atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Geadas prejudicam produção de cana de açúcar em Tucumán, na Argentina

26/07/2013 Cana-de-Açúcar POR: Notícias Agrícolas
As plantações de cana de açúcar de Tucumán, na Argentina, começaram a sofrer as consequências do frio nas zonas leste e sul da província, segundo informou a Estação Experimental Agroindustrial Obispo Colombres (Eeaoc).
Como consequência, o volume final de açúcar que os 15 engenhos tucumanos iriam obter este ano será menor do que o previsto. Com base nas informações da Eeaoc, o Instituto de Promoção de Açúcar e Álcool de Tucumán (Ipaat) previu uma produção de 1,7 milhões de toneladas de açúcar na província para a presente temporada, das quais 700.000 toneladas deverão ser exportadas para manter o mercado interno equilibrado.
As baixas temperaturas também afetaram a renovação de canaviais, porque ao congelar o pé de cana, diminui-se a matéria prima para as plantações.
Daniel Ploper, diretor técnico da Eeaoc, informou à imprensa que as geadas registradas na província foram intensas e tiveram uma larga duração, o que provocou grandes danos nas mais diferentes plantações.
"As temperaturas de -1ºC a -5ºC foram de grande duração e permaneceram por um período de até 11 horas. As temperaturas baixas tiveram início no domingo e isso já pode ser sentido em toda a atividade agropecuária", diagnosticou Ploper. O diretor deixou claro que, no entanto, ainda não se pode analisar a quantidade de produção que foi danificada.
Segundo Ploper, é provável que um cálculo estimativo dos danos provocados pelas geadas nas mais diversas produções argentinas deva sair dentro de 20 dias.
Izadora Pimenta com informações do TucumanNoticias
As plantações de cana de açúcar de Tucumán, na Argentina, começaram a sofrer as consequências do frio nas zonas leste e sul da província, segundo informou a Estação Experimental Agroindustrial Obispo Colombres (Eeaoc).
Como consequência, o volume final de açúcar que os 15 engenhos tucumanos iriam obter este ano será menor do que o previsto. Com base nas informações da Eeaoc, o Instituto de Promoção de Açúcar e Álcool de Tucumán (Ipaat) previu uma produção de 1,7 milhões de toneladas de açúcar na província para a presente temporada, das quais 700.000 toneladas deverão ser exportadas para manter o mercado interno equilibrado.
As baixas temperaturas também afetaram a renovação de canaviais, porque ao congelar o pé de cana, diminui-se a matéria prima para as plantações.
Daniel Ploper, diretor técnico da Eeaoc, informou à imprensa que as geadas registradas na província foram intensas e tiveram uma larga duração, o que provocou grandes danos nas mais diferentes plantações.
"As temperaturas de -1ºC a -5ºC foram de grande duração e permaneceram por um período de até 11 horas. As temperaturas baixas tiveram início no domingo e isso já pode ser sentido em toda a atividade agropecuária", diagnosticou Ploper. O diretor deixou claro que, no entanto, ainda não se pode analisar a quantidade de produção que foi danificada.
Segundo Ploper, é provável que um cálculo estimativo dos danos provocados pelas geadas nas mais diversas produções argentinas deva sair dentro de 20 dias.
Izadora Pimenta com informações do Tucuman Noticias