atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Fusão e aquisição de usinas aquecem serviço de valoração de terras

14/10/2013 Cana-de-Açúcar POR: Revista Cultivar
Recente relatório divulgado pelo IDEA (Instituto de Desenvolvimento Agroindustrial) aponta que o número de unidades processadoras de cana-de-açúcar se reduziu para 385 em todo país. Em 2008, este número alcançou 442. “A maioria fechou as portas devido à crise que se abateu sobre o setor. Além destas 57 unidades que foram obrigadas a encerrar ou suspender momentaneamente as atividades outras 60 correm o mesmo risco”, informa Dib Nunes Jr, presidente do IDEA, uma das principais consultorias agroindustriais para o setor sucroenergético do país.
A crise financeira que persiste na agroindústria canavieira, além de fechar usinas, amplia a consolidação do setor, por meio da compra e fusão de unidades. Segundo Nunes, esse movimento aquece o serviço de valoração de propriedades rurais. “Uma das maiores dificuldades para os investidores e proprietários de terras é apurar o real valor das terras, benfeitorias e frutos produzidos pelas fazendas”, diz o Presidente do IDEA, salientando que o serviço de valoração de propriedades rurais também está em alta em outros setores agrícolas. “As negociações de terras e áreas em produção estão cada vez mais presentes no agronegócio brasileiro, onde fundos de investimento e grupos de investidores nacionais e estrangeiros, aportaram capitais nos últimos anos visando a implantação de grandes projetos agropecuários para a produção de soja, carnes e biocombustíveis.”
Esses investidores necessitam de laudos e relatórios confiáveis e a melhor alternativa tem sido a contratação de consultorias especializadas, é o que ocorre com o Grupo IDEA que já avaliou milhares de hectares em diversas regiões do país, com base na NBR 14.653-3/2004, norma aprovada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e que detalha as diretrizes e patrões específicos de procedimentos para a avaliação de imóveis rurais. “Seja em ‘due diligences’ de empresas em processo de transferência de controle acionário ou processos diretos de compra e venda de fazendas, elaboramos laudos e relatórios com elevada confiabilidade e detalhamento, apurando o valor justo de propriedades rurais, facilitando assim o entendimento e a negociação entre as partes interessadas”, explica Dib.
O preço médio do hectare de terra destinado ao agronegócio mais que triplicou em dez anos no Brasil, superando de longe a inflação, aumentou 227%. A cotação média do hectare, que engloba áreas para agricultura, pecuária e reflorestamento, saltou de R$ 2.280 para R$ 7.470. A expansão das cultura da soja, embalada pelos bons preços do produto nos últimos três anos, é apontada como a grande motivação para o aumento do preço das terras, principalmente nos estados do Centro-Oeste e Paraná.
Crescimento urbano rouba terras agrícolas – Mas Dib lembra que outro fator que tem contribuído para a maior valorização das terras é o crescimento das cidades, como acontece no interior paulista, principalmente nas regiões de Ribeirão Preto e Piracicaba, onde a construção de condomínios empurra a área agrícola para mais longe. “Há casos em que as terras da usina que está para ser adquirida, o mais indicado a fazer não é utilizá-las para o plantio de cana, mas lotear para a construção de condomínios, o ganho financeiro é bem maior”, observa.
Mas é o Nordeste o campeão em valorização do preço do hectare, o estado de Pernambuco é quem lidera, Dib lembra que na região de Ipojuca, por exemplo, as áreas que por séculos foram ocupadas por cana perdem espaço para a expansão industrial e para empreendimentos turísticos. O consultor ressalta que, em outras regiões do pais a expansão urbana leva a agricultura a abrir novas fronteiras, mas no caso de Pernambuco há limitação de área, o que aumenta a concorrência. E como a remuneração dos produtos da cana não é positiva, a maior parte das terras das usinas fechadas não deverá voltar a ser ocupadas por cana.
Sobre o IDEA – Com sede em Ribeirão Preto, o Grupo IDEA foi fundado há quase 20 anos e se tornou uma das principais consultorias agroindustriais para o setor sucroenergético do país. Presta serviços nas áreas de gestão, planejamento estratégico, auditoria, consultoria, assessoria e reestruturação competitiva para o setor canavieiro. Além de pesquisas sobre levantamento de indicadores de desempenho, números de safra, qualidade da matéria-prima, infestação de pragas e plantas daninhas nos canaviais e influência dos fenômenos climáticos na produção.
Com um time de profissionais especializados atende diversas empresas nacionais e multinacionais ligadas ao setor como usinas, destilarias, empresas geradoras de energia, empresas de defensivos e máquinas agrícolas, tradings, bancos, fundos de private equity e instituições de pesquisa.
O IDEA realiza os principais eventos técnicos do setor sucroenergético: Seminário Nacional de Mecanização e Produção de Cana; Herbishow (Seminário Nacional sobre controle de Plantas Daninhas na Cana-de-Açúcar), Insectshow (Seminário Nacional sobre o Controle de Pragas na Cana-de-Açúcar); Grande Encontro sobre Variedades de Cana-de-Açúcar; e Seminário sobre Produtividade e Redução de Custos na Agroindústria Canavieira.