atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Mais cana no Centro-Sul do país em 2013/14

27/09/2012 Cana-de-Açúcar POR: Valor Econômico
Com as condições já praticamente definidas para a safra em curso (2012/13) no Centro-Sul do Brasil, executivos e proprietários de usinas sucroalcooleiras direcionam suas expectativas para o que vai acontecer com a oferta de cana no ano que vem. Após um forte programa de investimentos em renovação e ampliação de canaviais, da ordem de US$ 3,4 bilhões no último ano, o consenso é que haverá em 2013 pelo menos 8% mais matéria-prima disponível para ser processada do que na atual temporada.

Maior comercializadora de açúcar e etanol do país, com market share de 24% no Centro-Sul, a Copersucar estima que a moagem de cana em 2013/14 na região pode atingir 580 milhões de toneladas, apesar de também considerar um cenário de 570 milhões. Se confirmado, o processamento será maior que o da safra recorde de 2010/11, quando as usinas da região moeram 556 milhões de toneladas. Segundo a companhia, cujo faturamento deve alcançar neste ciclo 2012/13 US$ 7,5 bilhões, a produção de açúcar deve ficar em 33 milhões de toneladas, e a de etanol, de 26 bilhões de litros.

"Em termos de preços, a maior produção de açúcar no Brasil não significa uma boa notícia", diz o CEO da Copersucar, Paulo Roberto de Souza. Isso porque, continua ele, o superávit mundial da commodity seguirá alto no próximo ano, no patamar de 5 milhões de toneladas. Por outro lado, afirma ele, o mercado climático pode ainda trazer boas surpresas aos produtores do Brasil, principalmente na Índia. Neste ciclo mundial 2011/12, a estimativa de produção de açúcar no país asiático já recuou de 25 milhões para 23,5 milhões de toneladas, segundo estimativas da Copersucar. "Para o ano que vem, não deve passar de 24 milhões. É daí para baixo", aposta Souza.

Pedro Mizutani, da Raízen: empresa deverá acompanhar o aumento regional

Apesar de ponderar que ainda é cedo para projetar o próximo ano - pois há ainda as chuvas de verão que serão decisivas no desempenho da cana - o vice-presidente de Açúcar e Etanol da Raízen (Cosan/Shell), Pedro Mizutani, acredita que há potencial para uma moagem entre 560 milhões e 580 milhões de toneladas no ano que vem. A Raízen, segundo ele, deve acompanhar o mesmo nível de avanço da região.

Algumas consultorias não creem que a safra possa sequer atingir 560 milhões. Mesmo se o clima for favorável, diz o diretor da consultoria Canaplan, Luiz Carlos Corrêa Carvalho, a moagem em 2013/14 não deve ultrapassar 550 milhões de toneladas. "Além do mais, ainda está cedo", afirma Carvalho.

O número de 560 milhões de toneladas também é aposta da trading Sucden para a safra 2013/14, segundo o diretor da empresa no Brasil, Jeremy Austin. "Se o clima for bom também no verão de 2013, entre janeiro e março, a moagem pode atingir 560 milhões de toneladas, ", afirma o executivo. Para este ciclo em curso, o 2012/13, a projeção da Sucden é de moagem de 514 milhoes de toneladas e cana no Centro-Sul.

Os especialistas que acreditam em um crescimento mais moderado para a safra do próximo ano para até 560 milhões de toneladas ponderam também que muitas usinas deixaram de operar, tanto no ano passado como neste. Segundo levantamento da Copersucar, até junho deste ano 14 usinas do país interromperam as operações. No ano passado, outras 16 plantas fecharam as portas. Há também, poucos investimentos novos acontecendo para os próximos anos. A projeção da comercializadora é a de que até 2015, apenas quatro novas usinas de cana devem ser construídas.