atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Moagem de cana sobe 25%, mas está abaixo do desejável, diz Biosul

11/08/2015 Cana-de-Açúcar POR: Campo Grande News - Campo Grande/MS 10/08/15
As usinas de Mato Grosso do Sul estão retomando o ritmo de moagem, prejudicado pelas chuvas em junho. Na segunda quinzena de julho, foram processadas 3,19 milhões de toneladas de cana, volume 74,36% maior que o moído no mesmo período na safra passada, segundo levantamento da Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul).
Com isso, o volume acumulado de cana-de-açúcar processada até o momento é de 20,33 milhões de toneladas, 25,75% maior em relação a 2014. A safra começou em abril deste ano e deve seguir até janeiro de 2016. Embora esse acumulado seja superior ao do ciclo anterior, os números ainda estão aquém do desejável, conforme avaliação do presidente da Biosul, Roberto Hollanda. Isto, porque no ano passado, o setor teve um início de safra muito ruim, ou seja, as usinas moeram abaixo do esperado. 
"O índice de aumento de 25% no acumulado de produção ainda é prejudicado pelo fraco desempenho no início da safra passada. Ao longo da quinzena, a chuva pouco atrapalhou a produção, permitindo que juntas as usinas de MS superassem a marca de 3 milhões decana processada. Ao longo do mês de agosto vamos fazer um levantamento para a segunda estimativa de produção da safra 2015/2016", comentou.
Produção - De acordo com a Biosul, o índice que mede a qualidade da matéria prima, o ATR/TC (Açúcares Totais Recuperáveis por tonelada de cana) atingiu 123,9 kg no acumulado, volume 1,77% maior que o da safra passada. Na quinzena, o índice alcançou 128,7 kg.
Até a segunda quinzena de julho foram produzidas 530 mil toneladas de açúcar. A quantidade é 21,3% maior que a produção registrada na safra anterior, que foi de 436 mil toneladas.
As usinas produziram, até o fim do mês de julho, 273 milhões de litros de etanol anidro e 884 milhões de litros de etanol hidratado. No total, são 1,15 bilhão de litros de biocombustível, volume 29,8% maior que na safra 2014/2015.
Caroline Maldonado
As usinas de Mato Grosso do Sul estão retomando o ritmo de moagem, prejudicado pelas chuvas em junho. Na segunda quinzena de julho, foram processadas 3,19 milhões de toneladas de cana, volume 74,36% maior que o moído no mesmo período na safra passada, segundo levantamento da Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul).
Com isso, o volume acumulado de cana-de-açúcar processada até o momento é de 20,33 milhões de toneladas, 25,75% maior em relação a 2014. A safra começou em abril deste ano e deve seguir até janeiro de 2016. Embora esse acumulado seja superior ao do ciclo anterior, os números ainda estão aquém do desejável, conforme avaliação do presidente da Biosul, Roberto Hollanda. Isto, porque no ano passado, o setor teve um início de safra muito ruim, ou seja, as usinas moeram abaixo do esperado. 
"O índice de aumento de 25% no acumulado de produção ainda é prejudicado pelo fraco desempenho no início da safra passada. Ao longo da quinzena, a chuva pouco atrapalhou a produção, permitindo que juntas as usinas de MS superassem a marca de 3 milhões decana processada. Ao longo do mês de agosto vamos fazer um levantamento para a segunda estimativa de produção da safra 2015/2016", comentou.
Produção - De acordo com a Biosul, o índice que mede a qualidade da matéria prima, o ATR/TC (Açúcares Totais Recuperáveis por tonelada de cana) atingiu 123,9 kg no acumulado, volume 1,77% maior que o da safra passada. Na quinzena, o índice alcançou 128,7 kg.
Até a segunda quinzena de julho foram produzidas 530 mil toneladas de açúcar. A quantidade é 21,3% maior que a produção registrada na safra anterior, que foi de 436 mil toneladas.
As usinas produziram, até o fim do mês de julho, 273 milhões de litros de etanol anidro e 884 milhões de litros de etanol hidratado. No total, são 1,15 bilhão de litros de biocombustível, volume 29,8% maior que na safra 2014/2015.
Caroline Maldonado