atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Cosan vê quebra de safra de cana no CS; moagem da Raízen quase estável

28/02/2014 Cana-de-Açúcar POR: Reuters
SÃO PAULO - A empresa de infraestrutura e energia Cosan estima que sua divisão de cana-de-açúcar, a Raízen Energia, vai processar um volume semelhante em 2014, na comparação com 2013, num ano de quebra de safra pelo tempo quente e seco no centro-sul do Brasil.
A Raízen, uma joint venture com a Shell que inclui produção e comercialização de derivados de cana, vai processar entre 61 milhões e 63 milhões de toneladas de cana na temporada 2014/15, que começa em abril, ante 61,4 milhões de toneladas na temporada que está terminando.
Cerca de metade do volume de cana processado pela Raízen, maior produtora individual de açúcar e etanol no Brasil, é de cana própria e a outra metade é comprada de terceiros.
"A gente espera uma redução de produção efetiva do centro-sul (do Brasil). Não tenho um número final", disse o diretor-presidente Marcos Lutz, em teleconferência com a imprensa.
O centro-sul, que responde por 90 por cento da produção nacional de cana, enfrentou temperaturas acima da média e poucas chuvas neste início de 2014, o que pode comprometer a produção dos canaviais.
Segundo o executivo, as previsões iniciais de uma safra de 630 milhões de toneladas de cana no centro-sul não devem se confirmar, mas a quebra "não é mais que 10 por cento".
"Se chover bem nos próximos meses, pode haver recuperação razoável da produção", disse Lutz a jornalistas, durante comentários sobre os resultados da empresa no último trimestre.
A Cosan teve lucro líquido de 229,8 milhões de reais no quarto trimestre, queda de 32,3 por cento ante igual período do ano anterior.
A Raízen Energia teve seu resultado afetado pelos baixos preços do açúcar, contribuindo para reduzir o lucro da companhia ante um ano atrás. A receita líquida da Raízen Energia no quarto trimestre totalizou 2,1 bilhões de reais, uma redução de 18,4 por cento na comparação anual.
(Por Gustavo Bonato)
SÃO PAULO - A empresa de infraestrutura e energia Cosan estima que sua divisão de cana-de-açúcar, a Raízen Energia, vai processar um volume semelhante em 2014, na comparação com 2013, num ano de quebra de safra pelo tempo quente e seco no centro-sul do Brasil.
A Raízen, uma joint venture com a Shell que inclui produção e comercialização de derivados de cana, vai processar entre 61 milhões e 63 milhões de toneladas de cana na temporada 2014/15, que começa em abril, ante 61,4 milhões de toneladas na temporada que está terminando.
Cerca de metade do volume de cana processado pela Raízen, maior produtora individual de açúcar e etanol no Brasil, é de cana própria e a outra metade é comprada de terceiros.
"A gente espera uma redução de produção efetiva do centro-sul (do Brasil). Não tenho um número final", disse o diretor-presidente Marcos Lutz, em teleconferência com a imprensa.
O centro-sul, que responde por 90 por cento da produção nacional de cana, enfrentou temperaturas acima da média e poucas chuvas neste início de 2014, o que pode comprometer a produção dos canaviais.
Segundo o executivo, as previsões iniciais de uma safra de 630 milhões de toneladas de cana no centro-sul não devem se confirmar, mas a quebra "não é mais que 10 por cento".
"Se chover bem nos próximos meses, pode haver recuperação razoável da produção", disse Lutz a jornalistas, durante comentários sobre os resultados da empresa no último trimestre.
A Cosan teve lucro líquido de 229,8 milhões de reais no quarto trimestre, queda de 32,3 por cento ante igual período do ano anterior.
A Raízen Energia teve seu resultado afetado pelos baixos preços do açúcar, contribuindo para reduzir o lucro da companhia ante um ano atrás. A receita líquida da Raízen Energia no quarto trimestre totalizou 2,1 bilhões de reais, uma redução de 18,4 por cento na comparação anual.
(Por Gustavo Bonato)