atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Fao homenageia personalidade do setor com o título de “herói da revolução verde”

21/10/2015 Cana-de-Açúcar POR: UNICA
Os mais de 40 anos de experiência e importantes estudos realizados na área do agronegócio renderam ao professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP) e coordenador científico do Centro de Estudos e Pesquisas em Economia Agrícola (Cepea), Geraldo Sant’ana de Camargo Barros, a justa homenagem de "Herói da Revolução Verde Brasileira".
O título, concedido pelo Fórum da Inovação, Agricultura e Alimentos, iniciativa que reúne instituições como a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU), foi entregue na terça-feira (13/10), durante Sessão Plenária do Senado Federal, em Brasília, para as dez personalidades que mais atuaram em prol do desenvolvimento da agricultura brasileira.
Na opinião do diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, este reconhecimento ao trabalho desempenhado por Geraldo Barros é mais do que oportuno. “Sem dúvida nenhuma, as pesquisas coordenadas pelo professor contribuíram para o avanço do agronegócio e do setor sucroenergético no país”, ressalta.
André OliveiraSessão Plenária do Senado Federal: homenagem a dez "heróis da Revolução Verde" O título “Herói da Revolução Verde” foi concebido diante dos enormes desafios que o Brasil terá pela frente sendo um dos maiores fornecedores de alimento do mundo. Segundo Eduardo Daher, diretor-executivo da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), entidade que integra a lista das organizadoras da homenagem, “a Revolução Verde proporcionou tecnologias que atingem maior eficiência na produção agrícola, e nos últimos anos, o Brasil se transformou de importador em um dos maiores exportadores de alimentos, preservando mais de 60% de suas florestas nativas.
”O “professor Geraldo”, como é mais conhecido, graduou-se em engenharia agronômica pela Esalq/USP, onde também fez mestrado. Seu doutorado em Economia desenvolvido na Universidade Estadual da Carolina do Norte, em 1976, foi premiado como melhor tese de PH.D em Economia Rural nos Estados Unidos. Como parte de sua carreira acadêmica, já orientou 34 dissertações de mestrado e 25 teses de doutorado. Também presidiu a Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural (Sober) e tem atuado como consultor do Banco Mundial, FAO/ONU, Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa) e Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA).Além da FAO/ONU e Andef, o Fórum da Inovação, Agricultura e Alimentos também teve a participação da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Outros homenageados na cerimônia foram: Alberto Duque Portugal, Aroldo Galassini, Carlos Clemente Cerri, Heitor Cantarella, Lourival Carmo Monaco, Luiz Otávio Campos da Silva, Mauro de Rezende Lopes, Ruy de Araújo Caldas e Teresa Losada Valle.
Os mais de 40 anos de experiência e importantes estudos realizados na área do agronegócio renderam ao professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP) e coordenador científico do Centro de Estudos e Pesquisas em Economia Agrícola (Cepea), Geraldo Sant’ana de Camargo Barros, a justa homenagem de "Herói da Revolução Verde Brasileira".
O título, concedido pelo Fórum da Inovação, Agricultura e Alimentos, iniciativa que reúne instituições como a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU), foi entregue na terça-feira (13/10), durante Sessão Plenária do Senado Federal, em Brasília, para as dez personalidades que mais atuaram em prol do desenvolvimento da agricultura brasileira.
Na opinião do diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, este reconhecimento ao trabalho desempenhado por Geraldo Barros é mais do que oportuno. “Sem dúvida nenhuma, as pesquisas coordenadas pelo professor contribuíram para o avanço do agronegócio e do setor sucroenergético no país”, ressalta.
André OliveiraSessão Plenária do Senado Federal: homenagem a dez "heróis da Revolução Verde" O título “Herói da Revolução Verde” foi concebido diante dos enormes desafios que o Brasil terá pela frente sendo um dos maiores fornecedores de alimento do mundo. Segundo Eduardo Daher, diretor-executivo da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), entidade que integra a lista das organizadoras da homenagem, “a Revolução Verde proporcionou tecnologias que atingem maior eficiência na produção agrícola, e nos últimos anos, o Brasil se transformou de importador em um dos maiores exportadores de alimentos, preservando mais de 60% de suas florestas nativas.

”O “professor Geraldo”, como é mais conhecido, graduou-se em engenharia agronômica pela Esalq/USP, onde também fez mestrado. Seu doutorado em Economia desenvolvido na Universidade Estadual da Carolina do Norte, em 1976, foi premiado como melhor tese de PH.D em Economia Rural nos Estados Unidos. Como parte de sua carreira acadêmica, já orientou 34 dissertações de mestrado e 25 teses de doutorado. Também presidiu a Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural (Sober) e tem atuado como consultor do Banco Mundial, FAO/ONU, Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa) e Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA).Além da FAO/ONU e Andef, o Fórum da Inovação, Agricultura e Alimentos também teve a participação da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).
Outros homenageados na cerimônia foram: Alberto Duque Portugal, Aroldo Galassini, Carlos Clemente Cerri, Heitor Cantarella, Lourival Carmo Monaco, Luiz Otávio Campos da Silva, Mauro de Rezende Lopes, Ruy de Araújo Caldas e Teresa Losada Valle.