atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

O assunto do dia 14 de maio de 2020: Tem que chover amanhã

14/05/2020 Cana-de-Açúcar POR: Marino Guerra

Em março o jogo pluviométrico virou, por isso a urgência de maio ser próximo da média histórica 

Previsão de lâmina de 50 mm é fundamental para os canaviais

Se não chover pelo menos metade do que está previsto para a noite de hoje (14) e amanhã (15), os produtores de cana vão inserir na sua já abarrotada lista de problemas e preocupações em 2020 mais um item, os efeitos de um outono extremamente seco.

Segundo a gestora técnica da Canaoeste, Alessandra Durigan, caso os índices pluviométricos não cheguem próximos da média histórica (60 mm nos próximos anos, dentro das áreas de atuação da associação) os canaviais que estão planejadas suas colheitas do meio para o final de safra vão sentir.

Outro estágio que sofrerá serão as áreas plantadas março e abril, isso porque, segundo a engenheira agrônoma, como no mês passado a média de chuva ficou em 26 mm, sendo a média 70 mm, e no período anterior fechou com 118 mm, contra uma média de 164 mm, o desenvolvimento das plantas, principalmente o radicular, se tornará mais complicado pela falta d’água.

Por volta das 16 horas de hoje, o radar do IPMet (Instituto de Pesquisas Meteorológicas) do campus de Bauru da Unesp indicava chuvas fracas num triângulo mais a sul do estado, formado basicamente pelos municípios de Botucatu, Presidente Prudente e Araçatuba.

A situação de expectativa por céus carregados ao amanhecer desta sexta-feira é explicada principalmente porque a primeira metade do mês foi praticamente pífia de água, e as previsões para a partir de sábado, é a volta daquele azul belo, porém desesperador para o agricultor, típico do outono.