atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Mesmo com clima ruim, produção de cana cresce 10% em MS

22/02/2013 Cana-de-Açúcar POR: Mídia Max News
Mato Grosso do Sul produziu 37,2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2012/2013, um crescimento de 10% em relação ao período anterior. Como nos últimos anos, o clima não ajudou e evitou um aumento ainda maior da moagem regional.
Com o resultado desta safra, a cana-de-açúcar se estabeleceu ainda mais como segundo complexo econômico mais forte do Estado, responsável por US$ 767 milhões em exportações. A cana fica atrás somente do complexo da soja (US$ 893 milhões), porém a frente da pecuária (US$ 687 milhões).
"Considero esta uma safra de recuperação, depois dos problemas climáticos que enfrentamos nos últimos anos", comentou Roberto Hollanda Filho, presidente da Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul), durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (21) na sede da entidade.
Na safra 2011/2012, MS produziu 6638 milhões de toneladas de cana, montante que cresceu 10,2% nesta safra, chegando a 37,2 milhões de toneladas. O crescimento foi maior que a média do Centro/Sul do País, onde se concentra o grosso da produção nacional, de 7,7%, porém foi "travado" pelo excesso de chuvas no início da safra, que começa em abril.
O bom resultado se repetiu na produção de açúcar, que cresceu 9,71%, chegando a 1,7 milhão de toneladas. No caso do etanol hidratado (dedicado, usado nos postos de combustível), MS produziu 1,4 bilhão de litros, um montante 18,4% superior a safra 2011/2012.
De etanol anidro, que é misturado à gasolina (em proporção de 20%), MS produziu 485 milhões de litros, um resultado 13,74% maior que a safra passada.
Hoje, MS é o quinto maior produtor de açúcar no País, e o quarto maior de etanol. "Mas ainda temos capacidade para crescer muito, tanto com as usinas já em operação, como nas duas que foram inauguradas, e vão começar a produzir", destacou Hollanda, lembrando as usinas de Ivinhema e Anaurilândia.
O presidente da Biosul se disse otimista para a safra 2013/2014, porém afirmou que a entidade ainda realiza levantamentos para ter um panorama mais apurado da expectativa de produção.
MS tem 22 usinas em operação, com 30,5 mil empregos diretos e 90 mil indiretos.
21/02/13
Vinícius Squinelo
Fonte: M
Mato Grosso do Sul produziu 37,2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2012/2013, um crescimento de 10% em relação ao período anterior. Como nos últimos anos, o clima não ajudou e evitou um aumento ainda maior da moagem regional.
Com o resultado desta safra, a cana-de-açúcar se estabeleceu ainda mais como segundo complexo econômico mais forte do Estado, responsável por US$ 767 milhões em exportações. A cana fica atrás somente do complexo da soja (US$ 893 milhões), porém a frente da pecuária (US$ 687 milhões).
"Considero esta uma safra de recuperação, depois dos problemas climáticos que enfrentamos nos últimos anos", comentou Roberto Hollanda Filho, presidente da Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul), durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (21) na sede da entidade.
Na safra 2011/2012, MS produziu 6638 milhões de toneladas de cana, montante que cresceu 10,2% nesta safra, chegando a 37,2 milhões de toneladas. O crescimento foi maior que a média do Centro/Sul do País, onde se concentra o grosso da produção nacional, de 7,7%, porém foi "travado" pelo excesso de chuvas no início da safra, que começa em abril.
O bom resultado se repetiu na produção de açúcar, que cresceu 9,71%, chegando a 1,7 milhão de toneladas. No caso do etanol hidratado (dedicado, usado nos postos de combustível), MS produziu 1,4 bilhão de litros, um montante 18,4% superior a safra 2011/2012.
De etanol anidro, que é misturado à gasolina (em proporção de 20%), MS produziu 485 milhões de litros, um resultado 13,74% maior que a safra passada.
Hoje, MS é o quinto maior produtor de açúcar no País, e o quarto maior de etanol. "Mas ainda temos capacidade para crescer muito, tanto com as usinas já em operação, como nas duas que foram inauguradas, e vão começar a produzir", destacou Hollanda, lembrando as usinas de Ivinhema e Anaurilândia.
O presidente da Biosul se disse otimista para a safra 2013/2014, porém afirmou que a entidade ainda realiza levantamentos para ter um panorama mais apurado da expectativa de produção.
MS tem 22 usinas em operação, com 30,5 mil empregos diretos e 90 mil indiretos.
Vinícius Squinelo