atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

O assunto do dia 12 de maio de 2020: Açúcar assume o protagonismo já esperado

12/05/2020 Açúcar POR: Marino Guerra

Enquanto não encontra uma saída para o etanol, açúcar vai sendo a alternativa praticamente única, sob o ponto de vista de remuneração, da safra 20/21

Setor produz o máximo que pode do adoçante

A segunda parcial da safra 20/21 divulgada hoje pela Unica mostra um retrato que todos já sabiam, a produção de açúcar está no nível máximo no Centro-Sul do país.

Para se ter noção, a parte do adoçante no mix foi de 45% na quinzena, ganho de 30% em relação a 2019, sendo fabricadas 2,02 milhões de toneladas, 67% a mais no comparativo com o montante total dos primeiros 30 dias do início da colheita, sendo de 2,98 milhões de toneladas, valor muito próximo do fechamento da primeira quinzena de maio do ano passado.

Parte desse salto na produção se deve as oito unidades reativadas, destacando que uma delas estava totalmente parada nas safras anteriores enquanto que as outras sete ligaram apenas a destilaria.

Outra cena do filme que não foi novidade foram os generosos volumes vendidos para o exterior, mais 52,54% em relação a abril de 2019, significando um pouco menos que metade de tudo produzido ou 1,42 milhões de toneladas.

Com certeza é desse braço que vem grande parte dos recursos no atual período, isso porque muitos produtores fizeram suas negociações no começo do ano, quando o preço internacional chegou na casa dos US$ 0,15 libra-peso, ou até mesmo agora quando remuneram, pois, embora esteja flutuando entre US$ 0,09 a US$ 0,10 libra-peso, o dólar em forte marcha rumo aos R$ 6,00, cobre a diferença.