atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

O assunto do dia 29 de abril de 2020: Duas notícias que seriam espetaculares se não fosse a pandemia

29/04/2020 Cana-de-Açúcar POR: Marino Guerra

O na época vice-presidente da Raízen e atual CEO da Rumo, João Alberto Abreu, durante o lançamento da pedra fundamental da unidade de Biogás, no mês de agosto de 2018

Comercialização de CBios e Biogás foram duas boas novas que acabaram ofuscadas

Essa semana encerramos talvez o mês de abril mais traumático da nossa geração. Números negros como de mortos e infectados substituíram os azuis como ganho de emprego e recordes das empresas listadas na bolsa de valores.

E como não poderia ser diferente, essa lama também chegou aos canaviais, justamente no primeiro mês da safra que prometia ser uma das mais promissoras do atual século.

Contudo, no meio desse caos algumas sementes, plantadas há um bom tempo, brotaram nessa semana, fatos que teriam a atenção de todos, mas, em virtude da situação, passaram quase desapercebidos.

O primeiro foi o início das negociações dos CBios, certificados do RenovaBio, na B3 (antiga Bovespa), assim os produtores de biocombustível, que tiveram suas respectivas produções enquadradas no programa a partir de 24 de dezembro de 2019, já podem começar o processo de comercialização desses papéis.

A segunda grande notícia é o início das atividades da primeira planta de biogás do setor sucroenergético na unidade Bonfim, da Raízen, localizada em Guariba-SP.

Com o lançamento de sua pedra fundamental em agosto de 2018, ela produzirá o combustível utilizando como matéria-prima a torta de filtro e a vinhaça decorrentes do processo de produção de açúcar e etanol.

Segundo o presidente da Cosan, Luis Henrique Guimarães, a unidade iniciou os trabalhos de modo experimental, mas estará funcionando plenamente até a metade do ano.

Nessa primeira perna do projeto seu destino será a produção de energia-elétrica, 138 mil MWh por ano, porém em breve deve iniciar uma segunda fase, cujo objetivo é a produção do biometano, provável substituto do diesel em algumas máquinas da própria operação do grupo.

Como já dito, a emergência dos dias de hoje ofuscou as duas novidades, mas não há dúvidas que ambas fortalecem o setor no sentido de se manter de pé depois de mais essa pancada sofrida na sua história.