atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Indústria sucroenergética está presente em 24 estados

19/06/2012 Cana-de-Açúcar POR: Agrolink com informações de assessoria
O Brasil ocupa um lugar privilegiado na busca por soluções para a crise ambiental do planeta. Pioneiro na substituição do combustível fóssil com a criação do Proálcool, na década de 1970, o País tem investido na instalação de novas usinas, para atender a produção de etanol e açúcar dos mercados interno e externo. Atualmente, são 554 usinas, espalhadas em 24 estados da Federação, sendo a maior concentração em São Paulo, com 209 usinas, seguido de Goiás, com 73; Minas Gerais, com 67; Mato Grosso do Sul, com 48; Paraná, com 37; Pernambuco, com 26; Alagoas, com 24; Mato Grosso, com 14; e Paraíba, com 10.
 
Esse enorme potencial tem um espaço privilegiado de exposição nas feiras Fenasucro & Agrocana – XX Feira Internacional da Indústria Sucroalcooleira e X Feira de Negócios e Tecnologia da Agricultura da Cana-de-Açúcar, promovidas pela Reed Multiplus, associada à Reed Exhibitions Alcantara Machado, o CEISE Br (Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroalcooleiro e Biocombustíveis) e o Sindicato Rural de Sertãozinho, com coordenação técnica da STAB (Sociedade dos Técnicos Açucareiros e Alcooleiros do Brasil). As feiras reúnem 500 marcas e mais de 32 mil profissionais do setor no Centro de Eventos Zanini, polo regional da cana-de-açúcar em Sertãozinho, de 28 a 31 de agosto.
 
Para garantir a oferta de etanol até 2020, o Brasil precisa construir mais 150 usinas, com investimentos de R$ 80 bilhões, e aumentando a produção de 640 milhões para até 960 milhões de toneladas de cana. Os dados são da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (ÚNICA).