atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

GranBio assina termo com IMA e terá que recuperar área de mata nativa

18/01/2016 Cana-de-Açúcar POR: Portal G1
Depois do terceiro incêndio registrado nos últimos três meses no estoque de palha de cana de açúcar da GranBio, no município de São Miguel dos Campos, região Sul de Alagoas, a empresa e o Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) assinaram, nesta sexta-feira (15), um Termo de Ajuste de Conduta (TAC).
No TAC, a empresa de biotecnologia se compromete a recuperar a área de mata nativa afetada pelos incêndios. Para tanto, apresentará um Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) no prazo máximo de 60 dias.
Além disso, segundo o TAC, a empresa plantará 1.000 mudas de árvores em São Miguel dos Campos, no prazo de um ano. A GranBio também fará a doação de um equipamento de medição de gases poluentes e treinará a equipe do IMA para a utilização do aparelho.
A companhia e o Instituto se comprometem a agilizar o licenciamento ambiental do novo Centro de Distribuição, localizado a 13km do centro de São Miguel dos Campos.
Queimada recorrente
O último incêndio no estoque de palha da GranBio foi registrado no início deste mês. O local armazena os fardos de palha, matéria-prima para a Bioflex, fábrica de etanol celulósico que fica cerca de 2 km do depósito. A fábrica não foi atingida.
Desta vez, o Corpo de Bombeiros não foi acionado. Os dois primeiros incêndios registrados na localidade ocorreram em novembro do ano passado. Por conta dos constantes transtornos gerados pelos primeiros incêndios aos moradores da região e ao meio ambiente, o IMA multou a empresa em R$ 230 mil. 
Depois do terceiro incêndio registrado nos últimos três meses no estoque de palha de cana de açúcar da GranBio, no município de São Miguel dos Campos, região Sul de Alagoas, a empresa e o Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) assinaram, nesta sexta-feira (15), um Termo de Ajuste de Conduta (TAC).
No TAC, a empresa de biotecnologia se compromete a recuperar a área de mata nativa afetada pelos incêndios. Para tanto, apresentará um Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) no prazo máximo de 60 dias.
Além disso, segundo o TAC, a empresa plantará 1.000 mudas de árvores em São Miguel dos Campos, no prazo de um ano. A GranBio também fará a doação de um equipamento de medição de gases poluentes e treinará a equipe do IMA para a utilização do aparelho.
A companhia e o Instituto se comprometem a agilizar o licenciamento ambiental do novo Centro de Distribuição, localizado a 13km do centro de São Miguel dos Campos.
Queimada recorrente
O último incêndio no estoque de palha da GranBio foi registrado no início deste mês. O local armazena os fardos de palha, matéria-prima para a Bioflex, fábrica de etanol celulósico que fica cerca de 2 km do depósito. A fábrica não foi atingida.

 
Desta vez, o Corpo de Bombeiros não foi acionado. Os dois primeiros incêndios registrados na localidade ocorreram em novembro do ano passado. Por conta dos constantes transtornos gerados pelos primeiros incêndios aos moradores da região e ao meio ambiente, o IMA multou a empresa em R$ 230 mil.