atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Moagem de cana alcança 510,12 milhões de toneladas na região Centro-Sul do País

12/11/2013 Cana-de-Açúcar POR: UNICA
São Paulo, 12 de novembro de 2013 – O volume de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras da região Centro-Sul totalizou 38,79  milhões de toneladas nos últimos 15 dias de outubro, volume 7,30% superior aos 36,15 milhões de toneladas registradas no mesmo período de 2012.
 
No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 1º de novembro, a moagem totalizou 510,12 milhões de toneladas, contra 455,49 milhões de toneladas apuradas até a mesma data de 2012, crescimento de 11,99%.
 
O diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, observa que “até o momento apenas seis unidades produtoras encerraram a safra, número significativamente inferior as 24 unidades observadas na safra 2012/2013 e as 97 plantas que haviam finalizado o processamento antes de novembro na safra 2011/2012”. Esse comportamento confirma a nossa expectativa de safra recorde para esse ano, completou o executivo.
 
Qualidade da matéria
Na segunda quinzena de outubro, a quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar atingiu 138,91 kg, queda de 3,49% em relação ao valor observado no mesmo período do ano anterior (143,93 kg de ATR/t de cana).
 
No acumulado desde o início da safra até 1º de novembro, a concentração de açúcares por tonelada de matéria-prima alcançou 133,90 kg, retração de 1,44% relativamente aos 135,85 kg por tonelada de cana verificados na mesma data da safra 2012/2013.
 
Mix e produção de açúcar e de etanol
A proporção de matéria-prima destinada à produção de açúcar na segunda quinzena de outubro apresentou um leve aumento no comparativo com a primeira quinzena do mês, atingindo 47,75%. Esse índice, entretanto, permanece muito aquém dos 51,27% registrados no mesmo período da safra passada.
 
Para o diretor da UNICA, os volumes de produção observados até o momento confirmam a expectativa de safra alcooleira. “Apesar do crescimento da moagem em torno de 12%, a produção de açúcar continua praticamente idêntica àquela observada no último ano”.
 
O executivo explica que a elevação do mix para açúcar no final de outubro se deve, em grande medida, ao aumento da participação das unidades anexas (plantas aptas a produzirem açúcar e etanol) na moagem total do Centro-Sul.
 
“O clima impactou no andamento da colheita de forma desigual entre as unidades nos últimos 15 dias de outubro, isso fez com que a participação das unidades anexas na moagem total da quinzena aumentasse de 85,22% para 86,22%, elevando o mix para açúcar nos números agregados”, explicou Padua.
 
Apesar dessa alteração, a produção de açúcar na segunda metade de outubro ficou 3,55% abaixo do montante produzido no mesmo período da safra passada: 2,45 milhões toneladas esse ano contra 2,54 milhões em 2012/2013.
 
A produção de etanol, por sua vez, alcançou 1,64 bilhão de litros, alta de 10,92% sobre o valor observado em 2012 (1,48 bilhão de litro). Do total produzido na quinzena, 795,13 milhões de litros referem-se ao etanol anidro e 849,72 milhões ao etanol hidratado.
 
O ritmo de produção de etanol anidro na segunda quinzena de outubro continuou intenso, totalizando 20,50 litros por tonelada de cana contra 18,90 litros verificados no ano passado.
 
No acumulado desde o início da safra até 1º de novembro, a produção de etanol somou 21,83 bilhões de litros (alta de 19,77% sobre o último ano), sendo 12,34 bilhões de litros de etanol hidratado e 9,49 bilhões de litros de etanol anidro. A produção de açúcar alcançou 29,56 milhões de toneladas, praticamente a mesma quantidade observada na safra 2012/2013 (29,34 milhões de toneladas).
 
Vendas de etanol
As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiram 2,23 bilhões de litros em outubro deste ano, contra 2,16 bilhões verificados na mesma data de 2012.
 
Do volume total comercializado em outubro de 2013, 170,43 milhões de litros destinaram-se às exportações e 2,06 bilhões de litros ao mercado interno, com expressivo crescimento de 19,23% em relação ao volume comercializado domesticamente na safra 2012/2013.
 
Do montante direcionado ao abastecimento do mercado nacional, 809,87 milhões de litros referem-se ao etanol anidro e 1,25 bilhão de litros ao etanol hidratado, alta de 12,95% no comparativo com o mesmo período do último ano.
 
No acumulado de abril até 1º de novembro, as vendas somaram 15,47 bilhões de litros, sendo 2,13 bilhões de litros direcionados ao mercado externo e 13,34 bilhões de litros comercializados no mercado interno.
 
De acordo com o executivo da UNICA, “o volume de etanol hidratado vendido domesticamente em outubro bateu recorde para essa safra”. A última vez que as unidades produtoras comercializaram mais de 1,25 bilhão de litros de hidratado no mercado interno foi em junho de 2011, acrescentou Padua.