atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Moagem de cana no Centro-Sul atinge 42,18 milhões de toneladas na primeira quinzena de julho

25/07/2012 Cana-de-Açúcar POR: UNICA
São Paulo, 25 de julho de 2012 - O volume de cana-de-açúcar processado pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil somou 42,18 milhões de toneladas nos primeiros 15 dias de julho, crescimento de 3,94% em relação ao resultado da mesma quinzena de 2011. No acumulado desde o início da safra 2012/2013 até 15 de julho, a moagem alcançou 170,56 milhões de toneladas, contra 218,28 milhões de toneladas no mesmo período da safra anterior.
 
Segundo o presidente interino da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, “pela primeira vez nesta safra a moagem quinzenal superou a verificada no mesmo período da safra 2011/2012. Mas, apesar deste crescimento, a quantidade de produtos obtidos a partir da cana-de-açúcar permaneceu praticamente estável.”
 
De fato, na primeira metade de julho, a quantidade de produtos disponíveis para a produção de açúcar e etanol foi 0,21% menor do que na mesma quinzena do ano passado. No acumulado desde o início da atual safra, este recuo atingiu 24,51%.
 
Esta queda decorre da redução na disponibilidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar, já que o excesso de chuvas observado em maio e junho prejudicou a qualidade da matéria-prima. Na primeira quinzena de julho, a concentração de ATR totalizou 130,53 kg por tonelada de cana-de-açúcar, retração de 4% comparado ao mesmo período de 2011. No acumulado desde o início da safra até 15 de julho, o teor de açúcares na matéria-prima atingiu 121,42 kg, abaixo dos 125,69 kg obtidos no mesmo período do ano anterior.
 
Em relação à produtividade agrícola da área colhida na região Centro-Sul, o levantamento realizado pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) aponta para um aumento de 12,05% na primeira quinzena de julho sobre a mesma quinzena de 2011, totalizando 80,24 toneladas de cana-de-açúcar por hectare. No acumulado desde o início desta safra, esta produtividade atingiu 76,69 toneladas por hectare, cifra praticamente idêntica às 76,76 toneladas por hectare registradas no mesmo período da safra 2011/2012, revertendo, desta forma, as perdas agrícolas obtidas nos meses precedentes.
 
Para o presidente da UNICA, “a tendência observada até o momento aponta para uma produtividade maior do que aquela estimada pela UNICA em abril. Mas, em contrapartida, devemos observar uma queda na concentração de açúcares na matéria-prima, de tal modo que o ATR final poderá atingir cerca de 135 kg por tonelada de cana, valor 5 kg menor quando comparado à nossa primeira estimativa. Continuaremos monitorando o andamento da colheita e, tão logo tenhamos reunido todas as informações necessárias, divulgaremos uma revisão de nossa estimativa inicial para a safra 2012/2013 na região Centro-Sul”, concluiu.
 
Produção
 
Do volume total de cana-de-açúcar processado desde o início da safra até a primeira metade de julho, 47,26% destinou-se à produção de açúcar, ligeiramente acima dos 45,86% observados no mesmo período de 2011. Na primeira quinzena de julho, este percentual subiu para 50,24%.
 
A fabricação de açúcar totalizou 2,64 milhões de toneladas nos primeiros 15 dias de julho, frente a 2,59 milhões de toneladas em igual quinzena do ano passado. Em relação ao etanol, a produção somou 1,61 bilhão de litros, sendo 675,20 milhões de litros de etanol anidro e 929,85 milhões de litros de hidratado.
 
No acumulado desde o início da safra 2012/2013, a produção de açúcar alcançou 9,33 milhões de toneladas, enquanto o volume produzido de etanol totalizou 6,42 bilhões de litros. Deste volume total, 4,29 bilhões de litros referem-se ao etanol hidratado e 2,13 bilhões de litros ao etanol anidro.
 
Vendas de etanol
 
As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul, acumuladas de abril até 15 de julho, somaram 5,55 bilhões de litros, 10,82% abaixo do volume comercializado no mesmo período de 2011. Deste total, 4,92 bilhões de litros destinaram-se ao mercado doméstico e somente 628,84 milhões de litros à exportação. Do montante direcionado ao abastecimento doméstico, 1,83 bilhão de litros referem-se ao etanol anidro e 3,10 bilhões de litros ao etanol hidratado.
 
Na primeira metade de julho, as vendas de etanol atingiram 850,11 milhões de litros, praticamente igual aos 856,13 milhões de litros comercializados na quinzena anterior, mas 22,43% abaixo do volume observado no mesmo período do ano passado, que atingiu 1,10 bilhão de litros. Da quantidade total comercializada nesta quinzena, 675,91 milhões de litros destinaram-se ao mercado interno.
 
Do total de vendas internas na primeira quinzena de julho, 260,05 milhões de litros referem-se ao etanol anidro e 415,86 milhões de litros ao etanol hidratado.
 
Link: www.unica.com.br/download.asp?mmdCode=2023D00A-C975-4880-AD69-87A1DB9C511C
 
 
 SOBRE OS DADOS DA SAFRA
 
Os dados divulgados nesta atualização de safra são compilados e analisados pela UNICA, com números fornecidos pelos seguintes sindicatos e associações de produtores da Região Centro-Sul:
 
ALCOPAR - Associação dos Produtores de Bioenergia no Estado do Paraná
BIOSUL - Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul
SIAMIG - Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais
SIFAEG – Sindicato da Indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás
SINDAAF - Sindicato Fluminense dos Produtores de Açúcar e Etanol
SINDALCOOL - Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso
SUDES - Sociedade das Usinas e Destilarias do Espírito Santo
 
SOBRE A UNICA
 
A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA – www.unica.com.br) é a entidade representativa das principais unidades produtoras de açúcar, etanol (álcool combustível) e bioeletricidade da região Centro-Sul do Brasil, principalmente do Estado de São Paulo. As usinas associadas à UNICA são responsáveis por mais de 50% da produção nacional de cana e 60% da produção de etanol.
Na safra 2011/12, o Brasil produziu aproximadamente 560 milhões de toneladas de cana, matéria-prima utilizada para a produção de 38 milhões de toneladas de açúcar e 23 bilhões de litros de etanol.