atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Guarani revisa para cima estimativa de moagem de cana

07/08/2012 Cana-de-Açúcar POR: Agência Estado
A Guarani revisou suas projeções de processamento de cana-de-açúcar na safra 2012/2013. A moagem, que tinha previsão inicial de 17,5 milhões de toneladas, deve superar 18 milhões. "A safra está melhor do que imaginávamos em março e a produção deve ser maior, principalmente por conta das chuvas de junho e da primeira semana de julho", afirmou à Agência Estado, nesta segunda-feira, o presidente da companhia, Jacyr Costa Filho.
 
Na safra passada, a moagem da Guarani atingiu 16,3 milhões de toneladas. A companhia sucroalcooleira, subsidiária da Tereos Internacional e sócia da Petrobras Biocombustível (PBio), tem sete usinas em São Paulo e uma em Moçambique. As unidades possuem uma capacidade de moagem de 20 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produção de 1,9 milhão de toneladas de açúcar, 860 milhões de litros de etanol, além de vender 400 GWh/ano de energia.
 
Segundo Costa Filho, mesmo com o aumento no processamento, ainda não é possível afirmar se a produção de açúcar e de etanol vai crescer, principalmente por conta da perda natural da produtividade da cana com as chuvas. "E também não dá para saber como será o mix de produção, principalmente se no final da safra a qualidade da cana não for tão boa, o que direcionaria o mix para uma maior produção de etanol", avaliou.
 
O presidente da companhia afirmou ainda que a empresa mantém os investimentos dos últimos dois anos nos canaviais, com a renovação de 50 mil hectares em 2011 e 54 mil hectares em 2012, em busca da melhoria da produtividade da cultura e uma consequente redução no custo do açúcar e do etanol. "O foco da Guarani é recuperar a competitividade e a política agressiva de investimentos vai seguir."
 
Mesmo com a prioridade dos investimentos na renovação dos canaviais e ainda na cogeração de energia, o presidente da Guarani reafirmou que a companhia poderia fazer aquisições "desde que as oportunidades de mercado apareçam".