atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Grupos estrangeiros entram na disputa pelo grupo Unialco

17/02/2016 Cana-de-Açúcar POR: Agência Estado
Um fundo de investimentos e uma companhia estrangeira com experiência no setor sucroenergético negociam a compra do grupo Unialco, empresa em recuperação judicial com duas usinas produtoras de açúcar, etanol e energia elétrica, em Guararapes (SP) e Aparecida do Taboado (MS).


Com a costura de bancos, os grupos prepararam propostas para serem apresentadas antes da assembléia de credores, prevista para ocorrer entre abril e maio, segundo fontes ligadas ao negócio. Um dos grupos seria a trading Glencore, cujo braço sucroalcooleiro no Brasil, a Glencane Bioenergia, possui a usina Rio Vermelho, em Junqueirópolis (SP).


A usina é próxima à unidade de Guararapes da Unialco, o que ajudaria na sinergia das operações. Além dos estrangeiros, o grupo Cocal, que tem duas usinas em São Paulo também negociaria a compra. "Em um mês devemos ter alguma coisa", disse uma fonte. Com uma dívida próxima a R$ 700 milhões, a companhia pediu recuperação judicial em novembro do ano passado, mas segue operando normalmente.


A saída pela venda do grupo Unialco ocorre por pressão das instituições financeiras, o que deve fazer com que os atuais donos, da família Zancaner, deixem o negócio.


Procurado, o presidente do grupo Unialco, Luiz Guilherme Zancaner, disse que não poderia se pronunciar sobre o andamento da operação e nem confirmou as negociações de venda das usinas. Ele se limitou a comentar que as unidades devem iniciar a moagem da safra 2016/2017 de cana ainda em fevereiro.

O processamento deve ficar entre 3,8 milhões e 3,9 milhões de toneladas nas duas usinas, próximo à capacidade máxima de moagem, de 4,1 milhão de toneladas de cana.