atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Cultivando a Lingua Portuguesa

29/07/2020 Colunista POR: Renata Carone Sborgia

“não fosse isso e era menos não fosse tanto e era quase”

Paulo Leminski

  1. O problema vai ser resolvido “a nível de” empresa.

Cuidado, prezado amigo leitor, com o uso da expressão “a nível de”.

Na frase acima, “na” ou “pela” empresa são mais exatos, e mais elegante o uso. Evite a expressão “a nível de”.

  1. Maria utiliza muito seu “mini-dicionário”.

Precisa utilizar a gramática também e a nova grafia!

O correto é: minidicionário - sem hífen.

 Regra fácil: Segundo a nova ortografia, as palavras formadas pelo prefixo mini apresentam hífen nos seguintes casos:

- diante de palavra iniciada por H

    Ex.: mini-hotel

 - quando a segunda palavra se inicia com a letra I - a mesma letra com que o prefixo mini termina

Ex.: mini-instrumento

 Fora isso, as palavras formadas pelo prefixo mini não apresentam hífen.

Obs.: Se a segunda palavra começar por r ou s, dobram-se essas letras.

Ex.: minissaia

  1. Pedro é um funcionário “bem-visto”.

Parabéns duplamente: Pedro e a grafia correta!

Regra fácil: Emprega-se o hífen nos compostos com os advérbios bem e mal, quando esses formam com o elemento que lhes segue uma unidade sintagmática e semântica e tal elemento começa por vogal ou h.

No entanto, o advérbio bem, ao contrário de mal, pode não se aglutinar com palavras começadas com consoante.

O correto é: bem-visto -  com hífen. O plural, bem-vistos, também é com hífen.

PARA VOCÊ PENSAR:  Soneto do amigo

Enfim, depois de tanto erro passado
Tantas retaliações, tanto perigo
Eis que ressurge noutro o velho amigo
Nunca perdido, sempre reencontrado.
É bom sentá-lo novamente ao lado
Com olhos que contêm o olhar antigo
Sempre comigo um pouco atribulado
E como sempre singular comigo.
Um bicho igual a mim, simples e humano
Sabendo se mover e comover
E a disfarçar com o meu próprio engano.
O amigo: um ser que a vida não explica
Que só se vai ao ver outro nascer
E o espelho de minha alma multiplica...

Vinícius de Moraes