atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Monsanto encerra negócio de cana­-de-­açúcar no Brasil

07/10/2015 Cana-de-Açúcar POR: Valor Econômico
A Monsanto, maior empresa de sementes do mundo, acaba de anunciar que sairá do mercado de cana-­de-­açúcar no Brasil, no qual opera sob a marca CanaVialis.
“O encerramento dessa unidade de negócios decorre da nossa decisão de focar em negócios como sementes, proteção de cultivos, biológicos e agricultura digital, nos quais estamos investindo US$ 150 milhões no Brasil em 2015”, diz Rodrigo Santos, presidente da Monsanto do Brasil.
Conforme o executivo, quando a companhia americana decidiu investir no segmento de cana-­de-­açúcar, tinha como objetivo se posicionar em várias partes da cadeia da bioenergia. “No entanto, os mercados globais de energia e bioenergia mudaram e resolvemos explorar as oportunidades das nossas outras culturas”, afirmou, em nota divulgada nesta quarta-feira. 
Cerca de 150 funcionários serão afetados. A Monsanto Brasil afirmou estar buscando “oportunidades de transferência para outros negócios para o maior número possível desses funcionários”. Segundo a nota, todo funcionário que for dispensado receberá um pacote de benefícios adicional ao estabelecido legalmente.
Quanto às tecnologias, a Monsanto diz que irá prospectar entidades públicas de pesquisa para discutir possíveis transferências tecnológicas, de modo a permitir que os progressos que obtivemos continuem contribuindo para a cadeia da cana-­de-­açúcar no Brasil.
A Monsanto, maior empresa de sementes do mundo, acaba de anunciar que sairá do mercado de cana-­de-­açúcar no Brasil, no qual opera sob a marca CanaVialis.
“O encerramento dessa unidade de negócios decorre da nossa decisão de focar em negócios como sementes, proteção de cultivos, biológicos e agricultura digital, nos quais estamos investindo US$ 150 milhões no Brasil em 2015”, diz Rodrigo Santos, presidente da Monsanto do Brasil.
Conforme o executivo, quando a companhia americana decidiu investir no segmento de cana-­de-­açúcar, tinha como objetivo se posicionar em várias partes da cadeia da bioenergia. “No entanto, os mercados globais de energia e bioenergia mudaram e resolvemos explorar as oportunidades das nossas outras culturas”, afirmou, em nota divulgada nesta quarta-feira. 
Cerca de 150 funcionários serão afetados. A Monsanto Brasil afirmou estar buscando “oportunidades de transferência para outros negócios para o maior número possível desses funcionários”. Segundo a nota, todo funcionário que for dispensado receberá um pacote de benefícios adicional ao estabelecido legalmente.

Quanto às tecnologias, a Monsanto diz que irá prospectar entidades públicas de pesquisa para discutir possíveis transferências tecnológicas, de modo a permitir que os progressos que obtivemos continuem contribuindo para a cadeia da cana-­de-­açúcar no Brasil.