar. Mas precisamos ter um controle de plantio e produção para não perder ”, disse Tonielo.
Ultimamente, a pergunta que as pessoas estão fazendo é: quando é que vai chover?  Para tentar sanar a curiosidade dos produtores que tanto precisam dessa informação, a meteorologista do Climatempo, Josélia Pegorim, fez uma explanação sobre Previsão Climática para a Cultura do Amendoim. “É normal que agosto seja um mês tradicionalmente seco, estamos no comecinho de setembro e a expectativa é que, entre os dias 18 e 19 tenhamos uma frente fria e a primeira chuva, mas o mês vai terminar seco, com chuva abaixo da média. Em outubro, a chuva será irregular e a maior parte do Estado de São Paulo deve terminar o mês com chuvas pouco abaixo da média. Já em novembro, as chuvas serão volumosas e o mês termina acima da média. Em dezembro, teremos fartura de chuvas que serão bem distribuídas. Portanto, o produtor deve plantar o amendoim mais cedo este ano, pela previsão já em outubro, para que não ocorram perdas”, concluiu a meteorologista. 
A reunião também abordou o Caderno de Campo que é uma ferramenta importante para o produtor por que contém o registro das informações de tudo o que é realizado, desde o plantio até a colheita. Na oportunidade, a coordenadora de qualidade da Copercana, Vânia Junqueira, falou sobre as alterações que serão realizadas no caderno e lembrou da importância do preenchimento correto. “Foram realizadas algumas alterações no Caderno de Campo que os produtores irão receber para a próxima safra, mas serão mantidas as informações primordiais e outras serão simplificadas para ajudar o produtor no preenchimento. É muito importante a conscientização do preenchimento correto porque além de viabilizar a rastreabilidade e conseguir atender uma exigência para a comercialização, os produtores também terão registrados os dados de suas lavouras. Também é muito importante a entrega do caderno para o Departamento Técnico da Copercana no final da safra”, lembrou Vânia.
Outro assunto discutido na reunião foram pragas. “Há três anos estamos trabalhando o percevejo preto. O desenvolvimento maior dessa praga se dá em terras roxas e a região de Sertãozinho é ideal para seu desenvolvimento e permanência. Até o momento não temos nenhum inseticida registrado para o percevejo preto em amendoim. Para esse ano, o nosso objetivo foi testar e avaliar o manejo dessa praga fazendo tratamento de sementes”, disse Efrain de Santana Souza, da Unesp (Universidade Estadual de São Paulo) de Botucatu.
No espaço técnico, o engenheiro agrônomo representante de desenvolvimento de mercado da Basf, Mauro Cottas, falou sobre as recomendações em fungicidas para amendoim e o representante técnico comercial da Syngenta, Edemilson Marzochi, apresentou a linha de produtos que a empresa disponibiliza para a cultura.
O gerente da Uname, Augusto César Strini Paixão, finalizou o encontro abordando as perspectivas dos mercados atual e futuro e lembrou que o produtor deve ficar atento ao modo de produção e não ao preço. “As reuniões do Projeto Amendoim sempre trazem informações que auxiliam o produtor no seu dia-a-dia, desde o melhor produto a ser usado em sua plantação, até informações de mercado, tudo para que o produtor tenha sucesso na sua lavoura. Nessa reunião, uma das informações mais importantes ao produtor é que não fique muito preso ao preço da cultura e sim a maneira de produzir. Quanto mais amendoim tivermos, melhor será a sustentabilidade da cultura mesmo numa época em que os preços possam estar baixos”, disse Augusto.
O produtor Roberto Rossetti, destacou a importância de participar das reuniões do Projeto Amendoim. “É muito importante estar presente nessas reuniões porque trazem benefícios aos produtores desde o custeio até a garantia do recebimento após a colheita. Acho que esse projeto da Copercana só nos traz vantagens. Eu aproveito o máximo possível e com isso tomo as decisões corretas para ter bons resultados”, afirmou Rossetti.