atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Especial Irrigação - Seminário da ESALQ/USP aborda irrigação

10/12/2015 Cana-de-Açúcar POR: Andréia Vital – Revista Canavieiros –edição 112
O tema irrigação também fez parte de um seminário realizado recentemente na
ESALQ/USP, em Piracicaba – SP. Promovido pelo GPID (Grupo de Práticas em Irrigação e Drenagem) e pelo GELQ-2016 (Grupo de Estudos “Luiz de Queiroz”),
o evento contou com o apoio do GIFC e discutiu técnicas atuais relacionadas às tecnologias de automação dos diversos sistemas de irrigação.
“O III Simpósio de Irrigação Tecnologias de Automação teve como objetivo mostrar a interessados pela área, produtores, profissionais e estudantes, o que existe atualmente no mercado para automação da irrigação, e também mostrar o que vem sendo pesquisado no meio acadêmico. A diferença desse simpósio em relação às primeiras edições foi o tema o qual foi abordado, sendo que, no primeiro, discutimos as ‘Tecnologias para Irrigação em pastagem’ e, no segundo, ‘Tecnologias de Fertirrigação’, explicou Marcos Vinícius Pelicer, membro do GPID (Grupo de Práticas em Irrigação e Drenagem) Seminário da ESALQ/USP aborda irrigação Gotas que potencializam a produtividade dos canaviais e Coordenador de Eventos do GELQ (Grupo de Estudos "Luiz de Queiroz").
Segundo o coordenador do evento, atualmente, existem para irrigação, além de sistemas de acionamento automático, sistemas que variam a potência da bomba em relação à topografia do terreno, que aumenta a economia de energia; a tecnologia da taxa variável, onde no mesmo sistema se consegue aplicar lâminas diferentes, além de sistema de monitoramento via internet, que possibilita monitorar virtualmente, pelo computador ou celular, em tempo real, o seu sistema de irrigação, o quanto está se irrigando, o consumo de energia, dentre outras variáveis.
“Caso algum imprevisto aconteça, uma mensagem automática é enviada a você avisando o ocorrido”, explica ele, afirmando que, na área de pesquisa, vêm sendo estudados sensores de monitoramento, para monitorar com mais precisão as variáveis do seu sistema de irrigação, e modos mais eficientes dessas informações serem transmitidas para o produtor, sendo todas essas informações abordadas pelos palestrantes do evento.
O tema irrigação também fez parte de um seminário realizado recentemente na
ESALQ/USP, em Piracicaba – SP. Promovido pelo GPID (Grupo de Práticas em Irrigação e Drenagem) e pelo GELQ-2016 (Grupo de Estudos “Luiz de Queiroz”),
o evento contou com o apoio do GIFC e discutiu técnicas atuais relacionadas às tecnologias de automação dos diversos sistemas de irrigação.
“O III Simpósio de Irrigação Tecnologias de Automação teve como objetivo mostrar a interessados pela área, produtores, profissionais e estudantes, o que existe atualmente no mercado para automação da irrigação, e também mostrar o que vem sendo pesquisado no meio acadêmico. A diferença desse simpósio em relação às primeiras edições foi o tema o qual foi abordado, sendo que, no primeiro, discutimos as ‘Tecnologias para Irrigação em pastagem’ e, no segundo, ‘Tecnologias de Fertirrigação’, explicou Marcos Vinícius Pelicer, membro do GPID (Grupo de Práticas em Irrigação e Drenagem) Seminário da ESALQ/USP aborda irrigação Gotas que potencializam a produtividade dos canaviais e Coordenador de Eventos do GELQ (Grupo de Estudos "Luiz de Queiroz").
Segundo o coordenador do evento, atualmente, existem para irrigação, além de sistemas de acionamento automático, sistemas que variam a potência da bomba em relação à topografia do terreno, que aumenta a economia de energia; a tecnologia da taxa variável, onde no mesmo sistema se consegue aplicar lâminas diferentes, além de sistema de monitoramento via internet, que possibilita monitorar virtualmente, pelo computador ou celular, em tempo real, o seu sistema de irrigação, o quanto está se irrigando, o consumo de energia, dentre outras variáveis.
“Caso algum imprevisto aconteça, uma mensagem automática é enviada a você avisando o ocorrido”, explica ele, afirmando que, na área de pesquisa, vêm sendo estudados sensores de monitoramento, para monitorar com mais precisão as variáveis do seu sistema de irrigação, e modos mais eficientes dessas informações serem transmitidas para o produtor, sendo todas essas informações abordadas pelos palestrantes do evento.