atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Evento em Ribeirão Preto debate os Princípios do Empoderamento das Mulheres, promovidos pela ONU Mulheres e Pacto Global

07/03/2016 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria de Imprensa
A PricewaterhouseCoopers (PwC) é uma rede de firmas presente em 157 países com mais de 208 mil profissionais que se dedicam a prestar serviços de alta qualidade em auditoria, consultoria tributária e de negócios. As firmas da rede PwC recrutam anualmente, em todo o mundo, cerca de 20 mil jovens graduados da geração do Milênio ou Y (nascidos entre 1980 e 1995), metade dos quais são do sexo feminino. No Brasil, a PwC tem 5.300 profissionais, 50% é mulher.
Ana Paula Malvestio, Sócia e Líder de Diversidade & Inclusão na PwC Brasil, explica que a maior participação feminina reflete a realidade das universidades, onde 60% das vagas são ocupadas por mulheres. “Elas são maioria nas graduações e nos mestrados e são mais capacitadas. As empresas precisam buscar talentos e não podem se dar ao luxo de não atrair essas mulheres”, diz.
Porém, mesmo com os avanços para a equidade de gênero, ainda há muitas disparidades. “Apesar do grande número de mulheres qualificadas, apenas 4.3% dos principais executivos entre as 250 maiores empresas brasileiras são do sexo feminino”, salienta Ana. Segundo ela, essa discrepância é mais perceptível em cargos mais altos. As mulheres estão particularmente sub-representadas em posições de gerência executiva, que é o primeiro passo para promoções a níveis hierárquicos mais elevados. “Como apenas 14% desses cargos são ocupados por mulheres, não surpreende que, no ranking de importantes companhias do país, encontremos somente nove CEOs do sexo feminino”, diz a Sócia da PwC.
Em junho de 2015, a empresa assinou o termo de compromisso aos Princípios de Empoderamento das Mulheres ou WEPs (Women’s Empowerment Principles), promovido pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global. “Valorizamos um ambiente equilibrado entre gêneros porque acreditamos que isso faz o nosso negócio mais dinâmico e melhor”, diz Ana.
Mundo afora, centenas de empresas já assinaram esse termo de compromisso, mais ainda é pouco, é preciso disseminar mais e mais os Princípios de Empoderamento das Mulheres, lançado em 2010 pela Organização das Nações Unidas. Por isso, o tema será debatido durante o V Encontro Cana Substantivo Feminino.
Ana Paula será a mediadora do painel: Princípios de Empoderamento das Mulheres, iniciativa da ONU Mulheres e do Pacto Global criada para incentivar a igualdade de gênero e o empoderamento da mulher no trabalho e na comunidade.
V Encontro Cana Substantivo Feminino acontece dia 10 de março no Centro de Cana do IAC, em Ribeirão Preto. Mais informações e inscrição antecipada grátis pelo site: www.canasubstantivofeminino.com.br. E confira a programação no facebook do Encontro: www.facebook.com/cana.substantivo.feminino.
 
SERVIÇO:
Evento: V CANA SUBSTANTIVO FEMININO
Data: 10 de março de 2016, a partir das 8h
Local: auditório do Centro de Cana do IAC - Rodovia Antonio Duarte Nogueira, km 321 (Anel Viário Contorno Sul), Ribeirão Preto, SP.
Informações e inscrições: www.canasubstantivofeminino.com.br
 
A PricewaterhouseCoopers (PwC) é uma rede de firmas presente em 157 países com mais de 208 mil profissionais que se dedicam a prestar serviços de alta qualidade em auditoria, consultoria tributária e de negócios. As firmas da rede PwC recrutam anualmente, em todo o mundo, cerca de 20 mil jovens graduados da geração do Milênio ou Y (nascidos entre 1980 e 1995), metade dos quais são do sexo feminino. No Brasil, a PwC tem 5.300 profissionais, 50% é mulher.
Ana Paula Malvestio, Sócia e Líder de Diversidade & Inclusão na PwC Brasil, explica que a maior participação feminina reflete a realidade das universidades, onde 60% das vagas são ocupadas por mulheres. “Elas são maioria nas graduações e nos mestrados e são mais capacitadas. As empresas precisam buscar talentos e não podem se dar ao luxo de não atrair essas mulheres”, diz.
Porém, mesmo com os avanços para a equidade de gênero, ainda há muitas disparidades. “Apesar do grande número de mulheres qualificadas, apenas 4.3% dos principais executivos entre as 250 maiores empresas brasileiras são do sexo feminino”, salienta Ana. Segundo ela, essa discrepância é mais perceptível em cargos mais altos. As mulheres estão particularmente sub-representadas em posições de gerência executiva, que é o primeiro passo para promoções a níveis hierárquicos mais elevados. “Como apenas 14% desses cargos são ocupados por mulheres, não surpreende que, no ranking de importantes companhias do país, encontremos somente nove CEOs do sexo feminino”, diz a Sócia da PwC.
Em junho de 2015, a empresa assinou o termo de compromisso aos Princípios de Empoderamento das Mulheres ou WEPs (Women’s Empowerment Principles), promovido pela ONU Mulheres e pelo Pacto Global. “Valorizamos um ambiente equilibrado entre gêneros porque acreditamos que isso faz o nosso negócio mais dinâmico e melhor”, diz Ana.
Mundo afora, centenas de empresas já assinaram esse termo de compromisso, mais ainda é pouco, é preciso disseminar mais e mais os Princípios de Empoderamento das Mulheres, lançado em 2010 pela Organização das Nações Unidas. Por isso, o tema será debatido durante o V Encontro Cana Substantivo Feminino.
Ana Paula será a mediadora do painel: Princípios de Empoderamento das Mulheres, iniciativa da ONU Mulheres e do Pacto Global criada para incentivar a igualdade de gênero e o empoderamento da mulher no trabalho e na comunidade.
V Encontro Cana Substantivo Feminino acontece dia 10 de março no Centro de Cana do IAC, em Ribeirão Preto. Mais informações e inscrição antecipada grátis pelo site: www.canasubstantivofeminino.com.br. E confira a programação no facebook do Encontro: www.facebook.com/cana.substantivo.feminino.
 
SERVIÇO:
Evento: V CANA SUBSTANTIVO FEMININO
Data: 10 de março de 2016, a partir das 8h
Local: auditório do Centro de Cana do IAC - Rodovia Antonio Duarte Nogueira, km 321 (Anel Viário Contorno Sul), Ribeirão Preto, SP.
Informações e inscrições: www.canasubstantivofeminino.com.br