atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Indústrias de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul iniciam colheita da cana

05/04/2013 Cana-de-Açúcar POR: Agrodebate..
As indústrias de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul já iniciaram a colheita da cana-de-açúcar da safra 13/14. Os preparativos para a nova safra começaram no início de março em Mato Grosso do Sul com apenas algumas indústrias na atividade. A previsão é que até maio a moagem da cana atinja a capacidade máxima. Já em Mato Grosso a moagem das indústrias começou em meados de março com previsão para que todas as indústrias estejam trabalhando até abril. Nos dois estados, a perspectiva é positiva, com aumento na produção. 
Em Mato Grosso do Sul, a estimativa é que sejam colhidas 44,1 milhões de toneladas de cana, contando com um aumento de 18,3% na produção, considerando que na safra passada foide 37,29 milhões de toneladas. A área cultivada deve crescer em 15%, atingindo 738 mil hectares no Estado. A área de corte vai passar de 542,8 mil hectares para 626,5 mil ha, um aumento de 15,4% em relação a safra anterior. 
De acordo com o diretor executivo da Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Paulo Aurélio Arruda, atualmente cerca de 10 usinas estão trabalhando na moagem da cana. "A expectativa é que até o final de abril mais 10 unidades entre em atividade. Já em maio, ouras 4 indústrias estarão atuando na moagem da cana". Ele lembra que, nesta safra, outras 2 empresas entraram em atividade, contribuindo para o aumento da produção. 
A produção de cana-de-açúcar em Mato Grosso deve ser de 16,375 milhões de toneladas na safra 13/14. O estado deve produzir praticamente o mesmo volume da temporada anterior, que foi de 16,318 milhões de toneladas. O diretor executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool-MT), Jorge dos Santos, os números mostram estabilidade do setor. "Chegamos ao limite da produção, de acordo com as nossas condições de produtividade e de uso da área". Para ele, são necessárias políticas públicas voltadas para o setor. 
Para o diretor da Usinas Itamarati, Sylvio Nobrega Coutinho, apesar dos empecilhos a empresa projeta crescimento acima de 10%, passando de 5,489 milhões de toneladas para 6,100 milhões de toneladas na safra 13/14. Ele conta que a empresa começou a moagem da cana no dia 1ª de abril, devendo atingir a capacidade máxima até a segunda quinzena do mês. 
Autor: Vívian Lessa 
As indústrias de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul já iniciaram a colheita da cana-de-açúcar da safra 13/14. Os preparativos para a nova safra começaram no início de março em Mato Grosso do Sul com apenas algumas indústrias na atividade. A previsão é que até maio a moagem da cana atinja a capacidade máxima. Já em Mato Grosso a moagem das indústrias começou em meados de março com previsão para que todas as indústrias estejam trabalhando até abril. Nos dois estados, a perspectiva é positiva, com aumento na produção. 
Em Mato Grosso do Sul, a estimativa é que sejam colhidas 44,1 milhões de toneladas de cana, contando com um aumento de 18,3% na produção, considerando que na safra passada foide 37,29 milhões de toneladas. A área cultivada deve crescer em 15%, atingindo 738 mil hectares no Estado. A área de corte vai passar de 542,8 mil hectares para 626,5 mil ha, um aumento de 15,4% em relação a safra anterior. 
De acordo com o diretor executivo da Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Paulo Aurélio Arruda, atualmente cerca de 10 usinas estão trabalhando na moagem da cana. "A expectativa é que até o final de abril mais 10 unidades entre em atividade. Já em maio, ouras 4 indústrias estarão atuando na moagem da cana". Ele lembra que, nesta safra, outras 2 empresas entraram em atividade, contribuindo para o aumento da produção. 
A produção de cana-de-açúcar em Mato Grosso deve ser de 16,375 milhões de toneladas na safra 13/14. O estado deve produzir praticamente o mesmo volume da temporada anterior, que foi de 16,318 milhões de toneladas. O diretor executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool-MT), Jorge dos Santos, os números mostram estabilidade do setor. "Chegamos ao limite da produção, de acordo com as nossas condições de produtividade e de uso da área". Para ele, são necessárias políticas públicas voltadas para o setor. 
Para o diretor da Usinas Itamarati, Sylvio Nobrega Coutinho, apesar dos empecilhos a empresa projeta crescimento acima de 10%, passando de 5,489 milhões de toneladas para 6,100 milhões de toneladas na safra 13/14. Ele conta que a empresa começou a moagem da cana no dia 1ª de abril, devendo atingir a capacidade máxima até a segunda quinzena do mês. 
Autor: Vívian Lessa