atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Inclusão de usinas no Reintegra é importante, mas insuficiente

11/09/2014 Cana-de-Açúcar POR: Valor Econômico
A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) divulgou há pouco nota na qual informa que as medidas anunciadas ontem pelo governo são importantes para o setor energético, mas ainda insuficientes para fazer frente à grave crise enfrentada pela indústria canavieira.
Em reunião extraordinária convocada ontem pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, o governo anunciou que o açúcar e o etanol passarão a fazer parte do Programa Reintegra, que permite que algumas empresas brasileiras exportadoras recuperem até 3% da receita decorrente da exportação. As usinas que vendem ao exterior açúcar e etanol passarão a ser ressarcidas em 0,3% sobre as receitas decorrentes da exportação dos dois produtos. A partir de 2015, esse percentual subirá para 3%. A medida será enviada para assinatura da presidente Dilma ainda hoje e passará a valer a partir da publicação no Diário Oficial da União, segundo o ministro.
Mantega também anunciou a liberação de linhas de financiamento em “condições diferenciadas” para a construção de armazéns de açúcar no país. Mas, o assunto deverá ser aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em reunião prevista ainda para este mês de setembro.
Na nota divulgada hoje à imprensa, a Unica afirmou que foram positivos os anúncios, mas acrescentou que é preciso uma visão de longo prazo para o setor, principalmente em relação ao etanol e à biomassa, “com políticas públicas claras, estáveis, consistentes e que possibilitem a recuperação da competitividade do setor e um ambiente propício a novos investimentos”.
A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) divulgou há pouco nota na qual informa que as medidas anunciadas ontem pelo governo são importantes para o setor energético, mas ainda insuficientes para fazer frente à grave crise enfrentada pela indústria canavieira.
Em reunião extraordinária convocada ontem pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, o governo anunciou que o açúcar e o etanol passarão a fazer parte do Programa Reintegra, que permite que algumas empresas brasileiras exportadoras recuperem até 3% da receita decorrente da exportação. As usinas que vendem ao exterior açúcar e etanol passarão a ser ressarcidas em 0,3% sobre as receitas decorrentes da exportação dos dois produtos. A partir de 2015, esse percentual subirá para 3%. A medida será enviada para assinatura da presidente Dilma ainda hoje e passará a valer a partir da publicação no Diário Oficial da União, segundo o ministro.
Mantega também anunciou a liberação de linhas de financiamento em “condições diferenciadas” para a construção de armazéns de açúcar no país. Mas, o assunto deverá ser aprovado pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em reunião prevista ainda para este mês de setembro.
Na nota divulgada hoje à imprensa, a Unica afirmou que foram positivos os anúncios, mas acrescentou que é preciso uma visão de longo prazo para o setor, principalmente em relação ao etanol e à biomassa, “com políticas públicas claras, estáveis, consistentes e que possibilitem a recuperação da competitividade do setor e um ambiente propício a novos investimentos”.