atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

Nesta semana, seminário avalia a safra 15/16 e discute por que 2016 pode ser o ano da recuperação do setor canavieiro

30/11/2015 Cana-de-Açúcar POR: Assessoria de Imprensa
O 14º Seminário de Produtividade & Redução de Custos ocorre nos dias 2 e 3 de dezembro, em Ribeirão Preto, trazendo números atuais sobre os custos das usinas, dados sobre a safra que está terminando e tecnologias que aumentarão a produtividade da produção canavieira 
“A perspectiva para a safra 2016/17 é bastante positiva”, afirma o consultor Francisco Oscar Louro Fernandes, da Sucrotec. Mas só vão conseguir aproveitar o momento esperado de recuperação do setor as empresas que conseguirem fazer a lição de casa, segundo ele. 
“No próximo ano, teremos boa disponibilidade de matéria-prima e preços mais remuneradores, mas o desafio de conter os custos de produção permanecerá, já que a alta inflação é uma ameaça real na situação atual da economia brasileira”, diz Oscar, que será um dos palestrantes do 14º Seminário de Produtividade & Redução de Custos na Agroindústria Canavieira, que ocorre no Centro de Convenções de Ribeirão Preto nos dias 2 e 3 de dezembro. 
Assim como ele, vários outros especialistas estão otimistas de que 2016 pode ser o ano da virada do setor sucroenergético, haja vista que as últimas semanas têm desenhado um cenário positivo para o próximo ano, que deverá ser marcado pela melhora da remuneração do etanol e do açúcar. Além da estimativa de uma boa safra no ciclo 2016/17, por conta das chuvas que têm caído no Centro-Sul do país em 2015 e deverão se estender até o início do próximo ano.
Segundo o diretor técnico da Unica (União da Indústria Canavieira), Antonio de Padua Rodrigues, o volume de cana-de-açúcar processado pelas empresas da região Centro-Sul alcançou, no acumulado da safra 15/16 até os primeiros 15 dias de novembro, 544,53 milhões de toneladas, ante 538,46 milhões de toneladas registradas em igual período do ciclo anterior.
Segundo ele, “neste ano apenas 26 unidades produtoras haviam encerrado a moagem até o dia 15 de novembro. Como era esperado, a maior disponibilidade de cana para moagem deve alongar o período de processamento nesta safra, com um número expressivo de usinas operando em dezembro”. Padua também será um dos palestrantes do Seminário. Além de avaliar a safra 2015/16, ele fará projeções para o ciclo 2016/17. 
Quem também falará de futuro no Seminário é o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, Marcos Fava Neves, com a palestra “Cenários para o setor sucroenergético”. 
REDUÇÃO DE CUSTOS E PRODUTIVIDADE
Mas não é suficiente os preços estarem remuneradores, o cenário oferecer muitas oportunidades e o clima ajudar, se usinas e produtores ainda não aperfeiçoaram a gestão, principalmente com relação aos custos. Por isso, algumas palestras do Seminário vão apresentar estratégias eficazes para reduzir custos e melhorar a gestão do negócio.
O evento também trará palestras sobre novas tecnologias e caminhos para aumentar a produtividade do setor. Um dos palestrantes que analisará este desafio e dará suas dicas é Dib Nunes, diretor do Grupo IDEA, que abordará no evento o que é o ideal de todo produtor de cana-de-açúcar: “onde e como buscar as 100 t/ha e 140 kg/t de ATR?”
O 14º. Seminário de Produtividade & Redução de Custos também marcará a entrega do Prêmio “1º. DESAFIO CANAMÁXIMA”, promovido pela Basf e pelo CTC (Centro de Tecnologia Canavieira).
Para fazer a inscrição de participação e conferir a programação completa do Seminário, basta acessar o site: www.ideaonline.com.br. São esperados para o evento mais de 400 profissionais da cadeia sucroenergética.
EVENTO: 14º. Seminário de Produtividade & Redução de Custos
DATA: 2 e 3 de dezembro de 2015
LOCAL: Centro de Convenções de Ribeirão Preto
O 14º Seminário de Produtividade & Redução de Custos ocorre nos dias 2 e 3 de dezembro, em Ribeirão Preto, trazendo números atuais sobre os custos das usinas, dados sobre a safra que está terminando e tecnologias que aumentarão a produtividade da produção canavieira.

