atendimento@revistacanavieiros.com.br (16) 3946-3300

O vídeo game da cana

10/05/2012 Cana-de-Açúcar POR: Cenário MT, extraido do site Revista Idea News
Parece uma daquelas cabines de jogos virtuais, de corrida de automóveis, por exemplo, que são atrações em diversos parques de diversões. Mas só parece, não é, e trata-se de coisa séria. Uma empresa de Londrina (PR) desenvolveu um simulador para colheita de cana-de-açúcar, que reproduz a cabine de uma colheitadeira, cria numa tela a realidade virtual de uma lavoura de cana e orienta passo a passo todo o processo de manuseio do equipamento.
Estão lá alavancas, botões, monitores, chaves, pedais, ou seja, todos os comandos existentes numa máquina colhedora de cana. Já a tela, apresenta em um ângulo de 180o imagens externas do equipamento, como, os discos de corte, do terreno, da plantação, do veículo transbordo - que recebe a cana colhida -, do clima, permitindo, inclusive, a escolha de tempo ensolarado ou chuvoso.
Segundo Guilherme Azevedo Britto da Oníria Produtora de Software, responsável pelo desenvolvimento do simulador, o equipamento vem sendo usado para o treinamento de operadores de colheitadeiras, profissão que ganha cada vez mais espaço devido à mecanização da colheita no setor sucroenergético.
Além do segmento da cana, a Oníria já desenvolveu simuladores para operadores de guindaste na indústria petrolífera, operadores de cargas de terminais portuários, motoristas de caminhão, maquinistas, entre outras categorias.
Encomendado pela fabricante de máquinas agrícolas CaseIH, o simulador para colheita de cana é usado no treinamento de operadores de clientes que adquirem colheitadeiras da empresa. O equipamento fica na unidade da CaseIH de Piracicaba (SP).
"Ele mostra fielmente as diversas situações reais da máquina trabalhando no campo", afirma Kleitson dos Anjos, instrutor de operadores da CaseIH. "E esta vivência no simulador facilita muito todo o processo de aprendizado do aluno." De acordo com Fábio Balaban, especialista em marketing de produtos da CaseIH, além do treinamento para clientes, a empresa estuda parcerias com o Senar e Senai para o uso do simulador em cursos profissionalizantes.
Parece uma daquelas cabines de jogos virtuais, de corrida de automóveis, por exemplo, que são atrações em diversos parques de diversões. Mas só parece, não é, e trata-se de coisa séria. Uma empresa de Londrina (PR) desenvolveu um simulador para colheita de cana-de-açúcar, que reproduz a cabine de uma colheitadeira, cria numa tela a realidade virtual de uma lavoura de cana e orienta passo a passo todo o processo de manuseio do equipamento.
Estão lá alavancas, botões, monitores, chaves, pedais, ou seja, todos os comandos existentes numa máquina colhedora de cana. Já a tela, apresenta em um ângulo de 180o imagens externas do equipamento, como, os discos de corte, do terreno, da plantação, do veículo transbordo - que recebe a cana colhida -, do clima, permitindo, inclusive, a escolha de tempo ensolarado ou chuvoso.
Segundo Guilherme Azevedo Britto da Oníria Produtora de Software, responsável pelo desenvolvimento do simulador, o equipamento vem sendo usado para o treinamento de operadores de colheitadeiras, profissão que ganha cada vez mais espaço devido à mecanização da colheita no setor sucroenergético.
Além do segmento da cana, a Oníria já desenvolveu simuladores para operadores de guindaste na indústria petrolífera, operadores de cargas de terminais portuários, motoristas de caminhão, maquinistas, entre outras categorias.
Encomendado pela fabricante de máquinas agrícolas CaseIH, o simulador para colheita de cana é usado no treinamento de operadores de clientes que adquirem colheitadeiras da empresa. O equipamento fica na unidade da CaseIH de Piracicaba (SP).
"Ele mostra fielmente as diversas situações reais da máquina trabalhando no campo", afirma Kleitson dos Anjos, instrutor de operadores da CaseIH. "E esta vivência no simulador facilita muito todo o processo de aprendizado do aluno." De acordo com Fábio Balaban, especialista em marketing de produtos da CaseIH, além do treinamento para clientes, a empresa estuda parcerias com o Senar e Senai para o uso do simulador em cursos profissionalizantes.