atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Grupo belga Solvay abre laboratório biotecnológico no Brasil de olho na biomassa

05/06/2015 Cana-de-Açúcar POR: Agência EFE
O grupo industrial químico belga Solvay abriu nesta terça-feira no Brasil seu primeiro laboratório completamente dedicado à biotecnologia industrial, a fim de impulsionar o desenvolvimento de inovações e soluções baseadas em uma química sustentável.
O laboratório, situado em Paulínia, no estado de São Paulo, se centrará principalmente em novos processo de pesquisa e de moléculas derivadas da biomassa, que em sua maioria se baseia em plantas ou vegetais e que existem com "abundância" no Brasil com seu clima favorável e enorme superfície, explicou a Solvay.
"Com este laboratório a Solvay pode nutrir mais sua pasta de inovação, empregando recursos renováveis e com soluções sob medida para cumprir os requisitos de sustentabilidade dos clientes em múltiplos mercados", afirmou Louis Neltner, diretor-geral do grupo de Pesquisa e Inovação da Solvay.
"Graças à ampla variedade de biomassa no Brasil, negócios agrícolas competitivos e conhecimentos em biotecnologia, o país tem todas as condições necessárias para desenvolver e cultivar produtos e soluções baseadas em recursos renováveis", acrescentou.
O grupo industrial químico belga Solvay abriu nesta terça-feira no Brasil seu primeiro laboratório completamente dedicado à biotecnologia industrial, a fim de impulsionar o desenvolvimento de inovações e soluções baseadas em uma química sustentável.
O laboratório, situado em Paulínia, no estado de São Paulo, se centrará principalmente em novos processo de pesquisa e de moléculas derivadas da biomassa, que em sua maioria se baseia em plantas ou vegetais e que existem com "abundância" no Brasil com seu clima favorável e enorme superfície, explicou a Solvay.
"Com este laboratório a Solvay pode nutrir mais sua pasta de inovação, empregando recursos renováveis e com soluções sob medida para cumprir os requisitos de sustentabilidade dos clientes em múltiplos mercados", afirmou Louis Neltner, diretor-geral do grupo de Pesquisa e Inovação da Solvay.
"Graças à ampla variedade de biomassa no Brasil, negócios agrícolas competitivos e conhecimentos em biotecnologia, o país tem todas as condições necessárias para desenvolver e cultivar produtos e soluções baseadas em recursos renováveis", acrescentou.