 
“A perspectiva para a safra 2016/17 é bastante positiva”, afirma o consultor Francisco Oscar Louro Fernandes, da Sucrotec. Mas só vão conseguir aproveitar o momento esperado de recuperação do setor as empresas que conseguirem fazer a lição de casa, segundo ele. 

 
“No próximo ano, teremos boa disponibilidade de matéria-prima e preços mais remuneradores, mas o desafio de conter os custos de produção permanecerá, já que a alta inflação é uma ameaça real na situação atual da economia brasileira”, diz Oscar, que será um dos palestrantes do 14º Seminário de Produtividade & Redução de Custos na Agroindústria Canavieira, que ocorre no Centro de Convenções de Ribeirão Preto nos dias 2 e 3 de dezembro. 

 
Assim como ele, vários outros especialistas estão otimistas de que 2016 pode ser o ano da virada do setor sucroenergético, haja vista que as últimas semanas têm desenhado um cenário positivo para o próximo ano, que deverá ser marcado pela melhora da remuneração do etanol e do açúcar. Além da estimativa de uma boa safra no ciclo 2016/17, por conta das chuvas que têm caído no Centro-Sul do país em 2015 e deverão se estender até o início do próximo ano.

 
Segundo o diretor técnico da Unica (União da Indústria Canavieira), Antonio de Padua Rodrigues, o volume de cana-de-açúcar processado pelas empresas da região Centro-Sul alcançou, no acumulado da safra 15/16 até os primeiros 15 dias de novembro, 544,53 milhões de toneladas, ante 538,46 milhões de toneladas registradas em igual período do ciclo anterior.

 
Segundo ele, “neste ano apenas 26 unidades produtoras haviam encerrado a moagem até o dia 15 de novembro. Como era esperado, a maior disponibilidade de cana para moagem deve alongar o período de processamento nesta safra, com um número expressivo de usinas operando em dezembro”. Padua também será um dos palestrantes do Seminário. Além de avaliar a safra 2015/16, ele fará projeções para o ciclo 2016/17. 

 
Quem também falará de futuro no Seminário é o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, Marcos Fava Neves, com a palestra “Cenários para o setor sucroenergético”. 

 
REDUÇÃO DE CUSTOS E PRODUTIVIDADE

 
Mas não é suficiente os preços estarem remuneradores, o cenário oferecer muitas oportunidades e o clima ajudar, se usinas e produtores ainda não aperfeiçoaram a gestão, principalmente com relação aos custos. Por isso, algumas palestras do Seminário vão apresentar estratégias eficazes para reduzir custos e melhorar a gestão do negócio.

 
O evento também trará palestras sobre novas tecnologias e caminhos para aumentar a produtividade do setor. Um dos palestrantes que analisará este desafio e dará suas dicas é Dib Nunes, diretor do Grupo IDEA, que abordará no evento o que é o ideal de todo produtor de cana-de-açúcar: “onde e como buscar as 100 t/ha e 140 kg/t de ATR?”

 
O 14º. Seminário de Produtividade & Redução de Custos também marcará a entrega do Prêmio “1º. DESAFIO CANAMÁXIMA”, promovido pela Basf e pelo CTC (Centro de Tecnologia Canavieira).

 
Para fazer a inscrição de participação e conferir a programação completa do Seminário, basta acessar o site: www.ideaonline.com.br. São esperados para o evento mais de 400 profissionais da cadeia sucroenergética.

 
EVENTO: 14º. Seminário de Produtividade & Redução de Custos
DATA: 2 e 3 de dezembro de 2015
LOCAL: Centro de Convenções de Ribeirão Preto